UFOs e a Corrida Espacial - [Gemini 10]

Fotos e documentos oficiais comprovam que nunca estivemos sós na exploração espacial.
Você está aqui:
Página Inicial >> Artigos Especiais >> UFOs e a Corrida Espacial - [Gemini 10]

Mistérios da Corrida Espacial
Missão Gemini IX


Mistérios da Corrida Espacial
Missão Gemini X


Mistérios da Corrida Espacial
Missão Gemini XI


Por Jackson Luiz Camargo

Sumário:

 

 

Em Ufologia, honestidade é tudo. Ao copiar material deste site cite a fonte, assim como fazemos em nosso site. Obrigado!

 

Missão Gemini X

A missão Gemini X foi lançada em 18 de julho de 1966, com os astronautas Michael Collins e John Young. Ela tinha por missão testar equipamentos e manobras de acoplamento, testar técnicas de navegação no espaço, além de realizar experimentos envolvendo magnetismo e radiação espacial. Também, nesta missão, seriam realizadas duas atividades extraveiculares (EVA).

Logo após entrar em órbita, os astronautas foram acompanhados por objetos espaciais não identificados que foram filmados e fotografados. No documento Gemini X Composite Air-to-Ground and Onboard Voice Tape Transcription, podemos encontrar alguns trechos de comunicações travadas durante os avistamentos ufológicos ocorridos desta missão. Na página 30 deste documento, temos o primeiro deles, ocorrido aproximadamente uma hora após o lançamento espacial:

John Young: Oh, Isso é lindo!
Michael Collins: Ei... Eu vejo estrelas. Não… Eu vejo um bogey. Olhe lá fora John.
John Young: Você bateu a cabeça no cockpit!
Michael Collins: Olhe… Existe uma luz lá em cima. John, você pode ver? Você pode olhar ao redor. Existe uma luz.
John Young: Não temos nenhum problema. Nós não temos tempo pra perder com isso agora.
Michael Collins: Eu vejo uma grande luz brilhante lá fora. Estou te dizendo! John, marque essa hora. O gravador de voz está funcionando?
John Young: Sim.
Michael Collins: Ok. Seja qual forem as horas, ela está aqui.
John Young: Você não precisa olhar para ela.
Michael Collins: Onde eu estou, em 1 hora, nós temos um objeto brilhante. Parece um planeta ou algo assim: parece que está em órbita com a gente. Parece que está em uma órbita superior e indo na mesma direção.
John Young: É o booster.
Michael Collins: Agora é só... Agora ainda está à nossa frente. Está ligeiramente à nossa frente.
John Young: Bom, se o booster está abaixo de nós está desligado.
Michael Collins: Porque você sabe John, é um meio e não vai me deixar olhar, mas está acima, em 1 hora, à nossa frente e mais alto do que nós.
John Young: Ok.
Michael Collins: E tudo o que eu estou fazendo é empurrar em 95, na faixa de áudio.
John Young: Ok.
Michael Collins: Foi até cerca de 145. Agora está de volta.
Michael Collins: Oh... É incrível. Não consigo superar a beleza disso.
John Young: Por que você não olha pela janela?
Michael Collins: (Gemido) Que motorista escravo, John.
Michael Collins: O Sol está em meus olhos. Eu preciso da sombra na janela, é o que eu preciso, acredite ou não… Eu digo. O Sol está nos olhos e você não pode empurrar o...
John Young: Eu amo isso… Vindo de volta para 100. Veja, ele subiu: começou em… Foi até 145.
Michael Collins: Ele fez isso?
John Young: Sim. Tão lindo. Parece que até…

Esse avistamento gerou grande euforia no astronauta Michael Collins, que parou momentaneamente suas atividades para contemplar o fenômeno. Nos trechos que se seguiram à estas transcrições seu colega de voo minimizou o fato e pediu que Collins retornasse ao trabalho. Mas, este não foi o único evento a impressionar o astronauta, pois aproximadamente meia hora depois, outro avistamento ocorreu, conforme podemos observar neste trecho disponível na página 45 do mesmo documento:

