Chupacabras - Entrevista com Madeline Tolentino

Daniel Pérez é uma das principais testemunhas de Chupacabras de Porto Rico. Ele foi entrevistado pelo ufólogo Jorge Martin.

Página 33 - Entrevista com Madeline Tolentino


Página 34 - Entrevista com Daniel Pérez




Por Jorge Martin

Sumário:

 

 

Em Ufologia, honestidade é tudo. Ao copiar material deste site cite a fonte, assim como fazemos em nosso site. Obrigado!

 

Artigo

Daniel Pérez é uma das principais testemunhas de Chupacabras de Porto Rico. Ele foi entrevistado pelo ufólogo Jorge Martin.


Martín: Estamos aqui com o Sr. Daniel Pérez, do setor de Campo Rico, que foi afetado pelo aparecimento da criatura misteriosa que foi vista na área nas últimas duas semanas. Don Daniel, entendemos que você teve a oportunidade de ver a criatura em duas ou três ocasiões em circunstâncias muito importantes, porque a viu à luz do dia e conseguiu distinguir certas características importantes. Gostaríamos de perguntar o que você viu, qual o significado para você e o que você pensa sobre a situação.
Pérez: Bem, eram cerca de quinze para as sete da manhã ... Ouvi um tipo de gemido, algo acontecendo: "Oooooo", algo estranho. Então me levantei e fui até a janela e não vi nada. Quando eu estava prestes a fechar a janela, ouvi um zumbido, o que me levou a olhar novamente. Nesse momento, a criatura desceu, aparentemente voando. Sim, desceu e pousou em uma grande pedra que está em minha propriedade, a cerca de seis metros de onde eu estava. Assim que tocou a pedra, ela ganhou impulso novamente, ergueu-se no ar e evitando as árvores à frente sem tocar uma única folha. É uma criatura medindo cerca de um metro de altura, eu diria, quando não está ereta. Mas quando está reta, deve ter cerca de um metro e meio de altura. Suas patas traseiras são longas, as pernas dianteiras são curtas, um pouco fofas, têm um pouco de barriga e do topo da cabeça até as costas, tem algum tipo de barbatana que se move. Quando estava prestes a decolar, as barbatanas se moveram na direção em que ele se dirigia. Sua cabeça é grande. Os olhos são grandes, mas eu não conseguia ver de que cor eram. Seu rosto é pequeno e pontudo. No dia seguinte, ao mesmo tempo, vi-o voltando na direção oposta. Sua pele é cor de esquilo e não posso descrevê-la adequadamente ...

Martín: Por que isso?
Pérez: Porque não posso descrevê-lo como pêlo ou pele em si. É algo que causa uma sensação bastante estranha. De fato, minha primeira impressão ao ver a criatura foi permanecer em silêncio. Em outras palavras, bem, eu ...

Martín: Eles nos dizem que você ficou profundamente impressionado e afetado pela presença da criatura.
Pérez: Bem, pensei que seria melhor ficar quieto e não contar a ninguém, mas depois contei à minha esposa, e ela contou à vizinha, e ela partiu de lá. Inicialmente, pensei em guardar para mim mesmo, sentindo que, se tentasse explicar às pessoas, elas não acreditariam em mim. No que diz respeito à minha personalidade, não tenho reservas mentais quanto à existência de criaturas em outras partes do sistema universal. Para meu entendimento, isso não contradiz as Escrituras, porque Deus, em seus imensos trabalhos, tem coisas que nunca vimos nem ouvimos falar.

Martín: Você está me dizendo isso porque parece que você sentiu que poderia ser algum tipo de forma de vida alienígena.
Pérez: Eu acho que sim.

Martín: E por que isso?
Pérez: Na minha opinião, é uma criatura que voa sem asas enormes ...

Martín: Você não viu voar?
Pérez: Eu não vi asas como tal. Ele tem algum tipo de barbatana que aparentemente ajuda a deslizar ...

Martín: Como são essas barbatanas?
Pérez: Eles são de forma triangular, mas às vezes, quando estão no ar, podem ser confundidos com cabelos, talvez por causa da velocidade com que os move, eles podem ser interpretados como cabelos, mas não para meu entendimento.

