Chupacabras - Casos no Paraguai

Em todos os países da América Latina foram registrados ataques de Chupacabras. No Paraguai não foi diferente. Numerosos animais foram vitimados ali, pela estranha criatura.

Página 22 - Casos de Chupacabras na Argentina


Página 23 - Casos de Chupacabras no Paraguai


Página 24 - Casos de Ocorridos nos Estados Unidos


Por Jackson Luiz Camargo

Sumário:

 

 

Em Ufologia, honestidade é tudo. Ao copiar material deste site cite a fonte, assim como fazemos em nosso site. Obrigado!

 

Artigo

O Paraguai, assim como os demais países da América Central e do Sul, registrou vários casos de mortes de animais em circunstâncias estranhas associadas ao fenômeno Chupacabras. Os casos ocorridos na década de 1990 e 2000 não estão disponíveis publicamente nos acervos virtuais da imprensa paraguaia. Os casos mais antigos na imprensa virtual paraguaia datam de 2014. Em 21 de setembro deste ano, 25 touros foram mortos na Estancia San Eduardo, em Tacuatí, na região de San Pedro. Imediatamente, acionaram a polícia local para registrar o fato e investigar a autoria.

Inicialmente, cogitou-se a possibilidade de os animais terem sido mortos pelo Ejército del Pueblo Paraguayo (EPP), que atuava na região, mas logo descartaram pois esse grupo não realizada este tipo de ação. Além disso, os animais não tinham sinais de abate a tiros ou facas.

Chegamos ao local para verificar e constatamos a morte de gado no local, mas estavam sem ferimentos. O estranho é que nenhum deles tinha língua”, disse o investigador. Depois de descartado a possibilidade de ação do EPP, cogitou-se a possibilidade de os animais terem sido mortos por um raio em meio à uma tempestade.

Mais tarde, a alegação de que os animais não apresentavam língua foi negada pelas autoridades, alegando que em meio ao pânico ocorrido no temporal, os touros teriam engolido a própria língua, que teria causado o próprio sufocamento e consequentemente a morte dos animais. Essa explicação foi refutada dois dias depois, pelo veterinário Luis Gerónimo Garcete, que declarou à imprensa que a morte dos touros poderiam ser causadas por encefalite carruncosa causada por uma bactéria que gera sensação de asfixia e os animais acabaram por cortar a própria língua.

Embora difícil de engolir, essa hipótese acabou sendo aceita e o caso saiu da atenção da mídia do país. No entanto, vários outros casos de mortes estranhas de animais ainda iria ocorrer, colocando as autoridades em alerta.

No ano seguinte, em 13 de julho de 2015, aproximadamente 40 ovelhas foram mortas em um sítio, na região de Arami, situado a 7 Km de Encarnación. Todas estavam inteiras mas apresentavam ferimentos no pescoço. Não havia vestígios de sangue nos corpos ou nos locais onde foram mortas.

Em 22 de abril de 2017 ocorreu o avistamento de um ser estranho, em La Colmena, Paraguarí. Um grupo de campistas subia o morro Apyraguá, uma colina com 450 metros acima do nível do mar. O líder do grupo era Óscar Rotela, natural da região, que conhecia muito bem o local. “Sou bombeiro e cruz vermelha e organizei uma caminhada com alguns colegas que queriam conhecer e conhecer a colina de Apyraguá. Como eu cresci naquela área, eu conhecia a região como a palma da minha mão e organizei tudo”, comentou Oscar Rotela. “Subimos a colina, que, como eu disse, conheço como a palma da minha mão, já que várias vezes fui lá em grupo e até sozinho. Tudo estava indo bem, mas no meio do caminho uma pessoa viu um ser que não sabemos identificar, e começou”, ele disse e acrescentou: “chegamos ao topo e eu, juntamente com outros amigos tivemos que voltar para encontrar outro grupo que chegou um pouco mais tarde. Quando descemos, ouvimos seus passos e assobios e isso nos fez se perder ao longo do caminho. Eu conhecia o lugar e me perdi”.

