Chupacabras - Casos no Chile

O Chile foi outro país que registrou, durante anos, uma grande incidência de ataques do misterioso Chupacabras.

Página 20 - Alienígenas Predadores: A Face Sinistra da Ufologia


Página 21 - Casos de Chupacabras no Chile


Página 22 - Casos de Chupacabras na Argentina


Por Jackson Luiz Camargo

Sumário:

 

 

Em Ufologia, honestidade é tudo. Ao copiar material deste site cite a fonte, assim como fazemos em nosso site. Obrigado!

 

Artigo

O Chile foi um dos países onde o fenômeno Chupacabras mostrou-se de forma mais intensa, deixando criadores de animais e autoridades estarrecidas. O primeiro fato ocorreu em 1º setembro de 1996, quando 60 galinhas apareceram mortas e sem sangue na região de Rancagua, 90km ao sul da capital, Santiago. Na ocasião, foi observado um objeto luminoso, de tamanho aparente maior do que a Lua Cheia. Autoridades de saúde da região coletaram amostras para exames laboratoriais, com o objetivo de identificar a causa das mortes. Não se sabe o resultado destas análises.

Em 3 de maio de 2000, em Concepción, Chile, Liliana Romero Castillo foi despertada por cães latindo e olhou para fora para ver um humanóide alado de 7 pés em seu jardim. Às 6 da tarde. no dia seguinte, seus filhos encontraram um cachorro morto e sem sangue, com duas marcas de perfuração na garganta. A polícia militar chilena o removeu logo depois. Cerca de 200 ovelhas foram mortas na área em torno de Calama, região de Antofagasta, Chile, nos primeiros vinte dias de maio de 2000.

De acordo com a imprensa, os próximos fatos envolvendo mortes de animais ocorreram em 18 de março de 2001, com a morte de dezenas de animais domésticos e de criação, na região de Calama. Algumas semanas depois, em maio, na região de Baquedano, 13 Km ao norte de Antofogasta (norte do Chile). Nove coelhos foram mortos dentro do seu espaço de criação, ao lado do restaurante “El Rutero”. Todos estavam sem sangue.

Naquele mesmo período, o paramédico Rodolfo Gonzales, recebeu uma chamada de Sierra Gorda (entre Baquedano e Calama), de um casal que teria enfrentado uma criatura estranha. Ao chegar ao local, atendeu o casal, que relatou que estavam em um carro, quando o Chupacabras apareceu e emitiu uma ordem telepática, pedindo que a garota saísse do carro. Ela destrancou o carro e começou a abrir a porta, mas percebeu que estava sob indução e fechou novamente a porta, pedindo ao seu amigo para ir embora. O rapaz não conseguiu mexer suas pernas, mas conseguiu dar partida no motor e acender as luzes, assustando a estranha criatura.

Duas semanas depois, a proprietária Evelyn Esbry, acordou pela manhã e dirigiu-se ao banheiro e ouviu alguns barulhos do lado de fora da casa. Eram seis horas da manhã e ela foi ao quintal para investigar. Ao sair, algo saltou em suas costas assustando-a. Ela se virou e observou um animal estranho, que a deixou paralisada. Ele escuro, peludo e tinha em torno de 1,80m, olhos grandes, luminescentes e avermelhados. Evelyn perdeu a consciência. Com a demora no retorno da sua esposa, seu marido, Walter Allaga, foi procurá-la e encontrou caída. Ele chamou o paramédico, Rodolfo Gonzales, que aplicou os primeiros socorros. Evelyn foi levada em estado de choque ao pronto socorro do Hospital Regional de Antofagasta, onde foi atendida. Constatou-se ferimentos em suas costas, nas mãos e na lateral do pescoço. Suas roupas estavam rasgadas. Um detalhe curioso em seu relato refere-se à uma possível comunicação telepática, ocorrida durante o traumático encontro. Evelyn relata que quando ela se virou e encarou o Chupacabra, enviou-lhe uma ordem telepática: "Não grite por ajuda". Depois de ouvir isso, ela desmaiou.

Estes dois casos sugerem que o misterioso ser possui realmente inteligência e poderes telepáticos, o que explicaria alguns aspectos enigmáticos verificados em ataques ocorridos em diferentes países. Outro aspecto curioso, em relação aos casos ocorridos em Baquedano refere-se à uma suposta captura de duas criaturas por parte das autoridades chilenas. Dois aviões, Boeing 767, chegaram à capital Santiago, em 12 de maio, oriundos de Miami. Eles transportaram dois grandes contêineres, com logotipos da NASA, que foram colocados em um voo especial da companhia AVANT, com destino à Calama, onde teriam sido embarcados dois chupacabras. A aeronave teria decolado à tarde, com destino desconhecido.

Uma das testemunhas desta operação de captura foi Mario Ramos, morador de San Pedro de Atacama. Segundo ele, um dos militares envolvidos na captura teria morrido atacado por uma das criaturas e que foi posteriomente capturada.

Nesta época, foram contabilizadas 105 áreas onde animais mortos em circunstâncias estranhas, e mesmo com a possível captura de dois chupacabras, os ataques continuaram, gerando críticas da opinião pública e manobras governamentais para tentar encerrar o assunto.