Martín: Mas você está dizendo que eles não são muito grandes.
Pérez: Eles têm cerca de 15 a 20 cm de comprimento. Eles se projetam de sua coluna.

Martín: Quinze a vinte centímetros... quantas você acha que existem? Foi-nos dito que tem uma espécie de crista.
Pérez: Eles não são do mesmo tamanho. Eles vão de tamanho médio, misturam-se com os maiores nas costas e depois diminuem. Sinceramente, não sei dizer se tinha cauda, ​​ou não a vi como tal. Talvez aqueles que o viram tenham imaginado as barbatanas que descem para fazer parte de uma cauda, ​​mas para mim elas terminaram nas costas da criatura.

Martín: A maioria das testemunhas descreveu espinhos ou penas saindo de suas costas.
Pérez: Tive a mesma impressão quando o vi voando, se aproximando. Mas vou lhe dizer novamente… Ele os move tão rápido que faz parecer que são pelos, mas assim que parou, não pareciam que eram cabelos, como tal.

Martín: Você conseguiu distinguir o formato de seus olhos?
Pérez: É... Seus olhos eram bem grandes, mas sinceramente não vi a cor. Agora, a forma...

Martín: Basicamente, estamos falando de um olho assim...
Pérez: Cinco centímetros, mais ou menos.

Martín: Ahhh, nos disseram que os olhos estão inclinados--
Pérez: Sim, inclinado...

Martín: Em forma de amêndoa?
Pérez: Inclinado para cima... assim.

Martín: Hum... E as mãos. Você pôde ver suas mãos?
Pérez: As mãos são pequenas.

Martín: Minúsculo?
Pérez: Sim.

Martín: Quantos dedos, pôde ver?
Pérez: Sinceramente, não vi...

Martín: Como são as pernas?
Pérez: As pernas são bastante longas. Quando ele pousou, ele fez o seguinte: Ele desceu...

Martín: Dobrou as pernas ...
Pérez: Exatamente, então ele decolou. Eu acho que ele não voa como resultado de impulso… Ele voa por natureza.

Martín: Mas o que tem que ser visto... O que você está descrevendo e o que os outros estão descrevendo, em relação às espinhas ou barbatanas nas costas, não seria suficiente para impulsionar um corpo desse tamanho.
Pérez: Foi o que achei tão estranho. De acordo com o que pude ver, ele usa as barbatanas para guiar a direção do voo, mas quando está no ar, ele aparentemente as cruza. Eles fazem zumbidos e muitos talvez confundam as barbatanas com os cabelos, pois se movem muito rapidamente.

Martín: Então voa com esses apêndices?
Pérez: Com esses apêndices ou o que quer que seja. Mas ele também os usa, aparentemente, para se orientar.

Martín: Quando você viu pela segunda vez e ouviu o zumbido, estava olhando de onde?
Pérez: Eu estava na, na... janela da minha casa, olhando pela janela. Ele estava indo em direção a minha casa, e eu pensei que ele iria pousar na pedra, mas ele se virou quando chegou ao portão e virou para cima.

Martín: Em outras palavras, você não viu de onde vinha?
Pérez: Não, não, não vi.

Martín: Você viu quando passou no momento.
Pérez: Sim, sim.

Martín: Você é um homem religioso… É popular no setor e é visto como uma pessoa muito séria. E parabenizo você por isso, porque todos com quem conversamos têm uma consideração muito alta por você. Mas... você estava nos dizendo há pouco tempo que acha que isso não contradiz... Que está relacionado com algo extraterrestre... Isso não contradiz as Escrituras?
Pérez: [ininteligível]

Martín: Eu sei, eu sei, mas se é assim, que o que estamos lidando não é terrestre, que implicações isso teria para você?
Pérez: Bem, para mim... Ah, isso confirmaria o que, no que eu sempre acreditei, que poderia haver vida em outro lugar do universo. E isso significaria que Deus é ainda maior do que eu imaginava anteriormente. E como eu disse anteriormente, no decorrer de suas imensas obras, ele pode ter ordenado a vida em outro lugar, o que não deveria nos alarmar ou surpreender. Entendo que estas são as coisas que a Bíblia nos diz que são reservadas para os olhos e ouvidos dos fiéis, e que... Bem, da mesma maneira que estamos tentando chegar à Lua, e enviamos navios para Marte e para outros países (sic), eles podem estar tentando nos alcançar. Como encontramos desenhos de seres extraterrestres, ou o que você quiser chamá-los, feitos por seres humanos que careciam dos poderes intelectuais que temos hoje. Essas coisas estão lá ... são fatos que não podem ser negados.