Fizemos 4 tentativas [para retomar o caminho certo], mas não conseguimos. Lá demoramos cerca de 4 horas para retornar à área de camping. Foram momentos de terror porque na verdade sabíamos que ela estava lá (a criatura) e, além disso, estávamos perdidos e estávamos ficando cada vez mais distantes", afirmou. “Acampamos e depois de várias horas descemos. Foi uma experiência de horror, andamos quatro horas sem saber onde e repito, que conhecia esse lugar. Os rumores de que essa coisa paranormal existia nesta colina eu já ouvi da minha infância, mas nunca pensei que isso iria acontecer comigo”, disse Rotela.

O fato foi interpretado como sendo uma manifestação do mito folclórico guarani chamado Karai pyhare, ou El Pombero, que seria um animal baixo, em torno de 1,50, peludo, com braços curtos. Características também relatadas nos casos de Chupacabras em diferentes países. El Pombero é o equivalente brasileiro do Curupira, possuindo as mesmas atribuições folclóricas. Curiosamente, José de Anchieta, na carta de São Vicente, datada de 31 de maio de 1560, descreve um fenômeno que estaria matando na região, atribuindo-o ao Curupira.

"Há também outros (fantasmas), máxime nas praias, que vivem a maior parte do tempo junto ao mar e dos rios e são chamados de \'que é todo fogo\'. Mas não se vê outra coisa senão um facho cintilante correndo para ali. Acomete rapidamente os índios e os mata como a curupiras; o que seja isto não se sabe com certeza". Isso nos leva a questionar, se o Curupira não teria se originado em fenômenos semelhantes ao Chupacabras, que poderiam ter ocorrido no passado, assustando os povos nativos.

Na manhã de 3 de fevereiro de 2018, aproximadamente 300 galinhas, de 15 donos diferentes, apareceram mortas, decapitadas e aparentemente sem coração, deixando toda a região impressionada e assustada. "Aqui é outra coisa. Todas as galinhas foram decapitadas e estão sem coração. Cerca de 300 galinhas foram mortas em todo o bairro. Pensei que apenas na minha casa isso acontecesse. Mas houve várias famílias afetadas, algumas encontraram 20, outras 30, 50, 60, 70 galinhas mortas em seus respectivos galinheiros. Não sabemos mais o que pensar, mas descarto que foi apenas um cachorro que causou tudo isso. Aqui já falamos sobre chupacabra ou algum tipo de bruxaria, estamos muito preocupados e assustados. Para mim, isso acontece”, disse Fausta Pereira, dona de algumas das aves mortas.

"Isso nos afeta muito, porque somos pessoas muito humildes e vivemos disso. Gastamos muito com os cuidados das galinhas e isso nos deixa muito afetados", acrescentou Don Lucio Pereira. Por outro lado, Sandra Duarte, vizinha da região, disse que “todo o bairro estava muito preocupado com esse evento misterioso. É que todas as famílias disseram que não ouviram nenhum barulho e nem mesmo os cães latiram para alertar qualquer coisa, fato que atrai muita atenção”, concluiu.

Muitos acreditam que é o lobisomem. Na minha casa morreram mais de 20 galinhas. Ninguém ouviu nada”, disse Don Freddy Paniagua enquanto colocava um karai pindo (amuleto de proteção) no portão de sua casa para se proteger de todo mal. "Aqui a única maneira de terminar é orando", declarou.

Um evento semelhante teria ocorrido no bairro de San Pablo, atrás do Mercado de Abasto. Juan González encontrou em seu galinheiro de sua casa 5 galinhas mortas, decapitadas e igualmente sem seus corações. “Todos estavam sem o coração e os pescoços estavam dobrados e nem uma gota de sangue estava presente. Não sabemos o que poderia ter acontecido”, explicou.

O prejuízo causado nestas famílias foi muito grande. Algumas delas comercializavam ovos ou mesmo as próprias aves, de onde vinha grande parte de seus orçamentos. A morte destes animais gerou preocupações e dificuldades financeiras em muitas destas famílias. Em função da preocupação, do medo e das crenças locais, algumas sacrificaram as aves restantes, para garantir que não houvessem mais prejuízos.

