Caso Barney e Betty Hill - Os Abdutores

O Caso Barney e Betty Hill é um divisor de águas para a Ufologia Mundial, pois representou uma mudança radical na característica dos contatos entre humanos e os tripulantes dos misteriosos OVNIs.

Página 8 - As Evidências do Caso


Página 9 - Os Abdutores


Página 10 - O Mapa Estelar


Equipe CIPEX

Sumário:


 

 


Em Ufologia, honestidade é tudo. Ao copiar material deste site cite a fonte, assim como fazemos em nosso site. Obrigado!

 

Introdução

Um dos ramos mais interessante da pesquisa ufológica refere-se ao estudo dos tripulantes dos diferentes aparelhos catalogados pela Ufologia. O Caso Barney e Betty Hill, neste aspecto, fornece detalhes importantes para montarmos o quebra-cabeças envolvendo este nebuloso aspecto do Fenômeno OVNI. As informações que Barney e Betty Hill nos oferecem foram obtidas através de hipnose regressiva, com excessão da lembrança consciente de Barney, quando este parou o carro e aproximou-se do objeto para observar melhor. Nesta ocasião ele pôde ver um dos tripulantes na janela, a bordo do objeto, olhando-o detidamente e um outro de costas, operando algum instrumento. Sua descrição inicial, sem hipnose, é influenciada por experiências anteriores que Barney teve ao longo de sua vida. Num primeiro momento ele compara os tripulantes observados conscientemente à irlandeses que o tratavam em geral de forma preconceituosa, por ele ser negro. Num segundo momento, ele compara os tripulante do aparelho com soldados nazistas, devido à sua experiência como soldado na Segunda Guerra Mundial e pela forma rígida e precisa com que os tripulantes se deslocavam. Mais tarde, sob efeito da hipnose, tanto Barney quanto Betty puderam descrever os seres de forma precisa, pois estiveram com ele por algumas horas, durante a abdução. Betty Hill pôde oferecer maiores detalhes pois ela manteve um contato cordial e mais amistoso para com seus abdutores. Barney, por sua vez, tentou resistir e foi dominado, ficando durante algum tempo em estado semi-consciente.

Algumas fontes, de linha cética, trazem detalhes anatômicos um pouco diferentes daquelas encontradas em outras fontes. Em geral elas descrevem os tripulantes do aparelho como tendo pouco mais de 1 metro e meio de altura, com peitos largos, nariz comprido, pele acinzentada, lábios azulados, cabelos e olhos pretos. Sua vestimenta é descrita como azul acinzentada. Esta descrição é baseada nos pesadelos de Betty Hill e não estão totalmente de acordo com as lembranças vívidas de Barney, nem com as descrições obtidas por meio de hipnose com o casal.

Assim, a descrição mais detalhada e aceita, obtida através de hipnose e lembranças residuais seria a seguinte:  

