Caso Barney e Betty Hill - A Investigação

O Caso Barney e Betty Hill é um divisor de águas para a Ufologia Mundial, pois representou uma mudança radical na característica dos contatos entre humanos e os tripulantes dos misteriosos OVNIs

Página 4 - Os Pesadelos de
Betty Hill


Página 5 - A Investigação


Página 6 - As Hipnoses
Regressivas


Equipe CIPEX

Sumário:


 

 


Em Ufologia, honestidade é tudo. Ao copiar material deste site cite a fonte, assim como fazemos em nosso site. Obrigado!

 

Introdução

Em 21 de setembro de 1961, Betty telefonou para o 100° Esquadrão de Bombardeiros, da Base Aérea de Pease, em Newington, New Hampshire. Eles responderam todas as perguntas do oficial, mas Barney omitiu a fato de ter visto os tripulantes no aparelho. Naquele mesmo dia, o Major Paul W. Henderson telefonou ao casal e os interrogou novamente de forma extensiva. Betty notou que ele ficou muito interessado nos detalhes das estruturas laterais observadas no objeto. Novos contatos telefônicos entre o oficial e o casal ocorreram nos dias seguintes. Estas ligações foram gravadas com o consentimento do casal.

Naquela época, a Força Aérea Americana investigava oficialmente o fenômeno OVNI através do projeto Blue Book. O avistamento do casal Hill foi registrado no formulário 112, N° 100-1-61. No minucioso formulário, constam variados detalhes reportados pelo casal. Ali consta também uma informação que passa desapercebida da grande maioria das abordagens do caso. Na mesa noite em que ocorreu o avistamento e posterior abdução do casal, dois militares, o Major Gardiner D. Reynolds e o Capitão Robert O' Daughaday, ambos da Base Aérea de Pease, avistaram um OVNI na mesma região relatada pelo casal. Além de avistarem o objeto, houve captação por radar. As descrições dos militares coincidem com o relato efetuado pelo casal Hill.

Apesar do conteúdo do formulário estar de acordo com o relato do casal Hill, a pesquisa da Força Aérea Americana foi inconsistente e procurou atribuir uma hipotética inversão climática aos avistamentos. Antes do resultado das investigações do Blue Book serem divulgadas, Betty procurou informações na literatura especializada em Ufologia. No dia 23 de setembro ela foi até a biblioteca da cidade de Portsmouth onde ela encontrou o livro do major Donald Keyhoe, The Flying Saucer Conspiracy, que foi o seu primeiro contato com o tema até então. No livro havia endereço para contato com a National Investigations Committee on Aerial Phenomena (NICAP), uma das mais conceituadas instituições de pesquisa ufológica nos Estados Unidos. Ela escreveu à NICAP contando suas experiências, incluindo o avistamento de Barney a respeito dos tripulantes do objeto.

Poucos dias depois começaram os pesadelos de Betty Hill. Geralmente eles apresentavam uma cena diferente do que ela lembrava conscientemente. No sonho, após a primeira sequencia de sons, o casal é capturado pelos tripulantes do objeto e levado a bordo do aparelho. Os sonhos são tão vívidos e estarrecedores que Betty acordava e escrevia avidamente para aliviar a pressão. Os sonhos repetiram-se continuamente nas semanas seguintes. Em novembro, ela comparou diversas anotações e percebeu que havia uma sequencia lógica neles.

A 17 de outubro, o casal recebeu uma carta da NICAP acusando recebimento do relato e informando que o pesquisador Walter Webb investigaria o caso. Dias depois, em 21 de outubro, Walter Webb esteve na residência Hill onde entrevistou o casal por aproximadamente 6 horas. Webb coletou todos os detalhes recordados do avistamento do casal, mas as investigações não pararam por aí. Com a crescente divulgação do caso outros investigadores apareceram.

Robert Hofmann e C. D. Jackson, na época funcionários da empresa IBM, escreveram ao casal Hill, em 3 de novembro de 1961, se apresentando e solicitando uma entrevista pessoal. De início eles estavam interessados em identificar a origem do estranho aparelho. A entrevista ocorreu a 25 de novembro na residência dos Hills que, a princípio, imaginaram estar diante de representantes do governo que teriam respostas para os pontos obscuros do caso. Tal entrevista resultou em mais dúvidas do que respostas. Betty Hill escreveu em seu diário: "Eles nos questionaram em áreas específicas. Quantas milhas de distância de Colebrook para Portsmouth? Qual a duração estimada da viagem? Por que nós viajamos entre 25 a 30 milhas por hora em uma noite límpida sem tráfego numa rodovia de alta velocidade? O que aconteceu durante as duas séries de beeps? Algum de nossos pertences estava sumido? Como Delsey, a cadelinha, se comportou durante o episódio? Ocorreram eventos estranhos depois disso? Foi descoberto traços de nitratos no carro? Eles estimularam nossas mentes e fomos capazes de vislumbrar áreas específicas em determinados momentos".