O senador chileno Carlos Cantero pediu um inquérito oficial ao Departamento do Interior, de Loa, sobre os fatos estranhos documentados na região. O senador também questionou como as autoridades responsáveis estavam tratando o assunto, junto à organizações ligadas ao meio agropecuário. Em resposta, o governador Francisco Segovia enviou uma missiva oficial ao Parlamento. A carta nº 367, datada de 29 de maio de 2001, informa que as investigações policiais, realizadas pelo vice-chefe da Polícia Civil de Calama, Sr. Adalberto Rehbein Yunge, não obteve testemunhos confiáveis sobre os fatos, com exceção do que foi noticiado pela imprensa. A carta segue informando que os promotores locais não emitiram qualquer ordem de investigação e também não receberam relatórios oficiais sobre estes fatos.

Diante da resposta evasiva dos meios envolvidos, o Senador Cantero declarou à imprensa:

"Suponho que o assunto possa ser muito interessante para a comunidade. No entanto, ninguém pode especular até termos provas científicas. Uma questão que gera esses níveis de comoção não deve ser deixada sem resposta. Portanto, as autoridades competentes devem agir. Além disso, ainda há esperança de receber informações de outras instituições que tenham participação direta no fenômeno, como funcionários do departamento de saúde".

Depois de coletadas as informações, ele assegurou que as medidas apropriadas sejam tomadas, caso contrário, ele não descartaria solicitar detalhes do caso, especificamente entre os meses de janeiro e junho do ano 2000. Durante esse período, os tribunais de Loa receberam relatos dos agricultores de Calama sobre a morte de seus animais domésticos. Ele afirmou que tem meios para acessar as conclusões e os detalhes das investigações ordenadas e praticadas pela polícia durante e após o período mencionado. Quando perguntado a ele sobre sua opinião em relação às investigações conduzidas por ufólogos, ele respondeu que não poderíamos dar crédito e nem confiar em "pessoas não qualificadas para conduzir esses tipos de investigações”.

O ufólogo Jorge Ferrer, do Centro UFO de Calama, comentou a declaração do senador Cantero.

"Há muitas evidências em relação a natureza deste caso, que em grande parte desafia a lógica humana, mas não houve a análise aprofundada necessária que a justifique. Entendo que o governo não pode redirecionar recursos para descobrir a existência dos Chupacabras enquanto houver problemas maiores na comunidade, como desemprego maciço. No entanto, como ufólogos e investigadores, temos outra percepção do fenômeno, e por esse motivo, louvo a iniciativa do senador Cantero".

Em março de 2002, um funcionário da mineradora BSK caminhava em direção à um contêiner utilizado como adega, em busca de uma peça de reposição. Era por volta das horas da manhã de uma noite fria, quando uma estranha criatura o atacou por trás, produzindo ferimentos em suas costas. Assustado, ele saiu correndo, gritando por socorro, sendo acudido por outros dois funcionários, que viram a estranha criatura fugindo do local. O fato gerou apreensão nos demais funcionários, que tiveram medo de trabalhar nos horários noturnos.

Em abril, o chupacabras voltou ao noticiário. Em 7 de abril de 2002, várias gaiolas e galinheiros na região de Santa Clara, no Setor de Talcahuano, foram violadas e várias galinhas foram mortas. Hernán Pino, um dos proprietários, afirmou que vários policiais e diversos moradores da região foram ao local e mostraram preocupação de que o enigmático ser fizesse novas vítimas. Os investigadores policiais ficaram estarrecidos ao constatar que as cercas de aço foram facilmente arrombadas e não havia indícios de que o ataque tenha sido realizado por animais conhecidos.

Em locais como Licanantai, Calama, Baquedano, Sierra Gorda ou Hornito Horn, não apenas foram relatadas mortes de cabras, lhamas e alpacas, mas também de coelhos, gatos e cães de guarda.

No ano seguinte, 2003, ocorreram novos fatos envolvendo o Chupacabras. Em meados de abril, dezenas de aves foram encontradas mortas e sem sangue em Lautaro, a 690 km de Santiago. Em meio à comoção, surgiu o cadáver de um alegado chupacabras, que teria sido capturado na região por moradores do assentamento Pinchulao e entregue aos cuidados de Ricardo Candia, responsável pela estação de TV local. Porém, o fato mostrou-se como mera exploração midiática, visto que o animal morto era apenas um filhote de gato mourisco.

Em 5 de maio, 40 aves de propriedade de Juana Raasch, foram mortas em uma noite, no pequeno vilarejo de Perquenco, em Temuco. No dia seguinte, 4 outras aves foram mortas na região.

Em 3 de julho deste ano, outro caso ganhou os noticiários. O pequeno zoológico Ty Koyam, em Pillanlelbun, a 15 km de Temuco, registrou a morte de 6 ovelhas importadas da Somália e de 9 cervos. Todos apresentavam ferimentos circulares e aparentes mordidas no pescoço, além de alguns ferimentos em outras partes do corpo. Os animais estavam espalhados pelo local, que era cercado e não foi violado. Os especialistas não conseguiram identificar a autoria do ataque e moradores locais rapidamente associado o fato ao chupacabras, passando a fechar seus animais em ambientes protegidos.

