Caso Stephen Michalak - Relatórios de Investigação

Impressionante caso de aproximação da testemunha à um disco voador. Tal imprudência resultou em graves ferimentos na testemunha.
Você está aqui:
Página Inicial >> Casos Ufológicos >> Caso Stephen Michalak >> Relatórios de Investigação

Página 4 - Entrevista com Stephen Michalak


Página 5 - Relatórios de Investigação


Página 6 - Documentos Oficiais


Por Jackson Luiz Camargo - ufojack@yahoo.com 

Sumário:


 

 


Em Ufologia, honestidade é tudo. Ao copiar material deste site cite a fonte, assim como fazemos em nosso site. Obrigado!

 

Introdução

Após o fato, os militares da Força Aérea Canadense e investigadores da Real Polícia Montada Canadense realizaram várias investigações na região onde o caso ocorreu. As primeiras investigações, em companhia de Stephen Michalak mostraram-se infrutíferas, pois a testemunha aparentemente não conseguia encontrar o local do fato. Com base nas informações presentes nos documentos oficiais, Stephen Michalak sabia exatamente onde o disco voador pousou, porém estava mantendo o local em segredo para não comprometer as pesquisas geológicas que havia realizado na região. Ele tinha forte interesse econômico na área, onde ele havia encontrado evidências de minerais valiosos na área.

Então, nas semanas que se seguiram, os investigadores do Governo Canadense realizaram algumas buscas por terra e por ar, com o auxílio de um helicóptero, em busca do local exato do pouso. Tal busca também foi infrutífera. Por outro lado, Stephen Michalak voltou ao local do fato em companhia do ufólogo . Barry Thompsom, da Aerial Phenomena Research Organization (APRO) e de seu sócio Gerald Hart. Eles fotografaram a área do pouso, onde percebe-se um círculo queimado de aproximadamente 4 metros e meio.

Somente em 27 de julho ele finalmente levou os investigadores do governo ao local onde o caso ocorreu. Eles mediram o local do pouso, coletaram amostras e realizaram também entrevistas com policias e comerciantes que tiveram contato com Michalak na época do caso.

Entre os documentos oficiais do Governo Canadense sobre o caso, o memorando REUR 67 D 700-130 declara que amostras de Terra foram analisadas em laboratório e indicaram a presença de radiação em valores acima do normal. Isso despertou preocupações na Divisão de Proteção à Radiação do Departamento de Saúde e Bem Estar. Um especialista em radiação foi enviado à Winnipeg para avaliar a situação. A área onde o caso ocorreu foi interditada e o assunto foi tratado como confidencial.

Outro memorando, o REUR CIB 2853, declara que as amostras de solo, a fita de aço encontrada no local e as roupas queimadas de Michalak foram analisadas em um laboratório do Departamento de Defesa. Os exames indicaram que a fita de aço também apresentava radiação.

Um memorando, datado de 13 de setembro de 1967, enviado pelo Dr. Hunt para a A. K. Dasgupta, informa que a divisão de Física da Seção de Avaliação e Controle de Segurança analisou, em nome da Real Força Aérea Canadense, amostras de solo, roupas queimadas e a fita de aço, buscando vestígios de contaminação radioativa. Uma análise espectral de três gamas de raios-gama das três amostras revelou níveis de atividade de aproximadamente 0,54Ci de Ra225 ou equivalente. O memorando cita que foram feitas reuniões entre representantes da RCMP, DND, representantes federais e provinciais de saúde, para definir ações a serem tomadas frente ao caso. Como resultado disso, os investigadores visitaram o Dr. Earl Campbell, da Clínica de Cancêr de Manitoba, para verificar a localização exata do silo de armazenamento de Radium, situado em East Braintree, local próximo à Falcon Lake, onde o caso ocorreu. A intenção era determinar se os índices de radiação acima do normal no local do pouso devia-se à um suposto vazamento de material radioativo. A investigação indicou que não havia vazamento de material radioativo. Eles também visitaram a Companhia de Cimento, onde Michalak trabalhava, para determinar se a empresa manipulava algum tipo de material potencialmente radioativo, ficando descartada essa possibilidade.

Além disso, os investigadores fizeram medições na casa de Michalak, em busca de potenciais elementos radioativos, incluindo nos locais onde as amostras coletadas na área de pouso do UFO foram colocadas após regressar de Falcon Lake. Foi detectado uma leve alteração radioativa nos sacos plásticos onde foram acondicionados amostras de solo do local de pouso e da roupa danificada de Michalak.