Essa entrevista despertou o interesse do casal em descobrir maiores detalhes a respeito do aparente "missing time", tempo perdido, decorrido entre as duas séries de beeps, ocorridos durante o avistamento. Nos dias seguintes eles procuraram reconstituir a sequencia de eventos decorridos entre o início do avistamento e a chegada em Portsmouth. Entretanto, apesar dos esforços, um período de aproximadamente 2 horas ainda permanecia em mistério. Soma-se à isso a misteriosa doença que se abateu sobre a cadela Delsey dias após o contato. Ela desenvolveu uma infecção epidérmica que foi tratada por um veterinário. Além da infecção ela apresentou problemas respiratórios logo após o contato. Delsey estava com o casal apenas a 6 meses e infelizmente não existia um histórico de saúde prévio para comparação. Betty também notou uma alteração no comportamento do animal após a noite de 19 para 20 de setembro de 1961. Após aquela noite, Delsey choramingava, agitava a perna e movimentava a perna como se estivesse correndo, durante o sono.

Estes detalhes, grandes e pequenos, motivaram ainda mais a busca por respostas. Barney e Betty, com muita frequencia, refizeram o trajeto de Indian Head para Portsmouth, procurando identificar locais específicos do avistamento, procurando reorganizar ou relembrar detalhes do avistamento. Curiosamente, algumas situações vividas durante estas viagens resultaram em situações de muito medo, sem motivo aparente. Nas primeiras horas da manhã de 17 de janeiro de 1962, o casal trafegava próximo ao South Postal Anex, em Boston, quando viu um grande objeto arredondado de coloração avermelhada, cruzando lentamente o céu. Em outra ocasião, Barney, sozinho, seguia pela estrada, já a caminho de casa, durante à noite, quando encontrou a rodovia paralisada para obras. Na ocasião ele sentiu um medo paralisante ao ver os operários trabalhando na rodovia. Em outra ocasião, repentinamente, o carro foi rodeado por adolescentes às margens da rodovia. Diante dessa situação, Betty entrou em pânico e tentou fugir do carro a todo custo. Esta reações de pânico, aliados aos sonhos assustadores repetitivos, levaram o casal à buscar ajuda psiquiátrica.

Em 12 de março de 1962, eles escreveram ao psiquiatra Patrick Quirk, de Georgetown, Massachussetts, solicitando uma consulta para o sábado pela manhã. Eles tinham intenção de submeter-se à hipnose regressiva para recuperar suas lembranças e obter detalhes que possibilitassem um estudo científico do caso, de maneira discreta, evitando exposição. Dr. Patrick decidiu não utilizar hipnose e sugeriu que os Hill procurassem buscar recuperar suas lembranças de forma natural.

Seguindo a recomendação, o casal procurou recuperar suas lembranças através das viagens regulares aos locais dos fatos, ordenando os detalhes numa seqüência lógica e conversando com alguns ufólogos que acompanhavam seu caso. Entretanto, este processo era lento e gerava ainda mais ansiedade ao casal. Somente no final de dezembro de 1963, o casal pôde explorar de forma satisfatória suas experiências e recuperar as lembranças da noite de 19 de setembro de 1961.

Em 14 de dezembro de 1963, o casal realizou a primeira consulta com o psiquiatra Benjamin Simon. Inicialmente cético com relação aos OVNIs e uma possível manifestação extraterrestre em nosso planeta, o Dr. Simon aceitou ajudar o casal com o intuito de reduzir os problemas de natureza psicológica e ansiedade que surgiram após a experiência pelas quais o casal passou. A área de atuação deste psiquiatra era justamente tratar traumas emocionais adquiridos em situações extremas, como desastres naturais e combates, tendo atendido numerosos veteranos da Segunda Guerra Mundial.


Betty Hill no local onde ocorreu a abdução

Betty Hill no local onde ocorreu a abdução

Barney Hill aponta para os pais de Betty o local de pouso do objeto, no início da abdução do casal
Conheça este caso mais detalhadamente acessando nosso menu abaixo:
 
Os Protagonistas
Quem são Barney e Betty Hill? Conheça um pouco de sua história.

Os Pesquisadores
Ao longo dos anos vários foram os pesquisadores que investigaram o caso. Conheça os principais.

A Abdução
Saiba como foi a experiência lembrada a nível consciente por Barney e Betty Hill.

Os Pesadelos de Betty Hill
Após o episódio de abdução Betty começou a ter vários sonhos vívidos e reveladores sobre sua experiência.

A Investigação
Diante de tantos mistérios envolvendo suas experiências, Barney e betty Hill iniciam suas próprias investigações.

