Caso São Jorge do Ivai

Em fevereiro de 1991, surgem estranhos circulos em plantações de soja na cidade de São Jorge do Ivaí (PR). Pesquisadores detectaram anomalias dentro destas marcas.


Por Carlos Alberto Machado

 

 


Em Ufologia, honestidade é tudo. Ao copiar material deste site cite a fonte, assim como fazemos em nosso site. Obrigado!

 

Introdução

Em fevereiro de 1991 surgiu do dia para a noite um círculo de soja seca na cidade interiorana de São Jorge do Ivaí (PR) a 50 quilômetros de Maringá, que foi mostrada pela equipe de reportagem da Televisão Cultura de Maringá (Rede Globo local).

Ao lá chegarmos deparamos com o círculo de soja seca com 30 metros de comprimento e no seu centro três orifícios eqüidistantes formando um triângulo quase perfeito (fig. 01) Esses orifícios apresentavam aproximadamente de 80 cm. de profundidade por 10 cm. de largura. Descobrimos também que esse círculo estava gradualmente crescendo a cada dia, pois na época de sua descoberta – quando foi filmado pela televisão local – apresentava apenas 8 metros de diâmetro, ou seja, em aproximadamente 20 dias teria crescido 22 metros. A dois metros dos três orifícios encontramos outro fenômeno que deixou a população local perplexa. Havia um sulco em forma de “V” que realizava um corte de ponta a ponta do círculo, mas com um estranho detalhe. A soja que se encontrava no meio do círculo estava intacta e de pé (fig. 02). A poucos metros do local existia um segundo círculo de soja seca, que não apresentava orifícios. Em entrevista com testemunhas soubemos que na época em que foram encontrados os dois círculos, a soja seca estava deitada no sentido do centro para fora. Também descobrimos que aproximadamente 20 aparelhos de televisão nas residências próximas à plantação, bem como 10 terminais de computadores da COCAMAR local queimaram no mesmo dia, apesar da referida empresa possuir um para-raio no alto de sua torre. Lembramos aqui que uma forte interferência eletromagnética poderia causar esse tipo de fenômeno.

O fazendeiro e veterinário Julio Grochoski Neto convidou-nos a sua fazenda que se localiza a 5 km. de São Jorge do Ivaí, onde encontramos um terceiro círculo de soja seca com 14 m. de diâmetro, apresentando apenas um pequeno orifício em seu centro com 10 cm. de largura por 5cm. de profundidade. Encontramos duas fileiras de soja verde perpendiculares, que cruzavam o círculo, uma a direita e outra a esquerda do orifício central.

Realizei um pequeno teste prático com uma bússola em todos os orifícios encontrados e notamos uma forte interferência magnética. A bússola girava loucamente apenas quando a colocávamos dentro dos orifícios inclusive com uma breve aproximação. A agulha da bússola realizava movimentos que variavam de 180o a 360o, demonstrando que o ferro que se apresentava no solo estava provavelmente magnetizado.

Na semana seguinte voltei a São Jorge do Ivaí em conseqüência de mais dois círculos encontrados na soja.

A 5 km., em outra estrada que permite acesso a São Jorge na fazenda do Sr. Darci Zequi Crivelaro encontramos um círculo diferente em dois aspectos. Com 14 metros de diâmetro e um orifício de 23 cm. de largura por aproximadamente 5 metros de profundidade. A soja dentro do círculo estava verde enquanto que o restante da plantação se encontrava madura em época de colheita. Darci nos relatou que na época em que foi encontrado o círculo a soja estava murcha (e não seca) e que na borda do buraco (orifício) desprendia uma fumaça cinza em pequenas proporções. Encontramos também quatro sulcos em semicírculo escavados do final do círculo para fora (fig. 03). Cada um com medidas aproximadas.

Em nossa coleta de amostras realizadas neste caso específico, observamos a presença de pequenos pontos pretos na terra como se estivesse queimada somente em alguns pontos.