Michael Collins: Primeira estrela… Eu tenho duas lindas estrelas à direita, na minha janela. Você tem duas?
John Young: Não, eu não tenho nenhuma. Elas são…
Michael Collins: Que diabos são eles? Você viu isso?
John Young: Eu aposto que são as luzes do Agena.
Michael Collins: O que?
John Young: Sim. Isso tem que ser o Agena. Nós estamos no mesmo caminho orbital que ele está.
Michael Collins: Bem, cara, olhe para eles! São lindos! O que está piscando à direita? É o Agena? Viu o flash? O que? John, você vê o que eu vejo?
John Young: Sim.
Michael Collins: Que raios é aquilo?
John Young: Eu não sei.
Michael Collins: Eu vi… O gravador está rodando?
John Young: Sim. Eu não sei o que é aquilo.
Michael Collins: Ok. Eles estão às 12 horas. Essa é sua posição em 01:39:00 e eles estão bem à frente. Eles parecem ser coligados e há duas estrelas extremamente brilhantes, eu diria a um grau de distância. O que está no topo está ligeiramente à esquerda daquele na parte inferior, e cerca de um grau abaixo desses dois há uma luz piscando, uma luz de menor magnitude que é visível o tempo todo e que periodicamente pisca. Foi… Flash… Marcação… Flash... Marcação...
John Young: Oh, não posso: não há como dizer o que são.
Michael Collins: É realmente estranho. E quando os vi pela primeira vez eu podia ver a luz solar. Eu podia ver a Terra iluminada pelo Sol na parte inferior direita das janelas e o nariz da nave ainda estava na luz. E eu vejo esses dois objetos brilhantes parados aí à frente. Vê eles, John?
John Young: Sim. Pensa que devemos informar ao solo? Não, não vamos.
John Young: Isso não são estrelas. Não podem ser.
Michael Collins: Por que você não vai relatar isso? Fale à eles o que você viu. Veja o que eles dizem.
John Young: Aqui Gemini X, Houston. Nós temos dois objetos brilhantes em nosso caminho orbital. Eu não acho que eles sejam estrelas. É como se eles estivessem voando próximo à nós.
Centro de Controle: Entendido
Centro de Controle: Gemini X, Houston.
John Young: Gemini X. Na escuta.
Centro de Controle: Onde estão os objetos em relação à vocês?
Michael Collins: O que ele disse?
John Young: Eu não sei.
Centro de Controle: Se você pode nos dar uma baliza, talvez possamos localizá-los.
Michael Collins: John, você quer...
John Young: Eles apenas desapareceram. Eu acho que eles eram… Eles eram satélites de algum tipo.
Michael Collins: … Sol está brilhando…
John Young: Satélites de algum tipo.
Centro de Controle: Entendido.
Michael Collins: Quer tentar isso de volta?
John Young: Oh, nem me fale.
Michael Collins: Sim.
John Young: Você entendeu?
Michael Collins: Não.
John Young: Você está brincando!
Michael Collins: Algo está ligado em algum lugar.
John Young: Nós não podemos perder tempo com isso. Temos que fazer a determinação da órbita.
Michael Collins: Está certo. Tudo certo. Eu quero manter isso no centro das minhas atenções.

É interessante observar a relutância inicial de John Young em relatar o avistamento ao Centro de Controle. Após a insistência de Michael Collins, ele entra em contato e informa sobre sua enigmática companheira.

No dia seguinte, os astronautas novamente observaram objetos luminosos próximos à Gemini X:

Michael Collins: Certamente há algo brilhante lá fora. Você não pode vê-lo.
John Young: Não.
Michael Collins: Doggone é brilhante! Você não acha que é o velho Agena, acha? Aposto que é.
Michael Collins: Olhe, nós estamos carregando… Por trás desse objeto e abaixo dele. Aposto com você é o velho Agena. Suponho…
John Young: Eu não sei...
Michael Collins: Eu estou quase apostando.
Michael Collins: Ok.
Michael Collins: Houston, Gemini X. Se você fizer a leitura, o Sol está apenas começando a aparecer e nós completamos o S-13. Além disso, para o leste, vemos um objeto extremamente brilhante. Eu acredito que é muito brilhante para ser um planeta. Está ao norte de Orion aproximadamente… Oh… 6 ou 8 graus. No momento, é aproximadamente 8 graus acima do horizonte. Poderia ser o Gemini VIII Agena? Câmbio.
Centro de Controle: Entendido. Nós recebemos isso. Aguarde.
Michael Collins: Pressione o botão Mike novamente.
Michael Collins: A posição desse objeto faz exatamente um triângulo equilátero com as estrelas do cinturão de Orion e com as Plêiades. Se você desenhar uma linha delas para baixo, é o terceiro lado abaixo, perto do horizonte.
Centro de Controle: Entendido. Recebemos isso.
Michael Collins: Está começando a se iluminar.
Michael Collins: Cara… Olhe esse nascer do Sol… Uau!
John Young: Te impressionou?
Michael Collins: Me impressionou!.
Centro de Controle: Gemini X. Carnarvon. Você percebe essa coisa em movimento em relação às estrelas?
Michael Collins: Você pressionou o botão, John?
John Young: Tudo emaranhado aqui. OK. Continue.
Michael Collins: É possível. Não percebi nenhum movimento até agora e, infelizmente, as estrelas estão desaparecendo. Eu só posso ver esse objeto e uma ou duas outras estrelas de 1ª magnitude para a esquerda e para a direita, agora. O Sol está começando a aparecer. O Sol está apenas… A luz solar está apenas limpando o horizonte agora. É realmente bonito.
Centro de Controle: Entendido. Recebemos isso.