Martín: Há algo que você gostaria de acrescentar ou dizer às pessoas que podem estar ouvindo esta entrevista, algo que queira contar a elas com base em sua experiência?
Pérez: Bem, peço às pessoas que não fiquem alarmadas. Até onde eu sei ele não atacou nenhum ser humano, e... Se o virem, bem... Encare o mais naturalmente possível. Vão ficar um pouco surpresos, mas é natural, e não criar fantasias sobre isso ou tratá-lo como uma piada. Se há algo que eu aprendi, é que essas coisas não devem ser tomadas de brincadeira. O fato de alguém não ter visto... Não deve fazer você não acreditar. Mas o mais importante, não pense que é algum tipo de "brincadeira", como dizem...

A transcrição da entrevista de Martín com o morador de Canovanas era a prova de que membros da população educados e perspicazes, imunes à imprensa sensacionalista, estavam fornecendo relatos altamente detalhados de suas experiências com a criatura ilusória.

O testemunho de Pérez foi vital por uma razão importante. Em primeiro lugar, ele teve o privilégio de ter visto o "monstro" duas vezes - a caminho de e para um local não conhecido - e foi capaz de conter qualquer medo ou preocupação que pudesse ter pela segurança ou pela segurança de seus familiares, permitindo-lhe dar uma longa olhada na entidade e estudar suas características peculiares.

A imagem de identificação da criatura, publicada na primeira página do jornal El Nuevo Día de San Juan, foi revisada com base no testemunho de Pérez. Os "espigões" que corriam da cabeça da criatura pelas costas eram apêndices aparentemente semelhantes a barbatanas que vibravam tão rapidamente que os faziam parecer cabelos para outras testemunhas, particularmente para aqueles que não ficavam por perto para dar uma segunda olhada.

No entanto, o testemunho de Pérez criou uma complicação adicional. Onde se acreditava que a entidade simplesmente pulava prodigiosamente de um local para outro por meio de suas poderosas patas traseiras, agora era capaz de voar sem asas por meio desses apêndices agitados. Enquanto as asas de um beija-flor são teoricamente pequenas demais para suportar seu peso, eppur si muove !, como diria Galileu. Poderia ser esse o caso do Chupacabras?

A Evolução do Fenômeno
O fenômeno Chupacabras surgiu oficialmente em Porto Rico, em 1995. Porém, antes disso já havia relatos de mortes de animais e estranhos predadores circulando no país. Após surgir, ou ressurgir em Porto Rico o fenômeno rapidamente se espalhou para outros países vitimando milhares ou milhões de animais e até seres humanos.

O Caso do Vampiro da Moca
Em 1975, ocorreu uma onda de mortes de animais em circunstâncias estranhas na região de Moca, Porto Rico. Hoje, décadas depois, o mistério permanece.

Casos em Porto Rico e Outros Mistérios
Em 1995, ocorreu uma grande onda de mortes de animais em circunstâncias estranhas. Não demorou e surgiram relatos sobre uma estranha criatura na ilha.

Casos no México
O México foi o segundo ou terceiro país a registrar ataques do Chupacabras, e ali o predador se mostrou ainda mais voraz e agressivo do que em Porto Rico. E assim como na pequena ilha caribenha, o México já havia experimentado rápidos e misteriosos ataques anos antes.

Casos Mexicanos Mais Recentes
O México foi o segundo ou terceiro país a registrar ataques do Chupacabras, e ali o predador se mostrou ainda mais voraz e agressivo do que em Porto Rico. E mesmo décadas depois, o fenômeno ainda continua vivo no país.

Casos em Países da América Central
Os vários países da América Central foram palco de ataques de Chupacabras entre 1995 e 2020.

Ataques de Chupacabras no Estado do Paraná.
Entre 1997 e 1999, o Estado do Paraná foi palco de várias dezenas de ataques do Chupacabras, que resultaram na morte de várias centenas de animais de criação

Relatório de Carlos Alberto Machado
Estranhas mortes de animais na região metropolitana de Curitiba. Apesar das negativas oficiais das autoridades existem evidências fortes indicando que os ataques tem origem em um animal não catalogado pela Ciência.