As Hipnoses Regressivas
Barney e Betty finalmente se submetem à hipnose regressiva para vencer o bloqueio mental e seus efeitos.

Entrevista com Betty Hill
Betty Hill em entrevista para uma revista americana.

As Evidências
Conheça as evidências que confirmam a veracidade do caso Hill.

Os Abdutores
Quem são os tripulantes da nave que abduziu o casal? Conheça suas características.

O Mapa Estelar
Saiba como foi a investigação envolvendo o mapa estelar visto e desenhado por Betty Hill.

O Vestido Azul
O vestido que Betty usava quando foi abduzida é analisado e o resultado é supreendente.

As Controvérsias
O Caso Hill gerou controvérsia e debates acalorados entre céticos e ufólogos.

Galeria do Caso
Fotografias, imagens e desenhos referentes ao caso.



Comentários (3)

Você está revendo: Caso Barney e Betty Hill
Sort
5/5 (3)
FacebookGoogle+Twitter
Gravatar
Full StarFull StarFull StarFull StarFull Star
Cláudio (Atibaia) diz...
Este é um dos maiores casos da Ufologia mundial. As estranhas luzes vermelhas nas "pontas" do objeto, foram relatados por um avistamento testemunhado pelo meu cunhado recentemente. Ele disse claramente que o objeto que ele avistou tinhas duas luzes vermelhas nas pontas. Muito intrigante.
13 July 2016 18.16
Gravatar
Full StarFull StarFull StarFull StarFull Star
ana clara (balsas maranhao) diz...
ADOREI , SEMPRE VOU FAZER MINHAS PESQUISAS NESSE SITE , DEMAIS
8 July 2016 21.07
Gravatar
Full StarFull StarFull StarFull StarFull Star
Julio Cesar (São Paulo) diz...
Eu adoro o caso Varginha e o caso Barney e Betty Hill.o caso Hill é o caso Ufológico que eu mais gosto e vi o documentário sobre esse caso duas vezes e é o caso que eu conhece mais,posso até contar esse caso para alguém,pois sei de cór.parabéns,quem adora Ufologia não pode esquecer desse caso e voce é um desses que não esqueceu.te considero muito jackson.e fala pro seu aluno da aula de informática que agradeço muito a ele por passar o msn e o seu orkut(o Lucas). :D
6 July 2016 14.57
Página 1 de 1

Adicionar Comentário

* Informação requerida
(não será publicado)
 
Bold Italic Underline Strike Superscript Subscript Code PHP Quote Line Bullet Numeric Link Email Image Video
 
Smile Sad Huh Laugh Mad Tongue Crying Grin Wink Scared Cool Sleep Blush Unsure Shocked
 
3000
 
Notifique-me de novos comentários via email.
 



Referências:

- Livros
  • FRIEDMAN, Stanton e MARDEN, Katheleen. CAPTURED: The Betty and Barney Hill UFO Experience. New Jersei: New Page Books, 2007.
  • DURRANT, Henry. Primeiras investigações sobre os humanóides extraterrestres. Tradução de Luzia D. Mendonça. São Paulo: Ed. Hemus,1980.
  • MISTÉRIOS DO DESCONHECIDO. Contactos Alienígenas. Rio de janeiro: Time-Life Livros,1993.
  • MISTÉRIOS DO DESCONHECIDO. O Fenômeno OVNI. Rio de janeiro: Time-Life Livros,1993.
  • NOBILE, Peter. UFO, Triângulo das Bermudas e Atlântida - O que há de verdade. Tradução de Gilson Cesar Cardoso de Souza. Melhoramentos: 1979.
  • HYNEK, J. A. Ufologia, Uma Pesquisa Científica. Uma apreciação crítica do problema dos UFOs/OVNIs pela mais alta autoridade no assunto.Tradução de Wilma Freitas Ronald de Carvalho. Rio de Janeiro: Editora Nórdica, 1972.

 


- Boletins
  • B23 Boletim da Sociedade Brasileira de Estudos de Discos Voadores - Edição 26-27
  • B46 Boletim da Sociedade Brasileira de Estudos de Discos Voadores - Edição 90-93
  • B63 - Boletim da Sociedade Brasileira de Estudos de Discos Voadores - Edição 1975
  • B64 - PEREIRA, Jader. Tipologia dos humanóides extraterrestres. Coleção Biblioteca UFO, nº 1, Março 1991.

 


- Artigos de Revistas
  • SBEDV. Contatos com extraterrestres no Brasil. Revista UFO, Campo Grande, nº 6, p.20-2, nov/dez 1988.
  • LAUDA, Jaime. O Caso Villas-Boas revisado. Ufologia Nacional e Internacional, Campo Grande, nº 3, p. 13-15, julho/agosto 1985.
     

 


- Documentos Oficiais

- Vídeos e Documentários

 


- Sites e Blogs

- Outros
  •