É o caso de Carmen Ayala, que matou suas 20 galinhas restantes e as congelou. “Por medo de que algo lhes acontecesse, fui em frente e matei minhas 20 galinhas. É que, se esse mal lhes acomete, eles não me servem mais porque podem me causar muito mal”, afirmou. "Se o mal os toca, não posso mais comer ou vender, porque a pessoa que consome pode ingerir todo o mal, pode até se transformar no que está causando tanto dano a nós agora", ele.

Poucos dias depois, a cidade foi surpreendida com a notícia de novos ataques, desta vez em cães. O primeiro ataque, que vitimou galinhas ocorreu em 3 de fevereiro, no bairro San José. Este segundo ataque ocorreu em 6 de fevereiro, no bairro Santa Rosa, afetando vários animais da região. Pelo menos uma testemunha viu um animal estranho, definido por ela como sendo o diabo, atacando seu cão.

O diabo veio até nós. Nós não sabemos o que é isso. Ele tem três pernas e um rosto comprido, bateu muito no cachorro do meu vizinho. Os vizinhos salvaram o cachorro porque derramaram água benta e naquele momento aquele estranho ser correu e desapareceu. Ligamos para a polícia, eles procuraram por ele, mas não o encontraram, ele desapareceu. Dizem que é o lobisomem, mas não, é outra coisa”, disse a senhora chamada Romina.

Ouvimos cães latindo. Todas as pessoas saíram para olhar. Ele apertou o cachorro perto do portão de um vizinho. Então desapareceu. O sangue e os pêlos do animal permaneceram em cima do muro”, disse ao jornal Crónica uma vizinha do local chamada Jessica Ayala. Um grupo de jovens valentes montou uma vigília para flagrar o animal e instalaram câmeras em pontos estratégicos, porém sem sucesso.

Os ataques na região cessaram tão misteriosamente quanto surgiram. Mas outras regiões registrariam casos semelhantes ainda naquele ano. Por volta das 21h30m de 2 de junho de 2018, Francisco Molinas encontrava-se em seu sítio, localizado em Los Cedrales, acompanhado de seu filho e de um amigo. Eles já haviam recolhido as ovelhas da propriedade em um local cercado, onde passavam a noite. Repentinamente, eles ouviram o latido de um dos cães da propriedade. Ele apanhou um rifle e uma lanterna e saiu para verificar.

Ao chegar ao local, encontrou uma ovelha adulta caída, com um ferimento no pescoço. Ao apontar a lanterna nos arredores ele viu um animal peludo, com avermelhados, que teria matado seis ovelhas e outras cinco feridas. Assustado, ele disparou três vezes contra a criatura, que chegou a cair, mas logo colocou-se em pé novamente. Ele gritou para o filho trazer uma pistola 9mm, com a qual efetuou novos disparos contra a criatura, que estava a poucas dezenas de metros de distância. Após a arma esgotar a munição, ele percebeu que a criatura continuava em pé e se preparava para atacá-lo. Novamente ele solicitou outra arma, desta vez uma espingarda, com a qual fez novos disparos contra o misterioso animal. Ao ver que o animal armava um ataque ele saiu correndo para a casa, para salvar-se. Por sorte, o animal abandonou a perseguição e acabou fugindo do local, deixando as testemunhas estupefatas. No dia seguinte eles procuraram por toda a região mas não encontraram nenhum vestígio de animal estranho, ferido ou morto.

Além deste caso, houve outro caso em que 30 ovelhas foram mortas, em Domingos Martinez de Irala, a 40 km de Los Cedrales. Os animais estavam mortos, com ferimentos no pescoço e aparentemente sem sangue.

Dias depois, em 11 de junho, ocorreu um ataque semelhante em Horqueta, resultando na morte de 26 ovelhas, em algumas propriedades da região. Os donos dos animais não ouviram qualquer ruído anômalo na noite do ataque e só descobriram os animais mortos no dia seguinte, quando foram alimentá-los. Em julho, novos ataques ocorreram, no sítio de propriedade de Dellas María Balbuena, na região de J. Eulogio Estigarribia, no Alto Paraná. Três cabras foram mortas, outras três ficaram feridas e duas desaparecidas.

