O Misterioso Caso Barroso - Entrevista com o Doutor José Pellegrino Alves

Um dramático caso ufológico em que a testemunha foi atingida por um feixe de luz no rosto. Posteriormente entrou em processo de rejuvenescimento físico e mental deixando médicos estupefatos.

Página 6 - Entrevista com o Jornalista Sinval Carlos


Página 7 - Entrevista com o Dr. José Pellegrino Alves


Página 8 - Galeria do Caso


Por Reginaldo de Athayde (Baseado no livro: ETs, Santos e Demônios na Terra do Sol, de autoria de Reginaldo de Athayde, pesquisador original do caso).

Sumário:


 

 


Em Ufologia, honestidade é tudo. Ao copiar material deste site cite a fonte, assim como fazemos em nosso site. Obrigado!

 

Introdução

José Pelegrino Alves, amigo desde o tempo acadêmico, sempre se posicionou contra tudo que possa fugir ao normal, não aceitando a existência dos UFOs e, conseqüentemente, dos ETs. Quando era radioanimador enviava todas as mensagens pedidas, mesmo às altas horas da noite, e como médico socorria pessoas doentes que o procuravam, mesmo que elas não tivessem condições financeiras para pagar o seu trabalho, infelizmente, ele faleceu sem que nos dissesse o que realmente achava do Caso Barroso, mas nós tínhamos certeza de que, conscientemente, ele sabia que ali não existia psicose, neurose ou esquizofrenia, mas algo que, nem ele, grande especialista podia explicar. Certa vez, pegando-o numa “veia boa” conseguimos trocar algumas idéias sobre o Caso Barroso.

Athayde – Doutor Pelegrino, nós somos amigos há muitos anos, inclusive companheiros de Lions, radioamadorismo e irmãos de maçonaria. Portanto, creio que entre nós não haverá segredo em relação a este assunto. O que você percebeu no Caso Barroso, aquele cidadão de Quixadá que diz ter sido seqüestrado por um UFO e examinado por possíveis ETs?

Pelegrino – Bem... Ele é um paciente neurótico. Está com a idéia fixa de que manteve contato com ETs, e o que é pior: o médico dele em Quixadá, doutor Magalhães, colocou isso no prontuário dele quando o encaminhou para Fortaleza, para que nós pudéssemos tratá-lo.

Athayde – Por que você o considera neurótico e com idéia fixa se ele era normal, calmo e levava uma vida tranquila, somente mudando o seu comportamento depois do que aconteceu?

Pelegrino – Olha... Ele veio para cá com alguns problemas de coordenação motora, os cabelos tinham ficado grisalhos em poucos dias e, para azar dele, ficou impotente. É realmente terrível, não é?

Athayde – Por que você o considera um doente mental?

Pelegrino – Uma pessoa que diz ver espíritos, lobisomens, sacis e outras coisas, já deve ser olhado por um outro ângulo, embora nós médicos não devemos realizar diagnósticos precoces. Nesse caso, a história já começou errada. Ele disse que foi levado por um disco voador e esteve em contato com extraterrestres dentro de uma nave alienígena, mais depois não lembra de mais nada. A história é fantástica. Para mim ele é um doente que está com idéia fixa.

Athayde – Mas, somente porque você não acredita em ETs e naves espaciais considerou esse paciente como neurótico e esquizofrênico?

Pelegrino – Absolutamente. Não é bem assim. Nós fizemos inúmeros exames que nos levaram a crer que o paciente era desequilibrado mental.

Athayde – Você nos falou anteriormente no hospital que não havia encontrado um diagnóstico para Barroso e que, possivelmente, tratava-se de um caso de psicose. Poderia um cidadão, que nunca sentiu nada, sair de sua casa bem e duas horas depois voltar com um lado do corpo queimado, sem articular o próprio pensamento, aéreo, e ficando impotente e com os cabelos grisalhos repentinamente? Além do acúmulo de água no organismo e outras enfermidades que adquiriu em pouco tempo, tudo isso poderia ser considerado como neurose ou psicose?

Pelegrino – Não conheço o passado de Barroso e somente o vi quando ele veio a mim aqui no hospital. Portanto, tenho que ver o caso de acordo como ele se apresenta.

Athayde – Pelo que consta, a psicose e a paranóia não se apresentam assim com todas essas irregularidades.