Sitiante Viu Tudo e Desmente Laudo
Carlos Messner, dono de vários animais atacados pelo Chupacabras denuncia acobertamento governamental.

O Caso de Ortigueira (PR)
O Caso de Ortigueira é um caso impressionante. Sessenta e seis ovelhas foram mortas e empilhadas em duas pilhas de 33 ovelhas cada, dentro do próprio aprisco, próximo à casa do proprietário.

Casos Ocorridos em 1999, no Paraná
Um impressionante caso de ataque de Chupacabras em área urbana e densamente povoada, ocorrido na periferia da cidade de Curitiba (PR), em 1999.

A Volta do Chupacabras?
Estranhas mortes de animais ocorridas na região de Curitiba. Seria a volta do Chupacabras ou ataque de animal predador comum?

Chupacabras no Estado de São Paulo
O Estado de São Paulo registrou dezenas de casos com várias centenas de animais mortos, dentro da onda de ataques do Chupacabras, em 1997.

O Caso da Praia Grande (SP)
Transcrição de artigo, publicado na Revista UFO Especial, edição 19, de setembro de 1997.

Ataques no Estado de São Paulo em 1999
Em 1999, ouve uma pequena onda de ataques atribuídos ao Chupacabras em diferentes localidades do estado de São Paulo.

Estranho Animal Ataca em Canoinha (SC)
Transcrição de Reportagem do Jornal O Planalto, de 1 de agosto de 1997.

Ataques de Chupacabras no Mato Grosso do Sul
Transcrição de artigo, publicado na Revista UFO, edição 53, de setembro de 1997.

Ataques no Rio de Janeiro se Confundem com Mutilação
Transcrição de artigo, publicado na Revista UFO, edição 53, de setembro de 1997.

Matanças Caninas em Série
Transcrição de artigo, publicado na Revista UFO, edição 53, de setembro de 1997.

Alienígenas Predadores: A Face Sinistra da Ufologia
Transcrição de artigo, publicado na Revista UFO, edição 53, de setembro de 1997.

Casos no Chile
O Chile foi outro país que registrou, durante anos, uma grande incidência de ataques do misterioso Chupacabras.

Casos na Argentina
Diferentes de outros países sul-americanos, os casos de Chupacabras se confundem com as misteriosas mutilaçoes de gado associadas ao fenômeno UFO.

Casos no Paraguai
Em todos os países da América Latina foram registrados ataques de Chupacabras. No Paraguai não foi diferente. Numerosos animais foram vitimados ali, pela estranha criatura.

Casos Ocorridos nos Estados Unidos
Nos Estados Unidos também foram registrados casos de ataques de Chupacabras. Porém, o país agiu de forma eficiente acobertando fatos e ridicularizando o tema.

Casos na Colômbia
Em 2016, uma onda de ataques ocorreu na Colombia, vitimando centenas de animais de criação.

Ataques à Humanos
Em vários países onde o Chupacabras se manifestou, diversas pessoas tiveram a desagrável experiência de serem atacadas pela criatura. Alguns casos, de forma bastante trágica.

Acobertamento
Em todos os países onde o Chupacabras se manifestou ocorreu um processo de acobertamento e ridicularização de fatos, por parte de autoridades, além de manobras de capturas, realizadas por militares. Muitas delas com sucesso.

Registros Fotográficos de Estranhos Animais
Ao longo das ondas de ataques de Chupacabras surgiram fotografias que seriam registros fotográficos do estranho animal. Embora tais registros não sejam irrefutáveis, apresentamos aqui os mais importantes.

Hipóteses e Teorias Sobre Chupacabras
Ao longo das ondas de ataques de Chupacabras surgiram fotografias que seriam registros fotográficos do estranho animal. Embora tais registros não sejam irrefutáveis, apresentamos aqui os mais importantes.

Padrões e Características em Ataques de Chupacabras
Conheça as diferenças entre ataques de predadores convencionais e aqueles registrados em casos de ataques de Chupacabras.