Outros dois círculos foram encontrados em locais diferentes em outras duas estradas que permitem acesso a São Jorge do Ivaí à aproximadamente 5 km. O último deles também apresentava três orifícios com características idênticas ao primeiro círculo, referentes à soja, e as medidas de profundidade, largura e distância.

Trouxemos as amostras para o Departamento de Física da Universidade Federal do Paraná (UFPR) na pessoa do Professor Germano Afonso, que realizou testes físicos relacionados ao magnetismo do solo, detectando grande variação magnética. A opinião do Prof. Germano Afonso, é de que se tratava de uma chuva de micro meteoros. Ignorando outras evidências apresentadas por mim, considerou apenas as amostras, pois estas contrariavam sua hipótese. Relutou em não aceitar qualquer outra hipótese em questão. Aproximadamente na mesma época ele e um outro cientista da mesma Universidade estiveram na cidade de Pato Branco pesquisando um caso similar aos encontrados em São Jorge do Ivaí. Encontraram um círculo de soja queimada com 4 orifícios de 10 cm. de largura por 4 metros de profundidade. Lá cavaram a terra tentando encontrar indícios de rastro de meteoritos, mas somente encontraram, interferência magnética nas amostras de solo. Estranhamente o Prof. Afonso prometeu-me alguns documentos contendo resultados das amostras, mas até a presente data não me foram entregues.

Observação

Onde estão os meteoros? Por que os aparelhos de TV e terminais de computador queimaram? Como e por que foram realizados os sulcos em forma de “V” onde a soja encontrava-se intacta e em pé? Por que duas fileiras de soja do terceiro círculo estavam verdes? Por que os círculos aumentavam de tamanho? Por que outras hipóteses como a do fenômeno OVNI foram ignoradas pelos físicos da Universidade Federal do Paraná?

Sabemos que o método científico trabalha com hipóteses e não apenas com uma hipótese. Estas características estão particularmente relacionadas ao fenômeno OVNI e para reforçar essa hipótese, temos o depoimento do piloto civil Carlos Roberto Grow que avistou da estrada em direção a Maringá, um estranho objeto que deixava uma pequena esteira de fumaça por onde passava. Segundo seu depoimento, nada conhecido se comparava ao que ele e outras pessoas haviam visto. Mais tarde veio a confirmar que nenhuma aeronave conhecida sobrevoou o local. Um amigo de Carlos Roberto, também piloto que sobrevoava a região em seu avião, também confirmou o avistamento do tal OVNI.

Mais uma vez a ciência ortodoxa está querendo tapar o sol com a peneira. Deixam vazar informações importantes e autênticas para tentar convencer o público de maneira geral que nada mais que meteoritos caíram no solo, formando figuras e orifícios geométricos e realizando fenômenos inusitados. Círculos estranhos com características mais estranhas ainda que de alguma forma estejam relacionados à ufologia, como o pó se relaciona a terra. Não há dúvidas que em fevereiro de 1991 fomos visitados por ilustres conhecidos – desconhecidos – que possivelmente vieram coletar amostras de soja e de solo, por algum motivo desconhecido por nós.

Artigo sobre os círculos na Revista Realismo Fantástico

O Misteriosos Círculos de São Jorge do Ivaí

por Carlos Alberto Machado

Muitos são os casos de efeitos físicos provocados em nosso meio ambiente por objetos voadores não identificados, mas nenhum desperta mais atenção do que as estranhas marcas deixadas em nosso solo. Mais raras e pouco frequentes são uma evidência de que objetos estranhos, talvez oriundos de outros planetas, pousam em nossa Terra. É comum nesses casos encontrarmos a forma de círculos, tripés ou triângulos em plantações ou solos variados. Também apresentam muitas vezes forte magnetismo ou radiação, contados através de contadores Geiger, bússolas e magnetômetros. O ufólogo americano Ted Phillips já pesquisou centenas de casos nos Estados Unidos, e recebeu material proveniente de várias partes do mundo. Após anos de experiência neste campo de pesquisas, Ted declara que estes fenômenos tem a sua origem extraterrestre, principalmente por não existir nenhum ponto que possa nos levar a acreditar tratar-se de um fenômeno terrestre.