No ano de 2019, o chupacabras voltou a ser manchete nos noticiários em decorrência da morte de bois e vacas, em circunstâncias alegadamente estranhas. Em pelo menos um caso, ocorrido em meados de fevereiro na região de Choré, San Pedro, o autor das mortes de vacas e aves foi um predador natural. Nas fotos, disponibilizadas pelo jornal A Crônica, percebem-se animais estraçalhados e a grande quantidade de sangue presente no pelo de uma das aves mortas, o que foge do padrão dos ataques de Chupacabras ou das mutilações de gado por UFOs. Outras mortes, ocorridas no mês de setembro e outubro daquele ano, nas regiões de Ñeembucú e Capiibary enquadram-se no padrão das mutilações de gado associado à UFOs.

O último caso ocorreu em 19 de janeiro de 2020, em Capiibary, San Pedro. A estranheza do caso reside no fato de que o animal morto, um terneiro, apresentava um ferimento na parte da frente de sua cabeça. O animal estava sem o cérebro e não apresentava sangue no corpo. Também não havia sangue no local onde o animal foi morto.

Estes são casos que chegaram ao conhecimento da mídia e foram publicados nos noticiários on-line. Quantos outros existem e que não foram divulgados?


Cão atacado por uma criatura estranha, na região de Ybicuí, em 7 de fevereiro de 2018.

Proprietária observa suas galinhas mortas no quintal de sua casa. Naquela noite, mais de 300 galinhas foram mortas na região. Todas decapitadas, sem presença de coração ou vestígios de sangue no corpo ou no ambiente.Caso ocorrido em 4 de fevereiro de 2018.

Proprietária mostra o local onde suas galinhas passavama noite. Naquela noite, mais de 300 galinhas foram mortas na região. Todas decapitadas, sem presença de coração ou vestígios de sangue no corpo ou no ambiente. Caso ocorrido em 4 de fevereiro de 2018.

Mais de 300 galinhas foram mortas na região. Todas decapitadas, sem presença de coração ou vestígios de sangue no corpo ou no ambiente. Caso ocorrido em 4 de fevereiro de 2018.

25 touros foram mortos e mutilados em Tacuatí, região de San Pedro, em 22 de setembro de 2014.

25 touros foram mortos e mutilados em Tacuatí, região de San Pedro, em 22 de setembro de 2014.

25 touros foram mortos e mutilados em Tacuatí, região de San Pedro, em 22 de setembro de 2014.
A Evolução do Fenômeno
O fenômeno Chupacabras surgiu oficialmente em Porto Rico, em 1995. Porém, antes disso já havia relatos de mortes de animais e estranhos predadores circulando no país. Após surgir, ou ressurgir em Porto Rico o fenômeno rapidamente se espalhou para outros países vitimando milhares ou milhões de animais e até seres humanos.

O Caso do Vampiro da Moca
Em 1975, ocorreu uma onda de mortes de animais em circunstâncias estranhas na região de Moca, Porto Rico. Hoje, décadas depois, o mistério permanece.

Casos em Porto Rico e Outros Mistérios
Em 1995, ocorreu uma grande onda de mortes de animais em circunstâncias estranhas. Não demorou e surgiram relatos sobre uma estranha criatura na ilha.

Casos no México
O México foi o segundo ou terceiro país a registrar ataques do Chupacabras, e ali o predador se mostrou ainda mais voraz e agressivo do que em Porto Rico. E assim como na pequena ilha caribenha, o México já havia experimentado rápidos e misteriosos ataques anos antes.

Casos Mexicanos Mais Recentes
O México foi o segundo ou terceiro país a registrar ataques do Chupacabras, e ali o predador se mostrou ainda mais voraz e agressivo do que em Porto Rico. E mesmo décadas depois, o fenômeno ainda continua vivo no país.

Casos em Países da América Central
Os vários países da América Central foram palco de ataques de Chupacabras entre 1995 e 2020.

Ataques de Chupacabras no Estado do Paraná.
Entre 1997 e 1999, o Estado do Paraná foi palco de várias dezenas de ataques do Chupacabras, que resultaram na morte de várias centenas de animais de criação

Relatório de Carlos Alberto Machado
Estranhas mortes de animais na região metropolitana de Curitiba. Apesar das negativas oficiais das autoridades existem evidências fortes indicando que os ataques tem origem em um animal não catalogado pela Ciência.