Em 1º de agosto de 1967, as amostras foram analisadas no Laboratório de Saneamento Ambiental do instituto Norquay. Elas foram testadas com Luz Ultravioleta, que revelou que estavam contaminadas com Radium. Análises semelhantes, realizadas na casa de Michalak deram negativo. Em seguida, as amostras seguiram para o RPD de Ottawa para novas análises.

Os relatórios do governo descrevem o ufólogo J. Barry Thompson como alguém desleixado. A APRO, por sua vez, é descrita como uma organização frouxa, formada por adolescentes. Apesar disso, os documentos reconhecem o trabalho investigativo de Thompson e descreve sua importância na investigação do caso.

Thompson levou algumas amostras de solo para o Departamento de Medicina Nuclear do Hospital Geral de Winnipeg, onde passou por uma análise espectral. Este teste foi realizado de forma não oficial, sem autorização dos chefes do departamento, sendo realizado pelo técnico George Dyck. Um das amostras atingiu 1,4 mev. Outros dois picos menores foram detectados.

Descartando possibilidades

Ao longo da investigação, várias possibilidades foram testadas. Os agentes entrevistaram funcionários do Motel que atenderam Stephen Michalak. O gerente afirmou que atendeu o geólogo por volta das 23 horas, na noite anterior ao seu contato em Falcon Lake. Ele afirmou que Michalak bebeu três garrafas de cerveja e questionou.

<

Em busca de maiores informações, eles entrevistaram a camareira do hotel que declarou que ao limpar o quarto onde ele esteve hospedado não havia garrafas ou bebidas alcoolicas presentes no local.


A senhora Martin Buseck, esposa do proprietário do hotel, declarou que MICHALAK se aproximou dela no início da tarde de 20 de maio de 67, no estacionamento do hotel. Ele estava segurando o casaco fechado no peito e pediu um médico. Ele foi avisado de que não havia um disponível e não existiria até 1º de julho. Ela lhe disse para procurar a RCMP. Ele acatou a dica e procurou a polícia, reencontrando o soldado Solotki. Todas as notas de compra de bebidas na loja de bebidas do Hotel foram verificadas nas datas de 19 e 20 de maio de 19687, com resultados negativos. Os moradores locais foram investigados, mas não viram ou ouviram nada de inusitado no dia em questão.

Apesar de todos os esforços, os documentos afirmam que o caso é inconclusivo e alguns fatos não podem ser explicadas cientificamente, tais como, sua doença, dor de cabeça e perda de peso durante um período de duas semanas imediatamente após a suposta visão; uma flutuação na contagem de células sanguíneas que ocorreu ao mesmo tempo; as queimaduras no peito, abdômen e roupas, bem como o círculo na rocha onde ele alegou que o OVNI pousou.

O Caso Stephen Michalak permanece ainda como um dos mais importantes e sólidos casos ufológicos canadenses e mundiais.


Stephen Michalak horas depois do seu contato, já com as marcas em seu abdomem

Detalhe das marcas observadas no corpo de Michalak

Marcas que ficaram no abdomem de Stephen Michalak

Reportagem de jornal da época divulgando o caso

 
O Fato
Saiba como ocorreu o encontro de Stephen Michalak com dois discos voadores nas proximidades do Lago Falcon, em Manituba, Canadá.

As Consequências
O encontro de Stephen Michalak com um disco voador pousado gerou queimaduras em seu abdomem. Conheça os detalhes.

Acompanhamento Médico
O encontro de Stephen Michalak com um disco voador pousado gerou efeitos fisiológicos diversos, que debilitaram o geólogo por várias semanas.

Entrevista com Stephen Michalak
Trechos da entrevista concedida por Stephen Michalak à investigadores da Real Polícia Montada Canadense.

Relatórios de Investigação
Conheça detalhes da investigação da Real Polícia Montada Canadense e da Real Força Aérea Canadense sobre o Caso Michalak.

Os Documentos Oficiais
Acesse os documentos oficiais do Governo Canadense sobre o caso.


Comentários

Sem comentários.

Adicionar Comentário

* Informação requerida
(não será publicado)
 
Bold Italic Underline Strike Superscript Subscript Code PHP Quote Line Bullet Numeric Link Email Image Video
 
Smile Sad Huh Laugh Mad Tongue Crying Grin Wink Scared Cool Sleep Blush Unsure Shocked
 
3000
 
Notifique-me de novos comentários via email.