Pelegrino – É. Na realidade não seria assim. Mas Barroso pode ter sofrido uma queda, agressão ou passado por uma experiência qualquer que o levou a este quadro clínico.

Athayde – Ótimo!... Como exemplo, ficar em frente com um disco voador e seus ocupantes. Para que choque maior do que esse?

Pelegrino – Acho. Mas não que tenha sido ETs...

Athayde – O que poderia ter sido?

Pelegrino – Eu não sei, mas nego-me a acatar a hipótese de seqüestro ou contato com ETs, porque isso não existe. Você não vê que é impossível?... Nós somos únicos, portanto, não tem fundamento. A não ser que ele tenha sido vitima de naves terrestres, de origem americana ou outra potência capacitada. Aliás, eu estou falando assim apenas para não ser totalmente contra seu posicionamento.

Athayde – Doutor, você conhece os inúmeros casos de pessoas que são levadas por naves de origem desconhecida. Isto acontece no mundo todo...

Pelegrino – Sim, já li, mas não significa que sejam casos verdadeiros. Você tem prova concreta sobre esses casos?

Athayde – Tenho sim!... Poderei mostrar a você na sede do CPU.

Pelegrino – Athayde... Tenha cuidado, senão você vai ficar igual ao Barroso, vendo discos voadores e louco...

Athayde – Eu já os vi e não sou pirado! Você mesmo declarou que sou inteligente e astuto. Portanto, contra o seu próprio pensamento de que quem vê discos voadores é psicopata, paranóico e outras coisas mais. E agora, como você vai explicar?

Pelegrino – Não mude de negócio. Não mude a história (riu baixinho por entre dentes) você quer que o homem tenha sido levado por um UFO... Pergunte ao Magalhães que ele lhe assegurará. Ele acredita, eu não...

Athayde – Doutor, como se apresenta a psicose?

Pelegrino – Você sabe, já trabalhou com isto. O comportamento é inadequado, estranho, a pessoa não se relaciona com o mundo real, podendo ter alucinações – aí entra o Barroso –, perdendo contato com seu ambiente. Em muitos casos o paciente não consegue ter um dialogo racional e lógico.

Athayde – E a paranóia?

Pelegrino – Quase sempre se apresenta por delírios persecutórios². Quando o paciente se convence de que alguém lhe quer fazer mal – olha aí o Barroso de novo – (riu baixinho olhando-me com ar de gozador), distorce o menor incidente tentando provar a verdade de suas fantasias que, ilusões, fogem ao controle racional... E agora, tenho ou não razão?

Athayde – Calma doutor! Até agora não há nada provado. A paranóia se apresenta de forma lenta, e não repentinamente como no caso do Barroso. Concorda? Ele não sentia nada, era normal e nem tinha o hábito de tomarem tranqüilizantes. Aliás, nem chá. Portanto, há algo estranho nessa história, não acha?

Pelegrino – Eu sei que o caso dele é esquisito, mas não se trata de ETs! Agora quem está com idéia fixa é você.

Athayde – Não Pelegrino, eu procuro apenas esclarecer o caso.

Pelegrino – Você vai publicar esta conversa que tivemos?

Athayde – Acho que não. Não sei. Já escrevi tudo sobre o Barroso...

Pelegrino – Cá pra nós... Eu jamais acreditei que houve um caso de seqüestro por extraterrestres, pois isso não existe. Mas a situação do Barroso é muito chata. Não temos um diagnostico certo e chegamos a estes resultados pelos exames e testes, mas achamos tudo muito esquisito, uma vez que ele não responde ao tratamento e continua piorando apesar da bateria de exames e medicamentos que toma. A medicina tem dessas coisas... casos que não pode chegar a uma conclusão, mas que são normais e explicáveis, podendo ser solucionados a qualquer momento. ETs, tenho certeza de que não foram.

Athayde – E o que foi então?

Pelegrino – Já falei que na medicina aparecem casos que não são explicados. Ele é um deles. Você quer saber mais sobre isso, fale com o Lobo, ele é um paranóico e nada mais.

Athayde – Pelegrino, se é um caso de paranóia ou psicose, este é um dos mais complexos, não acha?

Pelegrino – Já falei que concordo com a complexidade do caso, mas eu não posso acreditar que foram ETs. Não há nada que comprove isso. Ele não apresenta hematomas, focos cerebrais, rupturas, fraturas, nada. Ele não foi agredido e nem mexeram em seu cérebro, posso garantir. Gostaria de poder lhe apoiar, mas não posso. Isto é realmente o que penso.

