UFOs e a Corrida Espacial - [Apollo 7]

Fotos e documentos oficiais comprovam que nunca estivemos sós na exploração espacial.
Você está aqui:
Página Inicial >> Artigos Especiais >> UFOs e a Corrida Espacial - [Apollo 7]

Mistérios da Corrida Espacial
Missão Gemini XII


Mistérios da Corrida Espacial
Missão Apollo 7


Mistérios da Corrida Espacial
Missão Apollo 8


Por Jackson Luiz Camargo

Sumário:

 

 

Em Ufologia, honestidade é tudo. Ao copiar material deste site cite a fonte, assim como fazemos em nosso site. Obrigado!

 

Missão Apollo 7

A Apollo 7 foi oficialmente o primeiro voo tripulado do programa Apollo. Depois do desastre que resultou na morte dos astronautas da Apollo 1, em um treinamento de rotina, havia uma grande expectativa quanto à esta missão, pois seria a primeira vez que três astronautas americanos embarcariam na mesma missão rumo ao espaço.

O lançamento ocorreu em 11 de outubro de 1968. A bordo, estavam os astronautas Walter Schirra, Walter Cunnginhan e Donn Eisele.

A Apollo 7 tinha objetivos modestos se comparados com as missões espaciais que ocorreraram depois. Era um voo programado para testar instrumentos internos do Módulo de Comando e Serviço (CSM), sistemas de suporte de vida, navegação e controle, bem como testar algumas manobras importantes para as futuras missões lunares.

Os astronautas da Apollo 7, à exemplo das missões anteriores dos programas Mercury e Gemini, não apenas avistaram UFOs no espaço como documentaram vários deles.

Oficialmente, os astronautas contavam com apenas uma câmera Hasselblad 70mm, com qual obtiveram 533 fotografias ao longo da missão, sendo que destas, podemos observar objetos não identificados em pelo menos 22 delas. Atualmente, estas fotografias estão disponíveis no site ToTheMoon, em altíssima resolução.

O primeiro registro foi obtido logo no começo da missão, aproximadamente 40 minutos após entrar em órbita. Neste momento, os astronautas desfrutavam de um breve descanso e, enquanto se adaptavam à falta de gravidade, aproveitavam o tempo para verificar as condições da Apollo 7 e observar a Terra, a partir do espaço.

Aos 39 minutos e 45 segundos de voo, Don Eisele observou luzes de cor alaranjada contra a superfície terrestre e informou seus colegas. Na página o documento Apollo 7 Onboard Voice Transcription, que contém as transcrições das comunicações de bordo da cápsula, observamos que os astronautas tentam entender o que são essas luzes na superfície e comentam que seu deslocamento é estranho.

Don Eisele: Ei... Eu vejo fogos!
Walter Cunningham: Oh… Isso é lindo.
Walter Schirra Jr.: Sim… Você vê.
Walter Cunningham: Você vê alguma coisa no chão?
Don Eisele: Sim... Veja, tem alguma coisa laranja lá embaixo. Luzes de cor laranja.
Walter Cunningham: Isso é bonito.
Don Eisele: Há algo mais estranho. Eu olhei para fora aqui, e eu vejo o que parecem ser estrelas como se eu estivesse olhando uma bola de estrelas no simulador.
Walter Schirra Jr.: Isso é relâmpago.
Don Eisele: Exceto que eu não posso ver estrelas, porque eu estou olhando para o chão, e elas não estão se movendo como deveriam estar, porque estamos em órbita. Eu não sei o que é isso. Isso parece pequeno ou alguma coisa lá…

Aos 43 minutos e 33 segundos, os astronautas ainda estão maravilhados com a beleza de nosso planeta, quando repentinamente observam novas luzes contra a superfície terrestre:

Don Eisele: Agora você pode ver o horizonte? Olhe pela vigia. Vê isso Walt?
Walter Cunnhingham: Sim… É lindo
Don Eisele: Lá no horizonte, Walt?
Walter Cunnhingham: Oh sim, é lindo.
Don Eisele: Olhar pra fora daqui? Vamos ver… eu acho que é.
Walter Cunnhingham: Eu posso ver isso daqui. O que são aqueles flashes que eu vi.
Don Eisele: Você viu alguns flashes? Eu vi também.

Após o trecho acima, o astronautas comentaram o fato e acreditavam que o flash era produzido pelo último estágio do foguete Saturno 1B, que os levou ao espaço. O astronauta Walter Cunnhingham resolveu fotografar o estranho brilho, mas ele desapareceu rapidamente.

A página 20, do mesmo doucmento, contém outro avistamento, ocorrido aos 44 minutos e 22 segundos. O astronauta Don Eisele observou outros dois objetos luminosos contra a superfície terrestre. Imediatamente, os outros dois tripulantes confirmaram que também estavam observando tais luzes.

Don Eisele: Oh, que estranho. Vejo dois pontos de luz no chão. Parecem estrelas.
Walter Schirra Jr.: Sim… eu vi isso.
Walter Cunningham: Sim… eu vi também.