Sitiante Viu Tudo e Desmente Laudo
Carlos Messner, dono de vários animais atacados pelo Chupacabras denuncia acobertamento governamental.

O Caso de Ortigueira (PR)
O Caso de Ortigueira é um caso impressionante. Sessenta e seis ovelhas foram mortas e empilhadas em duas pilhas de 33 ovelhas cada, dentro do próprio aprisco, próximo à casa do proprietário.

Casos Ocorridos em 1999, no Paraná
Um impressionante caso de ataque de Chupacabras em área urbana e densamente povoada, ocorrido na periferia da cidade de Curitiba (PR), em 1999.

A Volta do Chupacabras?
Estranhas mortes de animais ocorridas na região de Curitiba. Seria a volta do Chupacabras ou ataque de animal predador comum?

Chupacabras no Estado de São Paulo
O Estado de São Paulo registrou dezenas de casos com várias centenas de animais mortos, dentro da onda de ataques do Chupacabras, em 1997.

O Caso da Praia Grande (SP)
Transcrição de artigo, publicado na Revista UFO Especial, edição 19, de setembro de 1997.

Ataques no Estado de São Paulo em 1999
Em 1999, ouve uma pequena onda de ataques atribuídos ao Chupacabras em diferentes localidades do estado de São Paulo.

Estranho Animal Ataca em Canoinha (SC)
Transcrição de Reportagem do Jornal O Planalto, de 1 de agosto de 1997.

Ataques de Chupacabras no Mato Grosso do Sul
Transcrição de artigo, publicado na Revista UFO, edição 53, de setembro de 1997.

Ataques no Rio de Janeiro se Confundem com Mutilação
Transcrição de artigo, publicado na Revista UFO, edição 53, de setembro de 1997.

Matanças Caninas em Série
Transcrição de artigo, publicado na Revista UFO, edição 53, de setembro de 1997.

Alienígenas Predadores: A Face Sinistra da Ufologia
Transcrição de artigo, publicado na Revista UFO, edição 53, de setembro de 1997.

Casos no Chile
O Chile foi outro país que registrou, durante anos, uma grande incidência de ataques do misterioso Chupacabras.

Casos na Argentina
Diferentes de outros países sul-americanos, os casos de Chupacabras se confundem com as misteriosas mutilaçoes de gado associadas ao fenômeno UFO.

Casos no Paraguai
Em todos os países da América Latina foram registrados ataques de Chupacabras. No Paraguai não foi diferente. Numerosos animais foram vitimados ali, pela estranha criatura.

Casos Ocorridos nos Estados Unidos
Nos Estados Unidos também foram registrados casos de ataques de Chupacabras. Porém, o país agiu de forma eficiente acobertando fatos e ridicularizando o tema.

Casos na Colômbia
Em 2016, uma onda de ataques ocorreu na Colombia, vitimando centenas de animais de criação.

Ataques à Humanos
Em vários países onde o Chupacabras se manifestou, diversas pessoas tiveram a desagrável experiência de serem atacadas pela criatura. Alguns casos, de forma bastante trágica.

Acobertamento
Em todos os países onde o Chupacabras se manifestou ocorreu um processo de acobertamento e ridicularização de fatos, por parte de autoridades, além de manobras de capturas, realizadas por militares. Muitas delas com sucesso.

Registros Fotográficos de Estranhos Animais
Ao longo das ondas de ataques de Chupacabras surgiram fotografias que seriam registros fotográficos do estranho animal. Embora tais registros não sejam irrefutáveis, apresentamos aqui os mais importantes.

Hipóteses e Teorias Sobre Chupacabras
Ao longo das ondas de ataques de Chupacabras surgiram fotografias que seriam registros fotográficos do estranho animal. Embora tais registros não sejam irrefutáveis, apresentamos aqui os mais importantes.

Padrões e Características em Ataques de Chupacabras
Conheça as diferenças entre ataques de predadores convencionais e aqueles registrados em casos de ataques de Chupacabras.

Análises Laboratoriais
Detalhes sobre análises laboratoriais realizadas em pêlos e fezes de animais estranhos, coletadas em locais de ataque de Chupacabras.

