UFOs e a Corrida Espacial - [Apollo 9]

Fotos e documentos oficiais comprovam que nunca estivemos sós na exploração espacial.
Você está aqui:
Página Inicial >> Artigos Especiais >> UFOs e a Corrida Espacial - [Apollo 9]

Mistérios da Corrida Espacial
Missão Apollo 8


Mistérios da Corrida Espacial
Missão Apollo 9


Mistérios da Corrida Espacial
Missão Apollo 10


Por Jackson Luiz Camargo

Sumário:

 

 

Em Ufologia, honestidade é tudo. Ao copiar material deste site cite a fonte, assim como fazemos em nosso site. Obrigado!

 

Missão Apollo 9

O ano de 1969 trouxe esperanças de boas notícias e grandes conquistas para o povo americano. E foi envolto neste entusiasmo que ocorreu o voo da Apollo 9.

Sua missão seria mais modesta que a anterior, mas era igualmente importante, pois nela se realizariam mais uma série de importantes testes que permitiriam ainda naquele ano a realização do primeiro pouso tripulado na superfície lunar.

A Apollo 9 subiu ao espaço às 11 horas da manhã de 3 de março de 1969, por meio de um foguete Saturno V e em apenas onze minutos ela entrava em órbita a 240 Km acima da superfície terrestre. A bordo, estavam os astronautas James McDivitt, Russell Schweickart e David Scott.

Duas horas e quarenta minutos depois, o adaptador S-IVB separou-se do Módulo de Comando Gumdrop e abriu-se liberando o Módulo Lunar Spider. Aproximadamente 20 minutos depois, o piloto David Scott concluiu com segurança o acoplamento com as cápsulas espaciais.

Durante a missão Apollo 9, ocorreram vários fatos ufológicos, alguns deles registrados em imagens a partir da cápsula espacial.

O primeiro deles ocorreu duas horas após a Apollo 9 entrar em órbita. O último estágio do foguete Saturno V já havia sido abandonado, quando os astronautas observaram um objeto luminoso não identificado, com comportamento furtivo, e fizeram comentários a respeito. O documento Apollo 9 Onboard Voice Transcription-Command Module, Vol. 1; contém as comunicações de bordo da primeira parte da missão. Nele podemos encontrar, na página 39, o diálogo ocorrido durante este avistamento:

Russel Schweickart: Eu estava pensando que era hora de se adaptar à escuridão, mas essa é provavelmente a pior coisa que podemos fazer agora.
James McDivitt: Se adapte ao escuro com seus óculos de Sol, hein…
Russel Schweickart: Sim. Eu vou diminuir um pouco e ver o que vemos lá fora. Oh, não é uma Terra bonita?
Russel Schweickart: Veja se você pode ver o S-IVB abandonado.
James McDivitt: Eu estava vendo uma luz na janela lateral. Eu não tenho certeza se eram os propulsores S-IVB ou…
Russel Schweickart: Sim, eu também. Eu só vi um flash. Foi a impressão que eu tive.

Os astronautas do programa Apollo tiveram treinamento específico para reconhecer foguetes e satélites espaciais. Inclusive, um dos objetivos secundários da missão era rastrear o satélite Pegasus III.

Para isso, além do treinamento, eles contavam com instrumentos de observação, bem como o apoio de controladores que tinham radares de varredura à sua disposição e dados de posicionamento de cada satélite em órbita naquele momento. O fato de tal luz ou flash não ter sido identificado como uma parte do foguete, ou como um satélite é bem sugestivo. Mas esse não foi o único avistamento ocorrido durante este voo espacial.

Durante a missão, os astronautas contavam com seis câmeras Hasselblad 70mm, sendo duas de uso individual e outras quatro adaptadas com um filtro para experimentos multiespectrais. Com esse equipamento eles obtiveram 1.373 fotografias, sendo 318 em preto e branco, além de 787 coloridas e 267 em infravermelho.

Entre estas imagens, existem doze fotografias em que observam-se objetos não identificados. No quarto dia, durante as manobras de acoplamento entre os módulos Gumdrop e Spider, foram obtidas oito fotografias, que foram identificadas como AS09-24-3622, AS09-24-3628, AS09-24-3629, AS09-24-3632, AS09-24-3637, AS09-24-3638, AS09-24-3646 e AS09-24-3648.