Alejandro Fuentes, dono do local, afirmou à imprensa que a investigação estava nas mãos do Serviço de Agricultura e Pecuária (SAG) da 9ª Região e da polícia, uma vez que a morte desses animais representa uma perda superior a quatro milhões de pesos chilenos. Para evitar novos ataques, e tendo em vista que outros animais como lhamas, alpacas, iguanas e macacos também ocupam o local, Alejandro Fuentes e seus assistentes colocaram armadilhas em toda a área, na tentativa de capturar o predador.

Em 15 de julho, 29 galinhas foram mortas no vilarejo de Rauco, próximo à La Palmilla, na 6ª Região. Elas apresentavam dois buracos no pescoço e não havia vestígios de sangue. O fato foi rapidamente associado ao chupacabras devido ao grau de estranheza verificado no local. Os proprietários das duas casas onde os ataques ocorreram não ouviram qualquer barulho estranho por ocasião dos ataques. Nem mesmo os cães de guarda das propriedades latiram. Maria Carolina Bravo, que perdeu 24 galinhas, encontrou um buraco no cercado, por onde supostamente o predador entrou.

O caso foi investigado por ufólogos do grupo GEO, de Curico. O ufólogo Alfredo Nilo visitou o local do incidente e identificou vestígios do misterioso predador. Ele coletou amostras de pêlos para análise em laboratório. O grupo havia coletado amostras semelhantes em casos ocorridos em Viña del Mar e poderia fazer uma comparação entre as amostras. Além disso, foram encontradas pegadas com garras, com características diferentes das apresentadas por cães e felinos.

A análise também revelou que o predador tinha garras muito afiadas, que produziram cortes e perfurações precisas nas aves. Outra descoberta interessante refere-se aos equipamentos de um dos moradores locais, que trabalha com perfuração de poços artesianos. Ele usou alguns instrumentos em um dos galinheiros onde a criatura atacou e descobriu-se que as ferramentas utilizadas apresentavam um índice de radiação acima do normal.

Dias depois, nas primeiras horas da manhã de 7 de setembro, um casal de Viña del Mar passou por uma experiência assustadora ao perceber que um animal estranho entrou e atacou os patos da família. Um dos animais sofreu uma perfuração na coluna e outros três animais desapareceram. Ao ver o estranho animal, eles o atacaram com uma carretilha de metal, porém o animal conseguiu escapar, desaparecendo rapidamente. Juan Silva Torres e Veronica Vildósola, moradores da rua Las Maravillas, em Santa Julia relatam à imprensa como foi a experiência. Veronica foi quem primeiro viu a criatura.

"Primeiro ouvi golpes nos telhados vizinhos. Era como se algo pulasse de um telhado para outro. De repente, ouvi algo como um pássaro muito pesado que pousou em nosso telhado. Ele imediatamente começou a arranhar o telhado com suas garras".

Diante do medo de que o animal ou o pássaro atacasse os patos mantidos no quintal ou as galinhas em suas gaiolas, ela acordou o marido para que ele pudesse ir dar uma olhada. Ao sair, Juan também viu o misterioso animal.

"Ao sair, vi um animal que não era um cachorro, apesar de parecer um cachorro. Estava em um canto, curvado sobre um dos patos que tinha. Eu peguei a chave que eu segurava na minha mão contra ela. Mas como não se mexia, comecei a golpeá-lo com a alça de um carrinho de mão de metal que estava no quintal. O animal fez alguns sons estranhos, como gemidos de dor. Se fosse um cachorro, teria latido e ganido. Mas não foi esse o caso".

Segundo Juan Silva, o animal tinha olhos muito brilhantes, uma característica recorrente em relatos envolvendo o chupacabras. Sua esposa estava próxima e tentou cercar o animal.

Eu estava segurando uma bengala para acertar o que pensava ser um cachorro. Foi quando vi o bicho tentando escapar. Fez isso em uma posição semi-ereta, como se estivesse debruçado sobre as duas pernas. Ele olhou para mim e também vi seus olhos brilhantes. Não sei se fiquei paralisada por medo ou por outro motivo".

Foi nesse momento que os cães da vizinhança começaram a latir furiosamente. Com a fuga do animal, eles acudiram o pato que estava sendo atacado, constatando que ele tinha um buraco profundo, com 2 cm de diâmetro. Outras duas aves desapareceram.

"Encontramos uma asa pertencente a um deles, mas os outros dois não pudemos encontrar, mesmo depois de sair para a rua e procurá-la. Mais tarde, tentamos ver de que maneira o animal poderia ter escapado, mas não encontramos nenhum ponto pelo qual ele pudesse ter atravessado. Achamos que só poderia ter voado para longe", declarou Veronica.

Ao analisar o local do ataque, eles encontraram pegadas com garras que eram diferentes das pegadas de cães. Na mesma época ocorreram ataques na região de Valparaíso e Quillota. Nesta última cidade, o misterioso ser também surgiu nas primeiras horas da manhã, pulando pelos telhados das casas.

