O Caso de Los Paraísos

Caso de avistamento com vestígios físicos ocorrido em Los Paraísos, a 40 Km de Buenos Aires, na Argentina, em 20 de julho de 1968.


Equipe CIPEX

Sumário:


 

 


Em Ufologia, honestidade é tudo. Ao copiar material deste site cite a fonte, assim como fazemos em nosso site. Obrigado!

 

Introdução

Em 20 de julho de 1968 ocorre um interessante caso com evidências físicas posteriores, na estância Los Paraísos, a 40 quilômetros de Buenos Aires, na Argentina. Por volta das 20:15 hs, vários moradores de fazendas da região observaram, assombrados, um estranho fenômeno sobre as árvores locais. Era como se houvesse um furacão dobrando as árvores em sentido leste, embora não houvesse ventos na ocasião. Dentro da Estância Los Paraísos observaram um objeto, em formato de disco, brilhante, sendo na parte superior amarelo, na parte central azul e branco na parte inferior. O estranho objeto realizava movimentos rotatórios e emitia um ruído suave.

Depois de alguns minutos, o objeto alçou voo em rápida velocidade em direção ao Oeste, produzindo uma nova inclinação nas árvores, em sentido contrário ao movimento do objeto (leste).

No dia seguinte, vários moradores da região foram até o local onde o fato ocorreu e encontraram três árvores danificadas. Todas elas estavam quebradas a uma altura de 5 metros do solo. Estas árvores estavam situadas próximo à uma linha de alta tensão, que não sofreram danos. Nesse mesmo local haviam vários pedaços de um material semelhante à lenha queimada. Alguns moradores apanharam amostras deste material e constataram que por fora ele apresentava-se carbonizado, enquanto que na parte interna apresentava-se brilhante.

"Fomos lá e pessoalmente examinamos tudo. O encarregado da fazenda me disse que o objeto emanava uma luz tão intensa que se viam as árvores a uns 200 metros de distância...".

Várias amostras destes materiais ali coletados foram enviadas para análises em dois laboratórios distintos e em ambos os casos o resultado foi o mesmo:

"Plástico termorígido contendo:
86,5% de fósforo;
9,7% de manganês
2,8% de gêsso;
1,4% de resina
0,5% de enxofre

Testes indicaram que a amostra foi submetida a uma temperatura mínima de 1500º graus centígrados.

Um detalhe interessante sobre estas substâncias encontradas nas amostras é a concentração de fósforo num estado de pureza elevado. Na época a maior concentração de pureza em fósforo estava em torno de 79%. A amostra apresentava um grau de pureza maior, chegando a 86,5%, o que impressionou os pesquisadores.


Imagem disponível no Bol. da SBEDV, edição 81/84, documentando as amostras obtidas em Los Paraísos


Comentários

Sem comentários.

Adicionar Comentário

* Informação requerida
(não será publicado)
 
Bold Italic Underline Strike Superscript Subscript Code PHP Quote Line Bullet Numeric Link Email Image Video
 
Smile Sad Huh Laugh Mad Tongue Crying Grin Wink Scared Cool Sleep Blush Unsure Shocked
 
3000
 
Notifique-me de novos comentários via email.
 



Referências:

- Livros
  •  

 


- Boletins
  • Boletim da Sociedade Brasileira de Estudos de Discos Voadores (SBEDV) - edição 81/84

 


- Artigos de Revistas
  •  

 


- Documentos Oficiais
  •  

 


- Vídeos e Documentários

 


- Sites e Blogs
  •  

 


- Outros
  •