O diálogo acima fornece informações sobre a intensidade luminosa do objeto, que mostra-se mais brilhante que um planeta e sua posição, pouco acima da cápsula. Em seu treinamento, os astronautas aprendem a reconhecer estrelas, planetas e satélites artificiais. E como auxílio à navegação, eles dispõem de mapas e instrumentos de auxílio à observação. O fato de tal objeto chamar a atenção do astronauta, que não consegue identificá-lo, demonstra que foi observado algo fora dos padrões naturais. Este trecho pode ser encontrado na página 142 do já citado Gemini X Composite Air-to-Ground and Onboard Voice Tape Transcription.

Por fim, ocorreu um último avistamento que foi rapidamente comentado pelos tripulantes, e que está disponível na página 284, do referido documento. Os astronautas já iniciavam os preparativos para o retorno à Terra, o que justifica a falta de uma observação mais detalhada ou mesmo comentários posteriores:

Michael Collins: O que você disse?
John Young: Sim. É 55:37:37. O sol está descendo e vejo um objeto. Apenas um objeto no céu à minha direita, que poderia ser de oeste a noroeste, e que é mais brilhante do que uma estrela de 1ª magnitude. Parece estar acima de mim... Acima ou abaixo… É difícil dizer exatamente onde está, pois está em voo, quando estou desviando um pouco. OK. Aqui vamos com GET de 63:13:35. Há algum objeto em órbita. Mas a coisa está... Está lá de novo. OK. Eu a tenho na minha janela. Se conseguir encontrar a constelação, eu vejo o que é isso. Aguarde um minuto até encontrá-lo.

Não é possível saber se o astronauta realmente identificou o objeto observado usando suas cartas celestes, pois existe um lapso de aproximadamente 6 horas entre esta comunicação e a próxima transcrita no documento.

No arquivo de fotografias da missão, disponíveis no site ToTheMoon, existem oito fotos em que observam-se objetos luminosos vistos da janela da Gemini X. Em uma delas, identificada como S66-46239_G10-S, observam-se três objetos luminosos de cor avermelhada no espaço, próximos à cápsula espacial. Outra imagem interessante é identificada como S66-45971_G10-M. Nela observa-se a superfície terrestre e dois objetos luminosos em órbita, não muito longe da Gemini.

Por fim, duas fotografias, obtidas em sequencia, mostram um objeto luminoso de cor amarelada, no espaço, próximo à cápsula espacial. Aparentemente, estas duas imagens foram obtidas intencionalmente para registro do objeto observado, pois a imagem não registra nosso planeta, a Lua ou outro satélite espacial. Estas fotografias estão identificadas como S66-46247B_G10-S e S66-46247C_G10-S.

A Gemini X encerrou-se em 21 de julho de 1966, cumprindo os objetivos de sua missão, agregando conhecimentos e experiência ao programa espacial e adicionalmente tornando-se referência quando se fala em UFOs no espaço. Mas outras missões posteriores se mostraram igualmente importantes no meio ufológico.


Dois objetos luminosos registrados pelos astronautas da Gemini 10.

Um objeto luminoso registrado pelos astronautas da Gemini 10.

Um objeto luminoso registrado pelos astronautas da Gemini 10.

Um objeto luminoso registrado pelos astronautas da Gemini 10.

Um objeto luminoso registrado pelos astronautas da Gemini 10.

Um objeto luminoso registrado pelos astronautas da Gemini 10.

Um objeto luminoso registrado pelos astronautas da Gemini 10.

Página 30 do documento Gemini X Composite Air-to-Ground and Onboard Voice Tape Transcription, contendo comunicações travadas durante avistamento ufológico.

Página 45 do documento Gemini X Composite Air-to-Ground and Onboard Voice Tape Transcription, contendo comunicações travadas durante avistamento ufológico.

Página 284 do documento Gemini X Composite Air-to-Ground and Onboard Voice Tape Transcription, contendo comunicações travadas durante avistamento ufológico.

Astronautas da Gemini 10. John Young (esquerda) e Michael Collins (direita).

Estes casos aqui expostos estão detalhadamente expostos no livro Entre o Céu e a Terra. Uma História de Aventura, Mistérios e UFOs, de autoria de Jackson Luiz Camargo. Além de mostrar estes casos, as comunicações e documentos relacionados, fornecendo todos os links e fontes para o que é apresentado, o autor apresenta fatos, curiosidades e bastidores da Corrida Espacial, travada entre Estados Unidos e União Soviética. Para adquirir, clique aqui.

Comentários

Sem comentários.

Adicionar Comentário

* Informação requerida
(não será publicado)
 
Bold Italic Underline Strike Superscript Subscript Code PHP Quote Line Bullet Numeric Link Email Image Video
 
Smile Sad Huh Laugh Mad Tongue Crying Grin Wink Scared Cool Sleep Blush Unsure Shocked
 
3000
 
Notifique-me de novos comentários via email.
 



Referências:

- Livros
  • CAMARGO, Jackson. Entre o Céu a Terra - Uma história de aventura, mistérios e UFOs. Curitiba: Clube de autores, 2018.

 


- Boletins

 


- Artigos de Revistas

 


- Documentos Oficiais

- Vídeos e Documentários

 


- Links