Em agosto, ocorreu uma onda de ataques na região de Lota. Em 12 de agosto, quatro patos foram mortos em uma propriedade local. Na mesma noite, outro morador, chamado Steban Hidalgo, observou uma criatura de pêlos escuros, com aproximadamente meio metro de altura, em meio à plantas nas proximidades do local de ataque. No dia seguinte, 13 de agosto, outros seis patos foram encontrados mortos na propriedade do locutor Samuel Bustos, da rádio El Carbón. Os animais apresentavam duas perfurações no pescoço. Dois dias depois, Jorge Bello, que morava em frente ao estádio Federico Schwager, avistou um estranho ser voando sobre a região.

Em 18 de agosto, novo ataque, desta vez na propriedade de Ana Luisa Morales Inostroza, na rua Los Castaños, em Las Cruces. Sete galinhas estavam mortas e espalhadas pelo chão de terra, próximos ao galinheiro onde eram mantidas. Os animais haviam perdido a maior parte de sua plumagem e apresentavam marcas de dois centímetros no pescoço. Elas estavam aparentemente secas, sem sangue em seus corpos.

O local do ataque era cercado, mas havia um buraco, por onde supostamente o predador entrou por ocasião do ataque. Os dois cães que vigiavam a casa e outros dois na propriedade vizinha não latiram durante a noite.

Poucos dias depois, novo ataque, desta vez na região de Lota, em 23 de agosto. Vários animais, entre patos, galinhas e cães foram mortos em condições estranhas. O caso mais impressionante envolveu quatro pitbulls, usados para a guarda do complexo de Enacar. Dois adultos e dois filhos foram mortos, dentro do canil. Todos apresentavam perfurações, sendo uma atrás da orelha e uma na nuca e um dos filhotes estava cortado ao meio. Todos estavam visivelmente sem sangue. Outro detalhe estranho é que um fogão de ferro, próximo ao local e que pesava vários quilos, estava a um metro e meio de sua posição original. Apesar de ser uma área a beira mar de um lado, e cercada de muitos imóveis de outro, sendo também muito povoada, o ataque ocorreu no mais completo silêncio. Para aumentar o mistério, várias pessoas observaram, na noite anterior, misteriosa criatura, deslocando-se para a região.

Em 15 de outubro, foi a vez da fazenda Venus, de propriedade de Carlos Errazuriz, em Pan de Azucar, registrar a morte de animais. Cerca de 15 canários de estimação, foram encontrados mortos, inteiros, mas sem vestígios de sangue em seus corpos. Os animais estavam espalhados pelo quintal da propriedade. O grande mistério é como o animal teria atacado os canários, que estavam em um criatório próprio, protegido. Para serem retirados do local, o predador teria que usar muita força, para abrir a tela de malha que fechava o local. O proprietário afirma não ter ouvido algum durante a noite.

A população da região ficou mais apreensiva com a ocorrência de novas mortes, desta vez coelhos. Diante do quadro de assombro da população local, o Serviço Agrícola e Ganadero da IV Região (SAG) declarou que o culpado era um cão, sendo rechaçadas pelos proprietários dos animais mortos. A principal objeção dos moradores de Pan de Azucar tem a ver com a maneira como os animais foram mortos, pois alegam que não havia marcas de mordida. No caso dos canários, nenhum deles mostrava as marcas que um cachorro deixaria, apenas uma única marca de punção no peito. "É como se apenas o sangue deles tivesse sido extraído", insistem. Outro aspecto que chamou atenção é que nenhum barulho foi ouvido na noite dos ataques. "Se um cão selvagem estivesse envolvido, as galinhas teriam criado um tumulto. Além disso, há cães em todas as fazendas e nem sequer um único latido foi ouvido", diz um dos habitantes locais.

Em 5 de janeiro de 2004, Juan Berrios, motorista, trafegava pela rodovia, na região de Santa Filomena em direção ao terminal Las Vertientes quando de repente notou uma figura estranha no meio da estrada, a cerca de 70 metros de distância e que rapidamente sumiu. A cerca de cinco metros de distância, a figura reapareceu e ele ficou chocado, quase perdendo o controle do veículo. Ele dirigiu até uma para próxima para se recuperar do susto. Suas pernas tremiam.

"Eu nunca tinha visto nada assim. Era algo como um cachorro sangrando no focinho e se perdia nos arbustos em um único salto". No dia seguinte ele encontrou outro motorista que também havia visto a misteriosa criatura descrita como um animal bípede de 1,50 metros de altura, com patas traseiras como as de um canguru, mãos pequenas e curvas terminando em garras, cristas afiadas como a de um porco-espinho correndo por suas costas, uma cauda com um chocalho, um focinho como aquele de um lobo feroz, várias fileiras de dentes e olhos vermelhos vorazes.

Em 8 de novembro de 2004, ocorreu um novo e impressionante caso de ataque, desta vem em Chimbarongo, Colchagua. As 20 aves, de propriedade de Maria Gonzáles Becerra, eram mantidas em um galinheiro fechado e protegido, próximo à casa da proprietária. Durante a noite, os cães da região latiram, denunciando que havia algo de errado na região. Na manhã seguinte, ela encontrou suas aves mortas, com ferimentos no pescoço e sem sangue, espalhadas numa área de 100 metros. Os animais foram habilmente retirados da gaiola onde eram mantidas, sem que tais gaiolas fossem violadas.