Entrevista com Fernando Grossman
Durante a realização do IV EXPO-UFO (Exposição Ufológica do Guarujá – SP), realizada em 19 e 20 de julho de 1997, Fernando Grossman concedeu uma entrevista ao ufólogo Carlos Alberto Machado.

Entrevista com Madelyne Tolentino
Madeline Tolentino é testemunha visual do Chupacabras em Porto Rico. Foi a primeira pessoa a relatar publicamente ter avistado a estranha criatura.

Entrevista com Daniel Pérez
Daniel Pérez é uma das principais testemunhas de Chupacabras de Porto Rico. Ele foi entrevistado pelo ufólogo Jorge Martin.

Comentários (3)

Você está revendo: A Volta do Chupacabras?
Sort
5/5 (2)
FacebookGoogle+Twitter
Gravatar
Full StarFull StarFull StarFull StarFull Star
Alexandre Takaoka (Londrina, Brazil) diz...
Parabéns pela pesquisa. aguardo novas informações!
15 September 2018 03.10
Gravatar
Full StarFull StarFull StarFull StarFull Star
Fernando Oliveira diz...
Deve ser consequência de mais uma ação da lava-jato. Tem todas as características: Onde passa, arrasa tudo.
29 June 2018 18.42
Gravatar
Marcos diz...
Arrasa com a bandidagem, viva a Lava-Jato!
22 September 2019 13.31
Página 1 de 1

Adicionar Comentário

* Informação requerida
(não será publicado)
 
Bold Italic Underline Strike Superscript Subscript Code PHP Quote Line Bullet Numeric Link Email Image Video
 
Smile Sad Huh Laugh Mad Tongue Crying Grin Wink Scared Cool Sleep Blush Unsure Shocked
 
3000
 
Notifique-me de novos comentários via email.
 



Referências:

- Livros
  • MACHADO, Carlos Alberto. Olhos de Dragão - Reflexões para uma nova realidade. Curitiba: Aramis Chain, 2001.
  • MACHADO, Carlos Alberto. Estranha Colheira. Mutilações humanas do insólito. São José dos Pinhais, 2018.

 


- Boletins
  •  

 


- Artigos de Revistas
  • MARTIN, Jorge. Chupacabras: aliens ou aberração genética?. Revista UFO, p. 12-14, agosto de 1996.
  • MARTIN, Jorge. Uma teoria: Intercâmbio genético por emissões eletrônicas. Revista UFO, p. 17, agosto de 1996.
  • MONDINI. Animal desconhecido encontrado mutilado em São Paulo. Revista UFO, p. 20, agosto de 1996.
  • STIEVEN, Mauren. Novos ataques no Mato Grosso do Sul. Revista UFO, p. 27 à 31. , Setembro de 1997.
  • EQUIPE NPU. Mortes de animais geram polêmica. Revista Fatos & Mistérios, p. 36 à 39. Novembro de 1997.
  • SIERRA, Javier. Novos ataques da criatura no Caribe. Revista UFO nº 50, p. 21 à 24. Abril de 1997.
  • MACHADO, Carlos Alberto. Chupacabras. Revista UFO nº 66, p. 37 à 45. Agosto de 1999.
  • EQUIPE CIPEX. Esclarecimentos que nada esclarecem. Revista UFO nº 66, p. 41 e 42. Agosto de 1999
  • EQUIPE CIPEX. Militar fala sobre Chupacabras. Revista UFO nº 66, p. 43. Agosto de 1999
  • SAN MARTIN, Paulo. Chupa-cabras. Que bicho é esse? Revista Extra nº1, p. 4 à 5. Agosto de 1997.
  • EQUIPE CEPEX. Episódios com o bicho causam alvoroço nacional. Revista Extra nº1, p. 6 à 7. Agosto de 1997.
  • EQUIPE CEPEX. Ovelhas mortas: é o início da história. Revista Extra nº1, p. 8 à 12. Agosto de 1997.
  • EQUIPE CEPEX. Sitiante viu tudo e desmente o laudo. Revista Extra nº1, p. 13 à 14. Agosto de 1997.
  • EQUIPE CEPEX. Bicho aparece, deixa pistas e ganha forma. Revista Extra nº1, p. 18 à 20. Agosto de 1997.
  • EQUIPE CEPEX. Chupa-cabras deixa seus rastros na terra. Revista Extra nº1, p. 21 à 22. Agosto de 1997.
  • EQUIPE CEPEX. Animal anda rebolando e é visto por tratorista. Revista Extra nº1, p. 23 à 25. Agosto de 1997.
  • MONDINI. Histórico: Porto Rico exporta Chupacabras para o mundo. Revista UFO Especial, 19. p. 6 à 9. Setembro de 1997.
  • SCHELLHORN, Cope. Fenômeno causa terror e polêmica no Caribe. Revista UFO Especial, p. 10 à 13. Setembro de 1997.
  • MONDINI. Epidemia: Ação devastadora do Chupacabras chega ao Brasil. Revista UFO Especial, p. 14 à 18. Setembro de 1997.
  • MONDINI. Mutilações misteriosas se proliferam sem explicação. Revista UFO Especial, p. 20 à 22. Setembro de 1997.
  • ATHAYDE, Reginaldo. Alienígenas predadores: A face sinistra da Ufologia. Revista UFO Especial, p. 23 à 25. Setembro de 1997.
  • BARBOSA JUNIOR, Orlando. Ataques no Rio de Janeiro se confundem com mutilação. Revista UFO Especial, p. 26 à 33. Setembro de 1997.
  • SUENAGA, Claudio. Chupacabras em constante processo de evolução. Revista UFO Especial, p. 36 à 40. Setembro de 1997.
  • VILA NOVA, Jamil. Estranho ataque investigado no litoral paulista. Revista UFO Especial, p. 34 e 35. Setembro de 1997.
  • COVO, Claudeir. Ataques deliberados da criatura desconhecida. Revista UFO Especial, p. 41 e 42. Setembro de 1997.
  • MONDINI. Chupacabras. Revista UFO. nº67. p. 40 à 48. Setembro de 1999.
  • MOORE, Simon. Revista Inexplicado, nº 2 p. 34 e 35.,

