Caso VASP voo 169

Um objeto voador luminoso acompanha um avião comercial durante voo entre Fortaleza e Rio de Janeiro, em 8 de fevereiro de 1982.


Por Jackson Luiz Camargo

Sumário:


 

 


Em Ufologia, honestidade é tudo. Ao copiar material deste site cite a fonte, assim como fazemos em nosso site. Obrigado!

 

Introdução

No dia 8 de fevereiro de 1982, um avião da VASP, decolou do aeroporto de Fortaleza com mais de 100 passageiros a bordo. No comando do avião havia o comandante Gerson Maciel de Brito, um piloto experiente com milhares de horas de vôo. Entre os passageiros algumas pessoas ilustres, como por exemplo o bispo auxiliar de Fortaleza, Dom José Teixeira e Dom Aloísio Lorscheider, o então cardeal arcebispo da mesma cidade.

O avião, um jato 727-200 (prefixo PP-SNG), decolou de Fortaleza às 01h50 da manhã e subiu ao seu nível cruzeiro. O vôo transcorreu normalmente durante 1 hora e 22 minutos. Faltava apenas 33 minutos para chegar em Petrolina (PE). Eles seguiam pela aerovia UR1 quando o comandante observou à esquerda da sua aeronave um foco luminoso que se assemelhava-se aos focos de luzes de outras aeronaves. O comandante achou muito estranho o fato de não ter sido reportado a presença de outras aeronaves comerciais ou da força aérea voando naquele setor, que seria um procedimento normal.

Neste momento, o comandante sinalizou com o faróis da aeronave buscando comunicação com a aeronave e diminuiu a luminosidade da cabide visando observar melhor o estranho objeto. Se o objeto que acompanhava o boeing fosse um avião comercial ou mesmo da Força Aérea Brasileira haveria uma resposta ao sinal luminoso, o que não ocorreu neste caso. Além da ausência de resposta ao sinal luminoso havia silêncio no rádio de bordo.

O estranho objeto acompanhou o avião à uma distância relativa na mesma velocidade deste. Segundo Brito, o objeto tinha luminosidade compacta, muito viva e bem diferente da produzida pelo planeta Vênus. A coloração do objeto era vermelho e laranja nas bordas e no centro branco-azulado. O OVNI realizava movimentos para cima e para baixo o que exclui a possibilidade de que o mesmo seja o planeta Vênus, como chegou-se a cogitar.

Mais tarde, em comunicação com o CENTRO-BRASILIA eles informaram todos os detalhes do avistamento. O Centro de Controle em Brasília informou que não tinha nenhuma informação a respeito e solicitou que outros aviões voando na região informassem caso avistassem alguma coisa. Um avião da Aerolíneas Argentinas, vôo 169, confirmou a presença do estranho objeto. Mais tarde, outro avião, desta vez da Transbrasil, vôo 177, reportou a presença do estranho objeto.

Quando o vôo 169 passava pela região de Belo Horizonte o comandante Gerson Maciel de Brito resolveu informar os passageiros sobre a presença do estranho acompanhante. Neste momento, o objeto aproximou-se ainda mais do boeing apresentando-se mais nitidamente. Neste momento, o CINDACTA entrou em contato informando ter detectado um alvo não identificado a 9 horas e a aproximadamente 8 milhas de distância (aproximadamente 12 km).

O objeto continuou a ser avistado até as proximidades do aeroporto do Galeão, quando saiu da lateral e posicionou-se à frente do avião. Após o pouso o objeto não foi mais visto. Logo após a experiência, o comandante Brito redigiu um relatório interno da VASP.


Aeronave 727-220, da VASP, prefixo PP-SNG, que foi acompnhado por um UFO luminoso, durante um voo de Fortaleza ao Rio de Janeiro, em 8 de fevereiro de 1982, em fotografia meses depois do incidente

Comandante Gerson Maciel de Brito

Representação do caso

Desenho representando o UFO, por Gerson Maciel de Brito

Rota seguida pela aeronave e pelo UFO, durante o voo 169

Trajetória de aproximação do avião e o movimento do objeto durante a manobra

Revistas abordaram o episódio


Comentários (8)

Você está revendo: Caso do Voo VASP-169
Sort
5/5 (6)
1 2 > último
FacebookGoogle+Twitter
Gravatar
Full StarFull StarFull StarFull StarFull Star
evo diz...
Em 1982, apesar de ja existir, não era comum maquinas fotograficas e filmadoras, nem comum e nem tão faceis de serem manuseadas
25 July 2016 14.23
Gravatar
Full StarFull StarFull StarFull StarFull Star
YESNO (São Paulo) diz...
Caro Jackson.

Normalmente entre os passageiros de avião há turistas com máquinas fotográficas, filmadoras. Pergunto:

- Alguma testemunha das mais de cem, tirou alguma foto? filmou?
- Não está faltando essa particularidade num caso tão interessante?

Qual sua opinião?

Abraços
21 July 2016 12.50
Gravatar
Fabio (São Paulo) diz...
Os dados celestes elaborados pelo software "Stellarium" indicam que o Cmte. Britto foi acompanhado pelo planeta Vênus...
9 July 2016 11.47
Gravatar
Full StarFull StarFull StarFull StarFull Star
Jackson Luiz Camargo (Curitiba - PR) diz...
Não. Não indicam. Vênus era observado ao mesmo tempo que o objeto avistado que teve variação de altitude, luminosidade e posição no céu, além de ter sido captado por radares do CINDACTA.
13 July 2016 18.29
Gravatar
Full StarFull StarFull StarFull StarFull Star
Sergio Govea (Brasília, Brazil) diz...
Vênus foi detectado pelos radares do SINDACTA ?Shocked
20 November 2017 22.54
1 2 > último
Página 1 de 2

Adicionar Comentário

* Informação requerida
(não será publicado)
 
Bold Italic Underline Strike Superscript Subscript Code PHP Quote Line Bullet Numeric Link Email Image Video
 
Smile Sad Huh Laugh Mad Tongue Crying Grin Wink Scared Cool Sleep Blush Unsure Shocked
 
3000
 
Notifique-me de novos comentários via email.
 



Referências:

- Livros
  •  

 


- Boletins
  •   Boletim da Sociedade Brasileira de Estudos de Discos Voadores -- nº 146/154

 


- Artigos de Revistas
  • BRITTO, G. M. Caso VASP 169: Um avião, seus tripulantes e passageiros, tomam contato real com emissários de civilizações extraterrestres. Ufologia Nacional e Internacional, Campo Grande, nº 8, 06-17, ago/198

 


- Documentos Oficiais

- Vídeos e Documentários

 


- Sites e Blogs

- Reportagem de Jornais
  •