Em 26 de julho de 2006 ocorreu outro ataque, desta vez em Quinta de Tilcoco, Rancagua, que resultou na morte de 15 galinhas, que apresentaram ferimentos no pescoço e estavam sem sangue. Durante o ataque, os cães da região não latiram e não foram ouvidos ruídos estranhos. Em 14 de fevereiro, Flor Vásquez encontrou várias galinhas mortas e sem sangue, na região de Curicó. Durante o ataque noturno, os cães da região uivaram.

Em 28 de fevereiro de 2007, foi a vez da propriedade de Ema Pou, em San Antonio, ser palco de ataques misteriosos. Doze gansos e dezenove patos foram mortos com uma perfuração na região da coluna vertebral. O caso foi investigado por especialistas do Servicio Agrícola y Ganadero (SAG) que culparam cães famintos pelo ataque, embora nenhuma prova tenha sido fornecida ou mesmo qualquer animal tenha sido devorado. O mistério aumentou devido ao fato de não terem sido encontrados pegadas ou vestígios de cães no local de ataque. Além disso, foram encontradas pegadas de um animal desconhecido, de grande porte, com 3 dedos com garras, algo semelhante que foi encontrado em locais de ataques de Chupacabras em diversos outros países. Com o surgimento de relatos de moradores que teriam visto uma criatura, peluda, com olhos grandes e intimidadores, a população começou a ficar assustada.

No ano seguinte, 2008, novos casos aconteceram. Em 21 de julho, várias aves foram mortas em Puquillay Alto. A proprietária, Flor Pérez, encontrou suas aves fora do abrigo, mortas com perfurações na coluna vertebral e aparentemente sem sangue. A investigação do ambiente não identificou vestígios, pegadas ou pelos de cães. Além disso, o animal atacante mostrou força e inteligência, pois ele quebrou a malha de metal que protegia as aves.

Em 11 de julho, ocorreu outro ataque, desta vez em La Chimba, norte de Antofagasta. As 7 cabras e 1 cordeiro estavam mortos, com o pescoço quebrado, com feridas no pescoço e sem vestígios de sangue. Os animais foram descobertos pelos proprietários, Margot Nuñez e Mario Rojas, que denunciou o fato às autoridades. O caso foi investigado por policiais e por especialistas do Servicio Agrícola y Ganadero (SAG) que concluíram que o ataque foi obra de cães, embora não houvessem provas disso.

Em 10 de novembro ocorreram novas mortes misteriosas em Calama. Treze galinhas e 12 coelhos, de propriedade de Talita René Antonio Tabilo, foram mortos com ferimentos no pescoço. Os animais não apresentavam sangue em seus corpos. A gaiola onde os animais estavam guardados não foi violada, o que aumenta o mistério indicando que o predador era hábil e inteligente.

Novos ataques ocorreram em 2011, com ataques na região de Coltauco, Cuesta de Idahue, Quilpe e Calle Larga. Em 7 de abril, 2 galinhas, de propriedade de Miguel Ángel Pérez, foram mortas em circunstâncias estranhas. Poucos dias depois, em 13 de abril ocorreu um outro ataque, vitimando as galinhas restantes. A investigação revelou que o predador entrou pelo telhado, deixando sinais de garras dentro e fora do galinheiro. Não havia pegadas de animais conhecidos no local de ataque. Além disso, os animais mortos estavam sem sangue.

Por volta das 3:30 hrs de 20 de maio, Flávio Jarra ouviu ruídos vindo do seu galinheiro. Ele não ligou para o fato e no dia seguinte encontrou 35 galinhas mortas, com perfurações.

Na noite de 11 de novembro, em Calle Larga, ocorreu um caso interessante. O sitiante Don Julio Acevedo observou um estranho objeto, em forma de V, pousar nas proximidades do seu galinheiro. Posteriormente, ao verificar, ele encontrou suas 30 galinhas mortas, com duas perfurações no pescoço e sem vestígios de sangue em seus corpos. O galinheiro, onde as aves passam a noite não foi violado.

Em 9 de agosto de 2012, o ataque ocorreu na região de Lota. Cerca de 20 galinhas, de propriedade de Flor Andradre, foram encontradas mortas, com ferimentos no pescoço. Algumas delas estavam sem cabeça.

Em 2 de junho de 2013, 15 galos de briga foram mortos na propriedade de Mireya Infante, situada em Cerro Navia. Na noite do ataque, os cães da região latiram e uivaram com intensidade. Os animais atacados apresentavam 2 buracos no pescoço e estavam sem sangue. Equipes de caça foram criadas para capturar o predador, mas sem sucesso.


Jornal chileno divulgando a solicitação de investigação oficial, feita pelo senador Carlos Cantero.

Jornal chileno divulgando casos de Chupacabras no país.

Proprietário mostra suas galinhas mortas pelo estranho predador, em Putaendo, região de Valparaíso, em maio de 2011.

Proprietários e especialistas agropecuários do governo chileno investigam local onde 18 galinhas e 7 porcos foram encontrados mortos em condições estranhas, na região de Las Cadenas de Santa Maria, em 29 de outubro de 2018.

Na região de Las Cadenas de Santa Maria, 18 galinhas e 7 porcos foram encontrados mortos em condições estranhas em 29 de outubro de 2018.