Walter Cunningham, que manuseava a câmera neste momento, obteve uma fotografia destas estranhas luzes. Nesta imagem, identificada como AS07-03-1512, se observa claramente os dois objetos luminosos contra a superfície terrestre, vistos a partir de uma das janelas do Módulo de Comando.

Após o descanso dos astronautas, iniciaram-se os primeiros testes programados para a missão. Um deles era o teste de navegação do CSM, que deveria rotacionar e aproximar-se do adaptador do Saturno 1B. Isso permitiria simular as manobras que seriam realizadas nas missões seguintes envolvendo o acoplamento do Módulo Lunar. Os astronautas documentaram toda esta manobra, realizada ao longo de todo o primeiro e segundo dia em órbita. Em uma destas fotografias, identificada como AS07-03-1527, observa-se o adaptador do foguete e ao fundo, contra a superfície terrestre, um estranho objeto idêntico ao chamado Cavaleiro Negro. Este misterioso objeto chamou a atenção da comunidade ufológica em 2014, após a divulgação de imagens de uma missão do Ônibus Espacial Discovery, ocorrida em 1998. Posteriormente, outras missões espaciais destinadas à Estação Espacial Internacional (ISS) registraram imagens do mesmo objeto.

Devido à crescente polêmica, a NASA viu-se obrigada a dar explicações. Segundo ela, o Cavaleiro Negro seria apenas uma manta de isolamento térmico que foi perdida pelos astronautas que trabalhavam na construção da ISS. Entretanto, o objeto fotografado nas imagens da Apollo 7 demonstra que ele é mais antigo do que se supunha. E o fato de ele aparecer em regiões diferentes da órbita terrestre, acompanhando diferentes missões espaciais é um indicativo de que existe uma inteligência por trás deste aparelho. Curiosamente, no arquivo de transcrições da missão, não existem referências a este objeto, indicando que ou ele não era visto pelos astronautas ou era visto, mas ignorado por eles. Também não podemos descartar a possibilidade de tais transcrições terem sido deliberadamente censuradas pela NASA.

Mais tarde, ao final do segundo dia, os tripulantes tiveram novos avistamentos logo após entrar no cone de sombra da Terra. Neste momento, eles precisavam definir sua localização no espaço e para isso contavam com uma carta celeste e usavam um telescópio que funcionava em conjunto com um sextante. Usando este aparelho, o piloto do Módulo de Comando, Don Eisele, observou em várias ocasiões, um estranho objeto luminoso.

Don Eisele: Cara, isso vai ficar difícil, eu acho.
Bem… Está ficando… Que diabos você está ofuscando meus olhos, Walt?
Walter Cunningham: Oh.
Don Eisele: Está escuro lá fora, e tudo o que eu consigo ver é essa luz piscante. E não é tão brilhante.
Walter Schirra Jr: O nível é bom?
Don Eisele: Não. Não ainda. Aguarde um segundo.
Don Eisele: Wally, não está mais no controle automático de altitude. Quero dizer, não é uma reclamação, mas é apenas para manter a altitude em DAP.
Walter Schirra Jr: Okay.

Após esse avistamento inicial, os astronautas continuam tentando localizar-se pelas estrelas. Aproximadamente 15 minutos depois, Don Eisele observa novamente o estranho objeto, conforme observa-se na página 135 do documento já citado.

Don Eisele: Wally, esta coisa está pouco visível no telescópio agora. Porém, ela está muito brilhante no sextante. Uma luz piscante…Bom… Vou te contar. Nós estávamos indo bem. Quero dizer, inferno, você perdeu isso… Tudo o que tinha que fazer… Eu nunca imaginei que fosse perdê-lo assim. Cara esperto… Esta luz piscante se contrai, no impulso. Brilha como o inferno, algumas vezes, e depois você quase não consegue vê-la, e era errática, era irregular, você sabe… Isso não estava… isso estava se movendo ao redor, ou aquelas luzes estão presas… Eu não sei. Sim… provavelmente dando voltas.

Apesar das características estranhas deste objeto, o Centro de Controle da Missão, que ouvia atentamente, não fez qualquer comentário a respeito.

Ao terceiro dia da missão, ocorreram novos avistamentos ufológicos a bordo da Apollo 7. Em pelo menos seis ocasiões os astronautas fotografaram objetos luminosos de cor esverdeada no espaço, próximo à cápsula espacial. Uma fotografia, identificada oficialmente como AS07-06-1700, é particularmente interessante. Nela observa-se nosso planeta e próximo à linha do horizonte está um objeto em formato cilíndrico, perfeitamente nítido, com contornos físicos, em contraste contra a superfície terrestre. Assim como nos demais registros deste dia não existem comunicações entre os astronautas ou junto ao Controle em Terra, a esse respeito. Curiosamente, a mesma imagem, disponível em outro site ligado à NASA, mostra exatamente o mesmo cenário, mas não observa-se o estranho objeto. Sabendo-se que o acervo do site ToTheMoon origina-se dos negativos originais, então confirma-se aí uma manipulação intencional da NASA, em uma foto por ela divulgada, visando esconder um real objeto não identificado presente em uma das fotografias desta missão. Estas manipulações foram constatadas também nas missões seguintes deste programa.