  Líder, Examinador e Demais Tripulantes O Observador Pequeno
Altura Estimada 1 metro e meio 1 metro
Cabeça Seu crânio tinha uma estrutura alargada Descrito como semelhante à bola de basquete
Rosto Eles tinham variedade de faces, com aparência frágil, com aspecto mongolóide Aparência frágil, com aspecto  mongolóide
Olhos Os abdutores tinham olhos inclinados e alargados, que prolongavam-se em torno dos lados do seu rosto, indicando visão periférica, lembrando olhos de um gato, ao invés de olhos orientais.  Embora sua íris pareça preencher a maior parte do olho destas criaturas, a área circundante, branca nos humanos, era de aspecto amarelado nestas criaturas. Seu piscar de olhos não era perceptível, sugerindo a possibilidade de existir uma membrana transparente isolando os olhos do ar e das impurezas. Olhos inclinados e alargados, que prolongavam-se em torno dos lados do seu rosto, indicando visão periférica, lembrando olhos de um gato, ao invés de olhos orientais.
Nariz Nariz era largo, plano e comprido Nariz era largo, plano e pequeno
Boca Não foi percebido muita mobilidade em sua boca. Barney descreveu um sorriso logo no começo de sua abdução, mas aparentemente estes seres não demonstravam alegria ou tristeza. Foi observada uma espécie de membrana na parte interna da boca quando esta se abria e durante comunicação entre eles, esta membrana vibrava produzindo um zumbido que era aparentemente uma linguagem natural deles. Com uma pequena e fina fenda, no lugar da boca
Orelhas Não foram vistas orelhas como no gênero humano. Apenas orifícios, aparentemente cobertos por uma membrana. Não foram vistas orelhas como no gênero humano. Apenas orifícios, aparentemente covertos por uam membrana
Mãos mãos com quatro dedos longos e delgados, e um polegar. Suas mãos tinham quatro dedos curtos, grossos e um polegar
Pilosidade Não foi observado cabelo, sobrancelhas ou cílios Não foi observado cabelo, sobrancelhas ou cílios
Aspectos da Pele Sua pele tinha um tom acinzentado Sua pele tinha um tom acinzentado
Tórax Com ombros larrgos Seu pescoço era grosso, com ombros largos e tórax arredondado
Pernas e Pés Suas pernas eram finas e seus peitos largos Suas pernas eram finas e seus peitos largos.
Comunicação    
Vestimenta    
Comportamento Cordial Hostil, autoritário, amedrontador, zangado


É curioso a forma como os detalhes completam o Caso Hill. A descrição precisa dos tripulantes do OVNI, sua curiosidade científica em relação à nós, as semelhanças, as diferenças e o desenvolvimento dos fatos levantam mais perguntas do que respostas. O que pudemos apurar disso tudo parece ser a ponta de um gigantesco iceberg.

Vejamos por exemplo, a caracteristica física destes seres, apresentada na tabela anterior. Observa-se uma clara similaridade entre o biotipo alienígena e o biotipo humano. Cabeça, com dois olhos, um nariz, uma boca, dois membros superiores, dois membros inferiores. Na verdade exatamente o que deveríamos esperar de um povo capaz de realizar uma viagem interestelar. Betty Hill, após as sessões de hipnose regressiva com o Dr. Simon, mergulhou de cabeça na pesquisa de casos de abdução que começaram a surgir nos anso que se seguiram. Ela acreditava na possibilidade de termos antepassados em comum com os alienígenas que nos visitam, ou então eles mesmos serem nossos antepassados. Ela acreditava ainda na possibilidade de que o mundo deles tivesse escassez de água, luz e alimentação, obrigando-os à pesquisar novos mundos numa busca para resolver seus problemas.

Essa busca os leva à planeta com condições diferentes daquelas de seu mundo de origem. Isso parece encontrar força em certos aspectos do depoimento do casal. Dois exemplos disso são encontrados logo no começo da abdução, onde os tripulantes do aparelho aproximam-se com um andar arrastado, como se eles tivessem dificuldades de locomoção no ambiente terrestre. Ainda do lado de fora, um dos tripulantes abriu a boca e puxou a respiração, como se sentisse falta de ar momentânea. A julgar pelos detalhes seu mundo possui uma gravidade ligeiramente menor que a terrestre, e com uma composição atmosférica diferente da nossa.

Outro ponto curioso a ser observado é a aparente hierarquia entre os tripulantes do objeto. Betty Hill os identificou como o examinador, o lider, e o pequeno homem, além dos outros tripulantes. O examinador, identificado pelo líder como sendo um fisiologista era o encarregado das análises biológicas no casal. Os outros tripulantes prestavam auxílios eventuais durante os procedimentos que se seguiram. O comportamento destes era de viva curiosidade e muitas vezes de surpresa, diante dos fatos e dados obtidos mediante a análise.

O líder era o intérprete e o único a manter longa comunicação com Betty. Foi ele quem apresentou o mapa à abduzida e questionou-a sobre aspectos da vida humana, sociedade, etc. Havia também o homem pequeno, que transmitiu insegurança, hostilidade e medo à Betty. Este ficava o tempo todo por perto, como que inspecionando o que era realizado, com uma aparente autoridade sobre tudo e todos.