Na região de Las Cadenas de Santa Maria, 18 galinhas e 7 porcos foram encontrados mortos em condições estranhas em 29 de outubro de 2018.

Susana Torrijos e Luis Castro, donos dos animais mortos em Las Cadenas de Santa Maria, em 29 de outubro de 2018.

Por trez vezes, a criadora Teolinda Dubó deparou-se com suas galinhas e filhotes mortos. Ele não sabe o que ou quem causa a morte de animais, na região de Acha.

Em Alto Totoral de Colliguay, 58 galinhas foram mortas. Os corpos apresentavam ferimentos no pescoço e ausência de sangue nos corpos ou no ambiente onde foram mortas.

Várias galinhas apareceram mortas em circunstâncias estranhas, na região de Agua Buena en San Fernando, em 24 de setembro de 2016.

Jornal chileno divulgando casos de Chupacabras no país.

Jornal chileno divulgando casos de Chupacabras no país.

Jornal chileno divulgando casos de Chupacabras no país.

Jornal chileno divulgando casos de Chupacabras no país.

Jornal chileno divulgando casos de Chupacabras no país.

Jornal chileno divulgando casos de Chupacabras no país.
A Evolução do Fenômeno
O fenômeno Chupacabras surgiu oficialmente em Porto Rico, em 1995. Porém, antes disso já havia relatos de mortes de animais e estranhos predadores circulando no país. Após surgir, ou ressurgir em Porto Rico o fenômeno rapidamente se espalhou para outros países vitimando milhares ou milhões de animais e até seres humanos.

O Caso do Vampiro da Moca
Em 1975, ocorreu uma onda de mortes de animais em circunstâncias estranhas na região de Moca, Porto Rico. Hoje, décadas depois, o mistério permanece.

Casos em Porto Rico e Outros Mistérios
Em 1995, ocorreu uma grande onda de mortes de animais em circunstâncias estranhas. Não demorou e surgiram relatos sobre uma estranha criatura na ilha.

Casos no México
O México foi o segundo ou terceiro país a registrar ataques do Chupacabras, e ali o predador se mostrou ainda mais voraz e agressivo do que em Porto Rico. E assim como na pequena ilha caribenha, o México já havia experimentado rápidos e misteriosos ataques anos antes.

Casos Mexicanos Mais Recentes
O México foi o segundo ou terceiro país a registrar ataques do Chupacabras, e ali o predador se mostrou ainda mais voraz e agressivo do que em Porto Rico. E mesmo décadas depois, o fenômeno ainda continua vivo no país.

Casos em Países da América Central
Os vários países da América Central foram palco de ataques de Chupacabras entre 1995 e 2020.

Ataques de Chupacabras no Estado do Paraná.
Entre 1997 e 1999, o Estado do Paraná foi palco de várias dezenas de ataques do Chupacabras, que resultaram na morte de várias centenas de animais de criação

Relatório de Carlos Alberto Machado
Estranhas mortes de animais na região metropolitana de Curitiba. Apesar das negativas oficiais das autoridades existem evidências fortes indicando que os ataques tem origem em um animal não catalogado pela Ciência.

Sitiante Viu Tudo e Desmente Laudo
Carlos Messner, dono de vários animais atacados pelo Chupacabras denuncia acobertamento governamental.

O Caso de Ortigueira (PR)
O Caso de Ortigueira é um caso impressionante. Sessenta e seis ovelhas foram mortas e empilhadas em duas pilhas de 33 ovelhas cada, dentro do próprio aprisco, próximo à casa do proprietário.

Casos Ocorridos em 1999, no Paraná
Um impressionante caso de ataque de Chupacabras em área urbana e densamente povoada, ocorrido na periferia da cidade de Curitiba (PR), em 1999.

A Volta do Chupacabras?
Estranhas mortes de animais ocorridas na região de Curitiba. Seria a volta do Chupacabras ou ataque de animal predador comum?

Chupacabras no Estado de São Paulo
O Estado de São Paulo registrou dezenas de casos com várias centenas de animais mortos, dentro da onda de ataques do Chupacabras, em 1997.

O Caso da Praia Grande (SP)
Transcrição de artigo, publicado na Revista UFO Especial, edição 19, de setembro de 1997.

Ataques no Estado de São Paulo em 1999
Em 1999, ouve uma pequena onda de ataques atribuídos ao Chupacabras em diferentes localidades do estado de São Paulo.

Estranho Animal Ataca em Canoinha (SC)
Transcrição de Reportagem do Jornal O Planalto, de 1 de agosto de 1997.

Ataques de Chupacabras no Mato Grosso do Sul
Transcrição de artigo, publicado na Revista UFO, edição 53, de setembro de 1997.

Ataques no Rio de Janeiro se Confundem com Mutilação
Transcrição de artigo, publicado na Revista UFO, edição 53, de setembro de 1997.

Matanças Caninas em Série
Transcrição de artigo, publicado na Revista UFO, edição 53, de setembro de 1997.

Alienígenas Predadores: A Face Sinistra da Ufologia
Transcrição de artigo, publicado na Revista UFO, edição 53, de setembro de 1997.