Análises Laboratoriais
Detalhes sobre análises laboratoriais realizadas em pêlos e fezes de animais estranhos, coletadas em locais de ataque de Chupacabras.

Entrevista com Fernando Grossman
Durante a realização do IV EXPO-UFO (Exposição Ufológica do Guarujá – SP), realizada em 19 e 20 de julho de 1997, Fernando Grossman concedeu uma entrevista ao ufólogo Carlos Alberto Machado.

Entrevista com Madelyne Tolentino
Madeline Tolentino é testemunha visual do Chupacabras em Porto Rico. Foi a primeira pessoa a relatar publicamente ter avistado a estranha criatura.

Entrevista com Daniel Pérez
Daniel Pérez é uma das principais testemunhas de Chupacabras de Porto Rico. Ele foi entrevistado pelo ufólogo Jorge Martin.

Comentários (3)

Você está revendo: A Volta do Chupacabras?
Sort
5/5 (2)
FacebookGoogle+Twitter
Gravatar
Full StarFull StarFull StarFull StarFull Star
Alexandre Takaoka (Londrina, Brazil) diz...
Parabéns pela pesquisa. aguardo novas informações!
15 September 2018 03.10
Gravatar
Full StarFull StarFull StarFull StarFull Star
Fernando Oliveira diz...
Deve ser consequência de mais uma ação da lava-jato. Tem todas as características: Onde passa, arrasa tudo.
29 June 2018 18.42
Gravatar
Marcos diz...
Arrasa com a bandidagem, viva a Lava-Jato!
22 September 2019 13.31
Página 1 de 1

Adicionar Comentário

* Informação requerida
(não será publicado)
 
Bold Italic Underline Strike Superscript Subscript Code PHP Quote Line Bullet Numeric Link Email Image Video
 
Smile Sad Huh Laugh Mad Tongue Crying Grin Wink Scared Cool Sleep Blush Unsure Shocked
 
3000
 
Notifique-me de novos comentários via email.
 



Referências:

- Livros
  • MACHADO, Carlos Alberto. Olhos de Dragão - Reflexões para uma nova realidade. Curitiba: Aramis Chain, 2001.
  • MACHADO, Carlos Alberto. Estranha Colheira. Mutilações humanas do insólito. São José dos Pinhais, 2018.

 


- Boletins
  •  

 