 


- Documentos Oficiais
  •  

 


- Vídeos e Documentários

 


- Sites e Blogs

 


- Outros
  • https://pr.ricmais.com.br/seguranca/noticias/mais-de-50-aves-tem-coracoes-arrancados-em-curitiba/
  • https://redemassa.com.br/tribuna-da-massa-3/2018/03/07/ataque-as-galinhas-continua-um-misterio-15392/v/
  • https://tnonline.uol.com.br/noticias/mundo-bizarro/64,461579,02,03,sessenta-aves-tem-coracao-arrancado-em-galinheiro-no-parana.shtml
  • http://www.fatimanews.com.br/brasil/60-aves-sao-mortas-e-tem-coracao-arrancado/185746/
  • https://massanews.com/noticias/plantao/misterio-60-aves-sao-mortas-e-tem-coracao-arrancado-7m8x6.html
  • https://www.bemparana.com.br/noticia/sessenta-aves-sao-mortas-e-tem-o-coracao-arrancado-no-bairro-alto-
  • http://www.bandab.com.br/cidades/60-aves-tem-coracao-arrancado-em-galinheiro-no-bairro-alto-para-vizinhos-e-um-misterio/
  • http://www.tribunapr.com.br/noticias/curitiba-regiao/mais-de-50-galinhas-sao-mortas-em-suposto-ritual-e-caso-macabro-assusta-dona-de-viveiro/
  • http://g1.globo.com/pr/parana/paranatv-2edicao/videos/t/edicoes/v/misterio-morte-de-aves-e-ovelhas-intriga-moradores-de-sao-jose-dos-pinhais/6624129/
  • https://g1.globo.com/pr/parana/noticia/caseiro-faz-armadilha-e-captura-caes-que-mataram-dezenas-de-animais-em-sitios.ghtml
  • http://pautasjp.com/2017/noticia.php?nid=4262
  • http://olharanimal.org/morte-misteriosa-de-animais-intriga-moradores-de-sao-jose-dos-pinhais-pr/
  • https://www.bemparana.com.br/noticia/caes-suspeitos-pela-morte-de-varios-animais-sao-levados-para-centro-de-zoonoses