Casos no Chile
O Chile foi outro país que registrou, durante anos, uma grande incidência de ataques do misterioso Chupacabras.

Casos na Argentina
Diferentes de outros países sul-americanos, os casos de Chupacabras se confundem com as misteriosas mutilaçoes de gado associadas ao fenômeno UFO.

Casos no Paraguai
Em todos os países da América Latina foram registrados ataques de Chupacabras. No Paraguai não foi diferente. Numerosos animais foram vitimados ali, pela estranha criatura.

Casos Ocorridos nos Estados Unidos
Nos Estados Unidos também foram registrados casos de ataques de Chupacabras. Porém, o país agiu de forma eficiente acobertando fatos e ridicularizando o tema.

Casos na Colômbia
Em 2016, uma onda de ataques ocorreu na Colombia, vitimando centenas de animais de criação.

Ataques à Humanos
Em vários países onde o Chupacabras se manifestou, diversas pessoas tiveram a desagrável experiência de serem atacadas pela criatura. Alguns casos, de forma bastante trágica.

Acobertamento
Em todos os países onde o Chupacabras se manifestou ocorreu um processo de acobertamento e ridicularização de fatos, por parte de autoridades, além de manobras de capturas, realizadas por militares. Muitas delas com sucesso.

Registros Fotográficos de Estranhos Animais
Ao longo das ondas de ataques de Chupacabras surgiram fotografias que seriam registros fotográficos do estranho animal. Embora tais registros não sejam irrefutáveis, apresentamos aqui os mais importantes.

Hipóteses e Teorias Sobre Chupacabras
Ao longo das ondas de ataques de Chupacabras surgiram fotografias que seriam registros fotográficos do estranho animal. Embora tais registros não sejam irrefutáveis, apresentamos aqui os mais importantes.

Padrões e Características em Ataques de Chupacabras
Conheça as diferenças entre ataques de predadores convencionais e aqueles registrados em casos de ataques de Chupacabras.

Análises Laboratoriais
Detalhes sobre análises laboratoriais realizadas em pêlos e fezes de animais estranhos, coletadas em locais de ataque de Chupacabras.

Entrevista com Fernando Grossman
Durante a realização do IV EXPO-UFO (Exposição Ufológica do Guarujá – SP), realizada em 19 e 20 de julho de 1997, Fernando Grossman concedeu uma entrevista ao ufólogo Carlos Alberto Machado.

Entrevista com Madelyne Tolentino
Madeline Tolentino é testemunha visual do Chupacabras em Porto Rico. Foi a primeira pessoa a relatar publicamente ter avistado a estranha criatura.

Entrevista com Daniel Pérez
Daniel Pérez é uma das principais testemunhas de Chupacabras de Porto Rico. Ele foi entrevistado pelo ufólogo Jorge Martin.

Comentários (3)

Você está revendo: A Volta do Chupacabras?
Sort
5/5 (2)
FacebookGoogle+Twitter
Gravatar
Full StarFull StarFull StarFull StarFull Star
Alexandre Takaoka (Londrina, Brazil) diz...
Parabéns pela pesquisa. aguardo novas informações!
15 September 2018 03.10
Gravatar
Full StarFull StarFull StarFull StarFull Star
Fernando Oliveira diz...
Deve ser consequência de mais uma ação da lava-jato. Tem todas as características: Onde passa, arrasa tudo.
29 June 2018 18.42
Gravatar
Marcos diz...
Arrasa com a bandidagem, viva a Lava-Jato!
22 September 2019 13.31
Página 1 de 1

Adicionar Comentário

* Informação requerida
(não será publicado)
 
Bold Italic Underline Strike Superscript Subscript Code PHP Quote Line Bullet Numeric Link Email Image Video
 
Smile Sad Huh Laugh Mad Tongue Crying Grin Wink Scared Cool Sleep Blush Unsure Shocked
 
3000
 
Notifique-me de novos comentários via email.
 



Referências:

- Livros
  • MACHADO, Carlos Alberto. Olhos de Dragão - Reflexões para uma nova realidade. Curitiba: Aramis Chain, 2001.
  • MACHADO, Carlos Alberto. Estranha Colheira. Mutilações humanas do insólito. São José dos Pinhais, 2018.

 


- Boletins
  •  

 