Através dos arquivos com as transcrições de diálogos travados nesta missão percebe-se que durante os testes foram observados fenômenos luminosos que chamavam a atenção. Os diálogos mantidos nesta ocasião também estão disponíveis, na página 403, do relatório de transcrição já mencionado.:

James McDivitt: Agora funciona. Funciona apenas no DIM 2.
James McDivitt: Na verdade, o DIM 1 com uma luz não é ruim. Ei, o que eu estou olhando aqui? Você pode olhar para fora da janela e me dizer o que é que eu estou vendo? É simplesmente absolutamente escuro lá.
David Scott: Provavelmente é o solo. Sim, devem ser trovoadas lá em baixo.
James McDivitt: Gee. Não vejo nada. Eu nem vejo uma tempestade.
David Scott: O horizonte está aqui perto, agora mesmo.
James McDivitt: Você pegou o livro de notas lá, Dave?
David Scott: Não, eu não. Ei, essa é uma nave espacial.
James McDivitt: Oh, há uma pequena mancha de luz por aí.
Russel Schweickart: Gee, não pode ser. Oh, talvez seja.
Russel Schweickart: Jim, quando terminar com o livro de notas...
Russel Schweickart: Oh, este mapa deve estar errado.
James McDivitt: Oh, finalmente estou começando a ver algo lá fora…

Neste caso, novamente o treinamento oferecido aos astronautas para a identificação de foguetes, satélites, corpos celestes e fenômenos atmosféricos, mostrou-se inútil. Aproximadamente quatro horas depois deste avistamento, ocorreu outro evento, conforme observa-se na página 25, do documento Apollo 9 Onboard Voice Transcription-Command Module, Vol. 2 :

Russel Schweickart - Que o diabo será aquilo?
David Scott: Jim.
James McDivitt: Huh?
Russel Schweickart: … Sabe que você pode ver… Luzes lá fora.
Russel Schweickart: Oh? Sim. Você viu isso? O que diabos é isso?
David Scott: Eu ficarei impressionado se eu souber. Eles estão no céu?
Russel Schweickart: Não, não, estão abaixo do horizonte… Fogos.
David Scott: … Eles são fogos?
Russel Schweickart: Sim…
Russel Schweickart: Eles parecem terrivelmente vermelhos.
David Scott: Vermelhos…
Russel Schweickart: É realmente como se eles não se parecessem com fogos, eu não sei por quê. Aquele parece ser como dois pontos de luz.
David Scott: Veja tem mais aqueles.
David Scott: Essa é uma sensação estranha.

Em 9 de março, sétimo dia da missão, ocorreu outro avistamento, desta vez com registro fotográfico. Às 19 horas e 40 minutos (GMT), os astronautas fotografavam nosso planeta, para fins de mapeamento. Ao passar sobre a região do Caribe, eles registraram um objeto luminoso, que aparentemente apresentava alta velocidade, pois se observa claramente a trajetória do objeto fotografado. Esta fotografia está identificada como AS09-26A-3829A.

Por fim, o último avistamento ocorrido durante a missão, aconteceu ao longo das etapas finais do voo. Os astronautas fotografavam o Oceano Pacífico, quando acidentalmente registraram um objeto luminoso de cor avermelhada. Possivelmente, este UFO não era avistado a olho nu, visto que não existem comentários a respeito ao longo das transcrições. Esta fotografia está identificada como AS09-21-3319.


Estranho objeto luminoso, fotografado pelos astronautas da Apollo 9.

Objeto luminoso fotografado pelos astronautas da Apollo 9.

Objeto luminoso fotografado pelos astronautas da Apollo 9.

Dois objetos luminosos fotografados pelos astronautas da Apollo 9.

Objetos luminosos fotografados pelos astronautas da Apollo 9.
Objetos luminosos, de cores variadas, na órbita da Terra.

Objeto brilhante, de cor avermelhada, fotografada por astronautas da Apollo 9.

Objeto luminoso fotografado pelos astronautas da Apollo 9.

Objeto luminoso fotografado pelos astronautas da Apollo 9.

Trecho do documento Apollo 9 Onboard Voice Transcription-Command Module, Vol. 1, contendo comunicações travadas durante avistamento ufológico.

Trecho do documento Apollo 9 Onboard Voice Transcription-Command Module, Vol. 1, contendo comunicações travadas durante avistamento ufológico.

Trecho do documento Apollo 9 Onboard Voice Transcription-Command Module, Vol. 2, contendo comunicações travadas durante avistamento ufológico.

Astronautas da Apollo 9. James McDivitt (esquerda), David Scott (centro) e Russel Schweickart (direita).

Estes casos aqui expostos estão detalhadamente expostos no livro Entre o Céu e a Terra. Uma História de Aventura, Mistérios e UFOs, de autoria de Jackson Luiz Camargo. Além de mostrar estes casos, as comunicações e documentos relacionados, fornecendo todos os links e fontes para o que é apresentado, o autor apresenta fatos, curiosidades e bastidores da Corrida Espacial, travada entre Estados Unidos e União soviética.

Comentários

Sem comentários.

Adicionar Comentário

* Informação requerida
(não será publicado)
 
Bold Italic Underline Strike Superscript Subscript Code PHP Quote Line Bullet Numeric Link Email Image Video
 
Smile Sad Huh Laugh Mad Tongue Crying Grin Wink Scared Cool Sleep Blush Unsure Shocked
 
3000
 
Notifique-me de novos comentários via email.