Athayde – Ok! Sinto muito não concordarmos neste caso, mas voltarei, em outra oportunidade, a te interrogar sobre o assunto.

Conheça este caso mais detalhadamente acessando nosso menu abaixo:

Resumo do Caso
Conheça os detalhes envolvendo o Caso Luis Barroso Fernandes

Quadro Clínico de Barroso Após a Experiência
Saiba mais sobre o quadro clínico de Barroso e como os médicos encararam o caso

Entrevista com Luis Barroso Fernandes
Luis Barroso Fernandes, pouco tempo após o caso, concedeu entrevista à ufólogos, confira!

Entrevista com o Dr. Magalhães
Entrevista com o principal médico envolvido com o Caso Barroso

Entrevista com o Jornalista Jonas Sousa
Entrevista com o Jornalista Jonas Sousa

Entrevista com o Jornalista Sinval Carlos
Entrevista com o Jornalista Sinval Carlos

Entrevista com o Dr. José Pelegrino Alves
Entrevista com o médico Dr. José Pellegrino Alves, que atendeu Barroso em Fortaleza

Galeria Caso
Galeria com imagens, fotografias e desenhos sobre o caso.


Comentários (8)

Você está revendo: Caso Barroso
Sort
5/5 (7)
1 2 > último
FacebookGoogle+Twitter
Gravatar
Full StarFull StarFull StarFull StarFull Star
DIEGO CARVALHO GUIMARÃES (Sobral, Brazil) diz...
Experiência mal sucedida
10 September 2016 18.35
Gravatar
Full StarFull StarFull StarFull StarFull Star
Dinho diz...
Ele viu uma espaçonave e seus tripulantes antes, então como pode ter sido AVC? E o rejuvenescimento?
4 August 2016 09.47
Gravatar
Julia (Pará de Minas) diz...
Curioso o quadro apresentado. Acho difícil que a explicação do colega Charcot se sustente neste caso. Este senhor teve uma experiência ufológica que alterou seu estado de saúde que antes era perfeito. Seria uma coincidência muito grande tudo isso acontecer a este senhor justamente quando teve um contato ufológico. Estou convicta de que seus sintomas se devem à este caso. Disso não tenho dúvidas. É um caso inédito na Ufologia e na Medicina.
27 July 2016 13.23
Gravatar
Full StarFull StarFull StarFull StarFull Star
Charcot diz...
Hipertenso nao-diagnosticado >> insuficiencia cardiaca >> AVC embólico frontotemporal à esquerda >> epilepsia focal sintomática.
Pele brilhante de jovem = anasarca ou edema generalizado.
Músculos rígidos = sindrome piramidal.
26 July 2016 15.43
Gravatar
Full StarFull StarFull StarFull StarFull Star
ana (andirá) diz...
acredito que o que aconteceu ao barroso não tenha sido intencional, e talvez consequencia do choque e radiação,teria ele tido um AVC e lesado a área cognitiva,levando-o a um estágio de vida inicial???
11 July 2016 21.18
1 2 > último
Página 1 de 2

Adicionar Comentário

* Informação requerida
(não será publicado)
 
Bold Italic Underline Strike Superscript Subscript Code PHP Quote Line Bullet Numeric Link Email Image Video
 
Smile Sad Huh Laugh Mad Tongue Crying Grin Wink Scared Cool Sleep Blush Unsure Shocked
 
3000
 
Notifique-me de novos comentários via email.
 



Referências:

- Livros
  • PRATT, Bob. Perigo Alienígena no Brasil. Tradução de Marcos Malvezzi Leal. Campo Grande: CBPDV, 2003.
  • ATHAYDE, Reginaldo. ETs, Santos e Demônios na Terra do Sol. Campo Grande: CBPDV, 2003.

 


- Boletins
  •  

 


- Artigos de Revistas
  • ATHAYDE, Reginaldo. Extraterrestres atacam e matam no nordeste. Revista UFO, Campo Grande, nº 7, p.7-11, abr/jun 1989.
  • Athayde, Reginaldo. Aliens provocam pânico e terror no sertão do Ceará. Revista UFO, Campo Grande, nº 17, p.36-38, ago/set 1991.

 


- Documentos Oficiais
  •  

 


- Vídeos e Documentários

 


- Sites e Blogs

- Outros
  •