"Ele continua me olhando, olhando. Quero chutá-lo por causa da maneira como está olhando para mim. Ele me faz sentir medo. Seu chuto, ele vai saber que eu não tenho medo dele".

Este tripulante foi o mesmo que impediu que Betty Hill trouxesse um livro como prova de sua experiência de abdução. Quando fez isso, olhou para Betty com aparência zangada e com um comportamento autoritário. Betty suspeitou que aquele com a qual ela manteve conversação e chamou de líder era apenas um intérprete, e que talvez o verdadeiro líder seja este outro tripulante.

As comunicações entre os tripulantes e o casal também são interessantes. Barney descreve a vocalização de seus abdutores: "suas bocas se movem e eu posso vê-lo". Quando suas bocas moveram emitiram sons que Barney descreveu como: "Oh-oh-oh-oh-oh. Eles abriram suas bocas mas eles não não estão falando comigo". Barney descrevia que os seres comunicavam-se entre si nessa lingua estranha e diferente.

Betty descreveu a vocalização de forma semelhante: "Oh, ele fez um som. Eu não consigo entender em inglês. A tripulação faz diferentes sons, como "Ah-ah-ah-ah-ah-ah", murmurando. Na verdade eles não murmuravam como nós murmuramos. O Líder e o examinador não murmuravam como o resto da tripulação. Elas pareciam como palavras, como sons de palavras. Ela não conseguiu identificar o idioma que usavam, entendendo apenas quando o líder falava diretamente para ela. Ela também entendeu algumas poucas vezes coisas ditas pelo examinador.

Alguns anos após as sessões de hipnose regressiva, um artista do estado de New Hampshire, David Baker, fez o retrato falado dos tripulantes a partir da descrição de Barney, durante uma reunião na casa do artista. Várias pessoas estavam presentes na ocasião. Durante a confecção do trabalho apenas Barney Hill permaneceu na sala, fornecendo informações. Com o término do trabalho, o artista mostrou o retrato falado à Barney, que reagiu com visível emoção à figura. Pouco depois, o artista apresentou o retrato à Betty, que de início se afastou, dirigindo-se até o outro lado da sala, andando em círculos por algum tempo para em seguida parar sobre uma janela, visivelmente abalada.


Retrato falado do Examinador

Representação do momento em que Barney observa os tripulantes do aparelho pouco antes da abdução

Busto do "Líder" criado a partir das informações de Barney e Betty Hill, obtidos via hipnose

 

Conheça este caso mais detalhadamente acessando nosso menu abaixo:

 
Os Protagonistas
Quem são Barney e Betty Hill? Conheça um pouco de sua história.

Os Pesquisadores
Ao longo dos anos vários foram os pesquisadores que investigaram o caso. Conheça os principais.

A Abdução
Saiba como foi a experiência lembrada a nível consciente por Barney e Betty Hill.

Os Pesadelos de Betty Hill
Após o episódio de abdução Betty começou a ter vários sonhos vívidos e reveladores sobre sua experiência.

A Investigação
Diante de tantos mistérios envolvendo suas experiências, Barney e betty Hill iniciam suas próprias investigações.

As Hipnoses Regressivas
Barney e Betty finalmente se submetem à hipnose regressiva para vencer o bloqueio mental e seus efeitos.

Entrevista com Betty Hill
Betty Hill em entrevista para uma revista americana.

As Evidências
Conheça as evidências que confirmam a veracidade do caso Hill.

Os Abdutores
Quem são os tripulantes da nave que abduziu o casal? Conheça suas características.

O Mapa Estelar
Saiba como foi a investigação envolvendo o mapa estelar visto e desenhado por Betty Hill.

O Vestido Azul
O vestido que Betty usava quando foi abduzida é analisado e o resultado é supreendente.

As Controvérsias
O Caso Hill gerou controvérsia e debates acalorados entre céticos e ufólogos.

Galeria do Caso
Fotografias, imagens e desenhos referentes ao caso.