Pesquisas no Paraná

Em 1982, pesquisamos o caso Salick [Caso Salick], onde encontramos um círculo queimado em meio a mata tropical da Serra do Mar, mais precisamente no município de Antonina. Este caso em particular após dois anos de sua ocorrência ainda apresentava índices de radiação letal ao ser humano. Agora em 1991, mais um registro de marcas circulares em solo paranaense foi pesquisado. No mês de fevereiro, a cidade de São Jorge do Ivaí (aproximadamente 30km da cidade de Maringá) foi palco da presença de extraterrenos, cerca de seis círculos misteriosos foram registrados.

Primeira visita

Nossa primeira visita a São Jorge do Ivaí foi consequência de uma pequena reportagem realizada por uma equipe de jornalistas da Televisão Cultura de Maringá (Globo local). Ao chegarmos na cidade recebemos o auxílio do Engenheiro Agrônomo Antônio Barbar que gentilmente nos levou ao local do círculo mencionado pela reportagem de televisão. Inicialmente nos deparamos com um círculo de soja seca com 30 metros de comprimento e em seu meio três orifícios equidistantes formando um triângulo quase perfeito (figura 1). Esses orifícios apresentavam uma profundidade aproximada de 80 centímetros por 10 cm de largura. Descobrimos também que este círculo estava gradualmente crescendo a cada dia, pois na época de sua descoberta quando foi filmado pela televisão local, apresentava apenas oito metros de diâmetro, ou seja, em vinte dias teria crescido vinte e dois metros. A dois metros dos três orifícios encontrados, outro fenômeno deixou a população local curiosa. Havia um sulco em forma de “V” que realizava um corte de ponta a ponta no círculo, mas com detalhe estranho. A soja que se encontrava no meio do sulco estava intacta e de pé (figura 2). A poucos metros do local, existia um segundo círculo de soja seca, que não apresentava orifícios. Em entrevistas com as testemunhas soubemos que na época em que foram encontrados os dois círculos, a soja seca estava deitada no sentido do centro para fora. Também descobrimos que aproximadamente vinte aparelhos de TV nas residências próximas à plantação, bem como dez terminais de computadores da COCAMAR local queimaram no mesmo dia, apesar da referida empresa possuir um para-raios no alto de sua torre. Lembramos aqui, que uma forte interferência eletromagnética poderia causar este fenômeno.

O fazendeiro e veterinário Julio Grochoski neto no levou à sua fazenda, a cinco Km de São Jorge do Ivaí, onde encontramos um terceiro círculo de soja seca, com 14 metros de diâmetro, apresentando apenas um pequeno orifício ao centro, com 10 cm de largura por 5 cm de profundidade. Aqui encontramos duas fileiras de soja verde que cortava o círculo, uma à direita e outra à esquerda do orifício central.