- Artigos de Revistas
  • MARTIN, Jorge. Chupacabras: aliens ou aberração genética?. Revista UFO, p. 12-14, agosto de 1996.
  • MARTIN, Jorge. Uma teoria: Intercâmbio genético por emissões eletrônicas. Revista UFO, p. 17, agosto de 1996.
  • MONDINI. Animal desconhecido encontrado mutilado em São Paulo. Revista UFO, p. 20, agosto de 1996.
  • STIEVEN, Mauren. Novos ataques no Mato Grosso do Sul. Revista UFO, p. 27 à 31. , Setembro de 1997.
  • EQUIPE NPU. Mortes de animais geram polêmica. Revista Fatos & Mistérios, p. 36 à 39. Novembro de 1997.
  • SIERRA, Javier. Novos ataques da criatura no Caribe. Revista UFO nº 50, p. 21 à 24. Abril de 1997.
  • MACHADO, Carlos Alberto. Chupacabras. Revista UFO nº 66, p. 37 à 45. Agosto de 1999.
  • EQUIPE CIPEX. Esclarecimentos que nada esclarecem. Revista UFO nº 66, p. 41 e 42. Agosto de 1999
  • EQUIPE CIPEX. Militar fala sobre Chupacabras. Revista UFO nº 66, p. 43. Agosto de 1999
  • SAN MARTIN, Paulo. Chupa-cabras. Que bicho é esse? Revista Extra nº1, p. 4 à 5. Agosto de 1997.
  • EQUIPE CEPEX. Episódios com o bicho causam alvoroço nacional. Revista Extra nº1, p. 6 à 7. Agosto de 1997.
  • EQUIPE CEPEX. Ovelhas mortas: é o início da história. Revista Extra nº1, p. 8 à 12. Agosto de 1997.
  • EQUIPE CEPEX. Sitiante viu tudo e desmente o laudo. Revista Extra nº1, p. 13 à 14. Agosto de 1997.
  • EQUIPE CEPEX. Bicho aparece, deixa pistas e ganha forma. Revista Extra nº1, p. 18 à 20. Agosto de 1997.
  • EQUIPE CEPEX. Chupa-cabras deixa seus rastros na terra. Revista Extra nº1, p. 21 à 22. Agosto de 1997.
  • EQUIPE CEPEX. Animal anda rebolando e é visto por tratorista. Revista Extra nº1, p. 23 à 25. Agosto de 1997.
  • MONDINI. Histórico: Porto Rico exporta Chupacabras para o mundo. Revista UFO Especial, 19. p. 6 à 9. Setembro de 1997.
  • SCHELLHORN, Cope. Fenômeno causa terror e polêmica no Caribe. Revista UFO Especial, p. 10 à 13. Setembro de 1997.
  • MONDINI. Epidemia: Ação devastadora do Chupacabras chega ao Brasil. Revista UFO Especial, p. 14 à 18. Setembro de 1997.
  • MONDINI. Mutilações misteriosas se proliferam sem explicação. Revista UFO Especial, p. 20 à 22. Setembro de 1997.
  • ATHAYDE, Reginaldo. Alienígenas predadores: A face sinistra da Ufologia. Revista UFO Especial, p. 23 à 25. Setembro de 1997.
  • BARBOSA JUNIOR, Orlando. Ataques no Rio de Janeiro se confundem com mutilação. Revista UFO Especial, p. 26 à 33. Setembro de 1997.
  • SUENAGA, Claudio. Chupacabras em constante processo de evolução. Revista UFO Especial, p. 36 à 40. Setembro de 1997.
  • VILA NOVA, Jamil. Estranho ataque investigado no litoral paulista. Revista UFO Especial, p. 34 e 35. Setembro de 1997.
  • COVO, Claudeir. Ataques deliberados da criatura desconhecida. Revista UFO Especial, p. 41 e 42. Setembro de 1997.
  • MONDINI. Chupacabras. Revista UFO. nº67. p. 40 à 48. Setembro de 1999.
  • MOORE, Simon. Revista Inexplicado, nº 2 p. 34 e 35.,

 


- Documentos Oficiais
  •  

 


- Vídeos e Documentários

 


- Sites e Blogs

 


- Outros
  • https://pr.ricmais.com.br/seguranca/noticias/mais-de-50-aves-tem-coracoes-arrancados-em-curitiba/
  • https://redemassa.com.br/tribuna-da-massa-3/2018/03/07/ataque-as-galinhas-continua-um-misterio-15392/v/
  • https://tnonline.uol.com.br/noticias/mundo-bizarro/64,461579,02,03,sessenta-aves-tem-coracao-arrancado-em-galinheiro-no-parana.shtml
  • http://www.fatimanews.com.br/brasil/60-aves-sao-mortas-e-tem-coracao-arrancado/185746/
  • https://massanews.com/noticias/plantao/misterio-60-aves-sao-mortas-e-tem-coracao-arrancado-7m8x6.html
  • https://www.bemparana.com.br/noticia/sessenta-aves-sao-mortas-e-tem-o-coracao-arrancado-no-bairro-alto-
  • http://www.bandab.com.br/cidades/60-aves-tem-coracao-arrancado-em-galinheiro-no-bairro-alto-para-vizinhos-e-um-misterio/
  • http://www.tribunapr.com.br/noticias/curitiba-regiao/mais-de-50-galinhas-sao-mortas-em-suposto-ritual-e-caso-macabro-assusta-dona-de-viveiro/
  • http://g1.globo.com/pr/parana/paranatv-2edicao/videos/t/edicoes/v/misterio-morte-de-aves-e-ovelhas-intriga-moradores-de-sao-jose-dos-pinhais/6624129/
  • https://g1.globo.com/pr/parana/noticia/caseiro-faz-armadilha-e-captura-caes-que-mataram-dezenas-de-animais-em-sitios.ghtml
  • http://pautasjp.com/2017/noticia.php?nid=4262
  • http://olharanimal.org/morte-misteriosa-de-animais-intriga-moradores-de-sao-jose-dos-pinhais-pr/
  • https://www.bemparana.com.br/noticia/caes-suspeitos-pela-morte-de-varios-animais-sao-levados-para-centro-de-zoonoses