Comentários (3)

Você está revendo: Caso Barney e Betty Hill
Sort
5/5 (3)
FacebookGoogle+Twitter
Gravatar
Full StarFull StarFull StarFull StarFull Star
Cláudio (Atibaia) diz...
Este é um dos maiores casos da Ufologia mundial. As estranhas luzes vermelhas nas "pontas" do objeto, foram relatados por um avistamento testemunhado pelo meu cunhado recentemente. Ele disse claramente que o objeto que ele avistou tinhas duas luzes vermelhas nas pontas. Muito intrigante.
13 July 2016 18.16
Gravatar
Full StarFull StarFull StarFull StarFull Star
ana clara (balsas maranhao) diz...
ADOREI , SEMPRE VOU FAZER MINHAS PESQUISAS NESSE SITE , DEMAIS
8 July 2016 21.07
Gravatar
Full StarFull StarFull StarFull StarFull Star
Julio Cesar (São Paulo) diz...
Eu adoro o caso Varginha e o caso Barney e Betty Hill.o caso Hill é o caso Ufológico que eu mais gosto e vi o documentário sobre esse caso duas vezes e é o caso que eu conhece mais,posso até contar esse caso para alguém,pois sei de cór.parabéns,quem adora Ufologia não pode esquecer desse caso e voce é um desses que não esqueceu.te considero muito jackson.e fala pro seu aluno da aula de informática que agradeço muito a ele por passar o msn e o seu orkut(o Lucas). :D
6 July 2016 14.57
Página 1 de 1

Adicionar Comentário

* Informação requerida
(não será publicado)
 
Bold Italic Underline Strike Superscript Subscript Code PHP Quote Line Bullet Numeric Link Email Image Video
 
Smile Sad Huh Laugh Mad Tongue Crying Grin Wink Scared Cool Sleep Blush Unsure Shocked
 
3000
 
Notifique-me de novos comentários via email.
 



Referências:

- Livros
  • FRIEDMAN, Stanton e MARDEN, Katheleen. CAPTURED: The Betty and Barney Hill UFO Experience. New Jersei: New Page Books, 2007.
  • DURRANT, Henry. Primeiras investigações sobre os humanóides extraterrestres. Tradução de Luzia D. Mendonça. São Paulo: Ed. Hemus,1980.
  • MISTÉRIOS DO DESCONHECIDO. Contactos Alienígenas. Rio de janeiro: Time-Life Livros,1993.
  • MISTÉRIOS DO DESCONHECIDO. O Fenômeno OVNI. Rio de janeiro: Time-Life Livros,1993.
  • NOBILE, Peter. UFO, Triângulo das Bermudas e Atlântida - O que há de verdade. Tradução de Gilson Cesar Cardoso de Souza. Melhoramentos: 1979.
  • HYNEK, J. A. Ufologia, Uma Pesquisa Científica. Uma apreciação crítica do problema dos UFOs/OVNIs pela mais alta autoridade no assunto.Tradução de Wilma Freitas Ronald de Carvalho. Rio de Janeiro: Editora Nórdica, 1972.

 


- Boletins
  • B23 Boletim da Sociedade Brasileira de Estudos de Discos Voadores - Edição 26-27
  • B46 Boletim da Sociedade Brasileira de Estudos de Discos Voadores - Edição 90-93
  • B63 - Boletim da Sociedade Brasileira de Estudos de Discos Voadores - Edição 1975
  • B64 - PEREIRA, Jader. Tipologia dos humanóides extraterrestres. Coleção Biblioteca UFO, nº 1, Março 1991.

 


- Artigos de Revistas
  • SBEDV. Contatos com extraterrestres no Brasil. Revista UFO, Campo Grande, nº 6, p.20-2, nov/dez 1988.
  • LAUDA, Jaime. O Caso Villas-Boas revisado. Ufologia Nacional e Internacional, Campo Grande, nº 3, p. 13-15, julho/agosto 1985.
     

 


- Documentos Oficiais

- Vídeos e Documentários

 


- Sites e Blogs

- Outros
  •