Segunda visita

Aproximadamente 5 km em outra estrada que permite acesso a São Joge do Ivaí, na fazenda do Sr. Darci Zequi Crivelaro, por consequência de nossa segunda visita, nos deparamos com um quarto círculo que apresentava características diferentes. Com 14 metros de diâmetro e um orifício de 23 cm de largura por 5 cm de profundidade aproximadamente. A soja estava verde, enquanto que o resto da plantação encontrava-se amarelada, já em época de colheita. Darci nos explicou que na época em que o círculo foi encontrado o círculo a soja estava murcha (e não seca) e nas bordas do buraco saia uma fumaça cinza em pequenas proporções. Em nossa coleta de amostras realizadas neste caso encontramos pequenas manchas pretas na terra como se estivesse queimada, em alguns pontos. Encontramos também quatro sulcos em semicírculo escavado no final do circulo para fora (figura3) cada um com medidas aproximadas. Mais dois círculos foram encontrados em locais diferentes a aproximadamente 5 km de São Jorge do Ivaí, em outro acesso. O ultimo deles também apresentava três orifícios com características idênticas ao primeiro círculo, referentes a soja e em medidas de profundidade, largura e distância. Realizamos um teste prático com uma pequena bússola em todos os orifícios e apresentou-se forte interferência eletromagnética em todos eles fazendo a agulha da bussola realizar movimentos de 180º à 360º, mostrando que o ferro que se apresentava na terra havia sido magnetizado. Trouxemos as amostras para a Universidade Federal do Paraná, que realizou testes físicos relacionados ao magnetismo da terra detectando grande variação magnética. A opinião dos físicos desta Universidade é de que se trata de uma chuva de meteoros. Mas nós perguntamos: Onde estão os meteoros? Por que os aparelhos de TV e os terminais de computador queimaram? Como e por que foi realizado o sulco em forma de “V” onde a soja encontra-se intacta e em pé? Por que duas fileiras de soja no 3º circulo estavam verdes? Por que os círculos aumentaram de tamanho?

Outros avistamentos

Estas características particularmente estão relacionadas ao fenômeno OVNI, e para reforçar esta hipótese, temos o depoimento do piloto civil Carlos Roberto Grow que avistou da estrada, em direção à Maringá um objeto que ele e outras pessoas caracterizaram no mínimo como estranho. Segundo o piloto nada parecido poderia se comparar ao objeto observado. Mais tarde, veio a confirmar que nenhuma aeronave conhecida sobrevoou o local, e um amigo também piloto confirmou suas suspeitas de um OVNI, pois também o viu no mesmo dia a bordo de seu avião. Aproximadamente na mesma época, uma equipe de professores da Universidade Federal do Paraná esteve m Pato Branco, uma pequena cidade no sul do Estado, e lá encontraram um circulo de soja queimada com quatro orifícios de 10 cm de largura por 4 metros de profundidade. Realizaram escavações, coletaram amostras de terra, mas não encontraram meteoros. Apenas interferência magnética nas amostras.

Mais uma vez a ciência ortodoxa querendo tapar o sol com a peneira. Deixam vazar informações importantes e autênticas para convencer o público de maneira geral, que nada mais do que meteoros caíram no solo formando figuras geométricas e realizando fenômenos inusitados. Círculos estranhos com características mais estranhas ainda, que se relacionam à Ufologia como o pó se relaciona à Terra. Não há duvidas que em fevereiro deste ano fomos visitados por ilustres conhecidos (desconhecidos) que provavelmente vieram coletar amostras de soja e solo por algum motivo desconhecido por nós.


Três buracos em um dos círculos na soja

Detalhe de um dos circulos

Um dos círculos dentro de uma plantação de soja madura

Vista geral da plantação onde o circulo surgiu

Detalhe do buraco no interior de um dos círculos

Vista geral da plantação onde o circulo surgiu

Proprietário das terras onde surgiram dois círculos

Proprietários da terra onde surgiu o círculo com 5 metros de diâmetro


Comentários

Sem comentários.

Adicionar Comentário

* Informação requerida
(não será publicado)
 
Bold Italic Underline Strike Superscript Subscript Code PHP Quote Line Bullet Numeric Link Email Image Video
 
Smile Sad Huh Laugh Mad Tongue Crying Grin Wink Scared Cool Sleep Blush Unsure Shocked
 
3000
 
Notifique-me de novos comentários via email.
 

Referências:

- Livros
  •  

 


- Boletins
  •  

 


- Artigos de Revistas
  •  

 


- Documentos Oficiais
  •  

 


- Vídeos e Documentários

 


- Sites e Blogs
  •  

 


- Outros
  •