- Artigos de Revistas
  • MARTIN, Jorge. Chupacabras: aliens ou aberração genética?. Revista UFO, p. 12-14, agosto de 1996.
  • MARTIN, Jorge. Uma teoria: Intercâmbio genético por emissões eletrônicas. Revista UFO, p. 17, agosto de 1996.
  • MONDINI. Animal desconhecido encontrado mutilado em São Paulo. Revista UFO, p. 20, agosto de 1996.
  • STIEVEN, Mauren. Novos ataques no Mato Grosso do Sul. Revista UFO, p. 27 à 31. , Setembro de 1997.
  • EQUIPE NPU. Mortes de animais geram polêmica. Revista Fatos & Mistérios, p. 36 à 39. Novembro de 1997.
  • SIERRA, Javier. Novos ataques da criatura no Caribe. Revista UFO nº 50, p. 21 à 24. Abril de 1997.
  • MACHADO, Carlos Alberto. Chupacabras. Revista UFO nº 66, p. 37 à 45. Agosto de 1999.
  • EQUIPE CIPEX. Esclarecimentos que nada esclarecem. Revista UFO nº 66, p. 41 e 42. Agosto de 1999
  • EQUIPE CIPEX. Militar fala sobre Chupacabras. Revista UFO nº 66, p. 43. Agosto de 1999
  • SAN MARTIN, Paulo. Chupa-cabras. Que bicho é esse? Revista Extra nº1, p. 4 à 5. Agosto de 1997.
  • EQUIPE CEPEX. Episódios com o bicho causam alvoroço nacional. Revista Extra nº1, p. 6 à 7. Agosto de 1997.
  • EQUIPE CEPEX. Ovelhas mortas: é o início da história. Revista Extra nº1, p. 8 à 12. Agosto de 1997.
  • EQUIPE CEPEX. Sitiante viu tudo e desmente o laudo. Revista Extra nº1, p. 13 à 14. Agosto de 1997.
  • EQUIPE CEPEX. Bicho aparece, deixa pistas e ganha forma. Revista Extra nº1, p. 18 à 20. Agosto de 1997.
  • EQUIPE CEPEX. Chupa-cabras deixa seus rastros na terra. Revista Extra nº1, p. 21 à 22. Agosto de 1997.
  • EQUIPE CEPEX. Animal anda rebolando e é visto por tratorista. Revista Extra nº1, p. 23 à 25. Agosto de 1997.
  • MONDINI. Histórico: Porto Rico exporta Chupacabras para o mundo. Revista UFO Especial, 19. p. 6 à 9. Setembro de 1997.
  • SCHELLHORN, Cope. Fenômeno causa terror e polêmica no Caribe. Revista UFO Especial, p. 10 à 13. Setembro de 1997.
  • MONDINI. Epidemia: Ação devastadora do Chupacabras chega ao Brasil. Revista UFO Especial, p. 14 à 18. Setembro de 1997.
  • MONDINI. Mutilações misteriosas se proliferam sem explicação. Revista UFO Especial, p. 20 à 22. Setembro de 1997.
  • ATHAYDE, Reginaldo. Alienígenas predadores: A face sinistra da Ufologia. Revista UFO Especial, p. 23 à 25. Setembro de 1997.
  • BARBOSA JUNIOR, Orlando. Ataques no Rio de Janeiro se confundem com mutilação. Revista UFO Especial, p. 26 à 33. Setembro de 1997.
  • SUENAGA, Claudio. Chupacabras em constante processo de evolução. Revista UFO Especial, p. 36 à 40. Setembro de 1997.
  • VILA NOVA, Jamil. Estranho ataque investigado no litoral paulista. Revista UFO Especial, p. 34 e 35. Setembro de 1997.
  • COVO, Claudeir. Ataques deliberados da criatura desconhecida. Revista UFO Especial, p. 41 e 42. Setembro de 1997.
  • MONDINI. Chupacabras. Revista UFO. nº67. p. 40 à 48. Setembro de 1999.
  • MOORE, Simon. Revista Inexplicado, nº 2 p. 34 e 35.,

 


- Documentos Oficiais
  •  

 


- Vídeos e Documentários

 


- Sites e Blogs

 


- Outros
  • https://pr.ricmais.com.br/seguranca/noticias/mais-de-50-aves-tem-coracoes-arrancados-em-curitiba/
  • https://redemassa.com.br/tribuna-da-massa-3/2018/03/07/ataque-as-galinhas-continua-um-misterio-15392/v/
  • https://tnonline.uol.com.br/noticias/mundo-bizarro/64,461579,02,03,sessenta-aves-tem-coracao-arrancado-em-galinheiro-no-parana.shtml
  • http://www.fatimanews.com.br/brasil/60-aves-sao-mortas-e-tem-coracao-arrancado/185746/
  • https://massanews.com/noticias/plantao/misterio-60-aves-sao-mortas-e-tem-coracao-arrancado-7m8x6.html
  • https://www.bemparana.com.br/noticia/sessenta-aves-sao-mortas-e-tem-o-coracao-arrancado-no-bairro-alto-
  • http://www.bandab.com.br/cidades/60-aves-tem-coracao-arrancado-em-galinheiro-no-bairro-alto-para-vizinhos-e-um-misterio/
  • http://www.tribunapr.com.br/noticias/curitiba-regiao/mais-de-50-galinhas-sao-mortas-em-suposto-ritual-e-caso-macabro-assusta-dona-de-viveiro/
  • http://g1.globo.com/pr/parana/paranatv-2edicao/videos/t/edicoes/v/misterio-morte-de-aves-e-ovelhas-intriga-moradores-de-sao-jose-dos-pinhais/6624129/
  • https://g1.globo.com/pr/parana/noticia/caseiro-faz-armadilha-e-captura-caes-que-mataram-dezenas-de-animais-em-sitios.ghtml
  • http://pautasjp.com/2017/noticia.php?nid=4262
  • http://olharanimal.org/morte-misteriosa-de-animais-intriga-moradores-de-sao-jose-dos-pinhais-pr/
  • https://www.bemparana.com.br/noticia/caes-suspeitos-pela-morte-de-varios-animais-sao-levados-para-centro-de-zoonoses