No quarto dia da missão, os astronautas continuaram com os testes programados, muitas vezes documentando-os por meio de fotografias e filmagens. Entre as fotos obtidas neste dia, seis delas apresentam objetos luminosos próximos à Apollo 7. Em cinco delas, o objeto luminoso tinha formato ovalado e cor esverdeada, muito semelhante ao observado e fotografado um dia antes. Uma destas fotografias, identificada como AS07-07-1806, observa-se um objeto luminoso de cor prateada no espaço, relativamente próximo à cápsula. Apesar da quantidade de registros e da aparente proximidade, não existem diálogos entre astronautas e o Centro de Controle comentando o fato.

Os astronautas da Apollo 7 continuaram sua missão normalmente, seguindo o planejamento estabelecido. No quinto e no sexto dia não houve avistamentos, porém, no sétimo e oitavo, o misterioso objeto luminoso esverdeado foi novamente observado e fotografado.

O último registro ufológico obtido nesta missão ocorreu horas antes de seu encerramento com um único registro fotográfico de luzes multicoloridas destacandose contra o fundo escuro do espaço. Esta fotografia é identificada como AS07-11-1993a e está disponível no site TotheMoon.


Fotografia obtida pelos astronautas da Apollo 7, pouco depois de entrar em órbita. Os dois objetos eram avistados e foram alvos de comentários entre os astronautas.

O misterioso objeto que foi documentado em várias missões espaciais e que foi apelidado de Black Knight. Esta fotografia foi feita pelos astronautas da Apollo 7.

Objeto luminoso esverdeado, fotografado pelos astronautas da Apollo 7.

Objeto luminoso esverdeado, fotografado pelos astronautas da Apollo 7.

Objeto luminoso esverdeado, fotografado pelos astronautas da Apollo 7.

Objeto luminoso esverdeado, fotografado pelos astronautas da Apollo 7.

Objeto em formato cilíndrico, fotografado na órbita da Terra, pelos astronautas da Apollo 7.

Objeto luminoso esverdeado, fotografado pelos astronautas da Apollo 7.

Objeto luminoso esverdeado, fotografado pelos astronautas da Apollo 7.

Objeto esférico, opaco, fotografado pelos astronautas da Apollo 7.

Dois objetos luminosos, de cor esverdeadao, fotografados pelos astronautas da Apollo 7.

Fenômeno luminoso, de cor esverdeada, fotografado pelos astronautas da Apollo 7.

Objeto luminoso esverdeado, fotografado pelos astronautas da Apollo 7.

Objeto luminoso esverdeado, fotografado pelos astronautas da Apollo 7.

Dois objetos esverdeados, fotografados pelos astronautas da Apollo 7.

Objeto esférico de cor branca, fotografado pelos astronautas da Apollo 7.

Objeto luminoso esverdeado, fotografado pelos astronautas da Apollo 7.

Objeto luminoso esverdeado, fotografado pelos astronautas da Apollo 7.

Objeto luminoso esverdeado, fotografado pelos astronautas da Apollo 7.

Luzes multicoloridas, fotografadas pelos astronautas da Apollo 7.

Trecho do documento Apollo 7 Onboard Voice Transcription, contendo comunicações travadas durante avistamento ufológico.

Trecho do documento Apollo 7 Onboard Voice Transcription, contendo comunicações travadas durante avistamento ufológico.

Trecho do documento Apollo 7 Onboard Voice Transcription, contendo comunicações travadas durante avistamento ufológico.

Trecho do documento Apollo 7 Onboard Voice Transcription, contendo comunicações travadas durante avistamento ufológico.

Astronautas da Apollo 7. Donn Eisele (esquerda), Walter Schirra (centro) e Walter Cunninghan (direita).

Estes casos aqui expostos estão detalhadamente expostos no livro Entre o Céu e a Terra. Uma História de Aventura, Mistérios e UFOs, de autoria de Jackson Luiz Camargo. Além de mostrar estes casos, as comunicações e documentos relacionados, fornecendo todos os links e fontes para o que é apresentado, o autor apresenta fatos, curiosidades e bastidores da Corrida Espacial, travada entre Estados Unidos e União soviética.

Comentários

Sem comentários.

Adicionar Comentário

* Informação requerida
(não será publicado)
 
Bold Italic Underline Strike Superscript Subscript Code PHP Quote Line Bullet Numeric Link Email Image Video
 
Smile Sad Huh Laugh Mad Tongue Crying Grin Wink Scared Cool Sleep Blush Unsure Shocked
 
3000
 
Notifique-me de novos comentários via email.
 



Referências:

- Livros
  • CAMARGO, Jackson. Entre o Céu a Terra - Uma história de aventura, mistérios e UFOs. Curitiba: Clube de autores, 2018.

 


- Boletins

 


- Artigos de Revistas

 


- Documentos Oficiais

- Vídeos e Documentários

 


- Links